Outras

Nas ‘miniférias’ da Stock Car, Osman corre 200 Km de Cordeirópolis de Velocidade na Terra

Galid Osman vai participar pela segunda vez da tradicional etapa, válida pelo Campeonato Brasileiro de Velocidade na Terra. O piloto da Shell Helix Ultra na Stock Car ganhou a prova na primeira e única vez que a disputou, em 2016, e agora tenta o bicampeonato ao lado de Lucas Lazzari

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Velocidade na Terra acontece neste fim de semana no interior de São Paulo com os 200 Km de Cordeirópolis, tradicional prova do calendário que compreende a presença de convidados. Dentre eles, Galid Osman, piloto da Shell Helix Ultra na Stock Car e que vai competir pela segunda vez na prova. Na primeira, em 2016, o paulista triunfou ao lado de Diogo Freitas. Desta vez, o #28 na Stock Car vai formar dupla com Lucas Lazzari.
 
O grid dos 200 Km de Cordeirópolis ainda vai contar com outros pilotos bastante conhecidos: Diego Nunes, Guilherme Salas, Renan Guerra, Beto Monteiro, Roberval Andrade, Paulo Salustiano, Leandro Totti e Enzo Elias.
 
A pista do autódromo de Cordeiróplis tem cerca de 2 km de extensão e é composta por duas retas, a principal em 320 m e a oposta, um pouco mais longa, com 350 m, além de oito curvas para a esquerda e três pela direita, percorridas em sentido anti-horário. Nos 200 Km de Cordeirópolis, os pilotos do Brasileiro de Velocidade na Terra correm 100 km, e a outra metade da prova é feita pelos pilotos convidados.
Galid Osman vai acelerar na terra neste fim de semana em Cordeirópolis (Foto: José Mário Dias)
Para Galid, estar em atividade é bastante importante para amenizar os efeitos da pausa no calendário da Stock Car. Em ‘miniférias’, a principal categoria do automobilismo brasileiro só volta a acelerar entre 19 e 21 de julho com a quinta rodada dupla, em Santa Cruz do Sul.
 
“Essa vai ser a segunda vez que participo da prova. A primeira vez foi em 2016, nos 200 km de Cordeirópolis. A prova teve 45 carros, e venci junto com o Diogo Freitas”, contou Osman, que ressaltou que não há muita diferença quanto à preparação para a prova. “A preparação é a mesma que faço para a Stock Car. No Autocross, a diferença é que você precisa ter o antebraço muito forte porque é uma corrida longa, com duração de três horas, uma hora e meia para cada um”, explicou.
 
“O calendário da Stock Car tem esse intervalo até Santa Cruz do Sul, então os pilotos precisam procurar, de alguma forma, seguir na ativa para não ficarem muito defasados em relação aos outros. Você vê pilotos da Stock Car fazendo corridas de 24 horas, correndo em outros campeonatos, e quem fica parado vai ter uma desvantagem muito grande na hora de voltar”, disse o piloto da Shell Helix Ultra.
 
“Ficar 40 dias parado acho que interfere muito e, no meu caso, estou tentando andar no máximo possível de carros, vou andar de kart também e me preparar ao máximo para Santa Cruz do Sul”, complementou.
Galid Osman já venceu os 200 Km de Cordeirópolis em 2016 (Foto: José Mário Dias)
Osman detalhou como vai ser sua nova participação na prova em Cordeirópolis e também revelou seu apreço por poder correr no off-road. “Minha dupla nesta prova vai ser o Lucas Lazzari. Um larga, anda 100 km, depois entra o segundo piloto. Gostei muito de correr na terra na minha primeira e única oportunidade. É uma experiência muito legal. Tenho muita vontade de um dia fazer o Rali dos Sertões. Quem sabe aparece uma oportunidade em breve”, disse.
 
“Tenho de agradecer ao Lucas Lazzari pelo convite, pela confiança. Ele é um piloto muito rápido, já fez pole no Brasileiro, então estou bem animado em correr com ele”, emendou o paulista.
 
Por fim, Osman falou sobre a rodada dupla de Londrina, disputada no último fim de semana na Stock Car. O piloto pontuou nas duas corridas no Autódromo Internacional Ayrton Senna e se manteve no top-15 do campeonato, em 15º, com 50 pontos. A meta até o fim do ano, contudo, é terminar entre os dez primeiros.
 
“Avalio a etapa de Londrina como uma evolução ainda em relação ao ano que tivemos. Estivemos competitivos por bastante tempo, então acredito que estamos em um bom caminho para terminar o campeonato no top-10, estamos só a cinco pontos de lá, então creio que temos uma boa chance”, finalizou.
 
Os 200 Km de Cordeirópolis vão contar com transmissão ao vivo pelas redes sociais do Campeonato Brasileiro de Velocidade na Terra. Uma semana depois, a prova vai ser exibida pelo Canal Rural.

Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.