Outras

Por homologação da FIM, Spa planeja mudanças em área de escape da Raidillon

Diretora-executiva de Spa-Francorchamps, Nathalie Maillet explicou que já existe um plano para modificar a área de escape da Raidillon para que o traçado consiga homologação da FIM (Federação Internacional de Motociclismo). Dirigente considerou, ainda, que o futuro da Fórmula 1 não está ameaçado por conta do acidente fatal de Anthoine Hubert

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
O circuito de Spa-Francorchamps planeja alterar a área de escape da Raidillon para conseguir homologação da FIM (Federação Internacional de Motociclismo). A expectativa dos gestores do circuito é de que o projeto que visa o aumento de segurança seja concluído até o final deste ano.
 
No último fim de semana, Anthoine Hubert morreu depois de ser atingido em alta velocidade por Juan Manuel Correa durante a corrida da Fórmula 2. A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) ainda investiga o acidente, mas a área de escape da Raidillon será um ponto importante nesta revisão, já que o piloto francês bateu no muro antes de voltar à pista e sofrer o impacto.
A curva Raidillon deve passar por mudanças para atender a FIM (Foto: Reprodução)
Paddockast #31
QUEM NA F1 PASSA DE ANO?


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

A proposta de mudança na Raidillon, no entanto, não é resultado do acidente de Hubert, mas de um trabalho do circuito belga para garantir a homologação grau C da FIM para garantir a segurança para as 24 Horas de Spa de moto, que deve acontecer em 2022. O acidente, porém, deve impactar o projeto de mudança.
 
“O circuito sempre trabalhou junto com a FIA para melhorar a segurança”, disse Nathalie Maillet, diretora-executiva de Spa, à agência de notícias Belga. “Temos de esperar os relatórios e analisar exatamente o que causou o acidente”, seguiu.
 
“Nós estamos trabalhando de olho em uma licença FIM grau C. Ainda estamos discutindo com a FIA e a FIM em relação a homologação do circuito e já planejamos um trabalho na Raidillon para as 24 Horas de Spa de moto, que vai acontecer em 2022”, explicou. “As duas áreas de escape serão expandidas e projetadas cuidadosamente para evitar impactos frontais. Não planejamos modificar o layout atual da Raidillon, mas é certo que vamos instalar caixas de brita. O regulamento para motos é mais restrito”, justificou.
 
Na avaliação da dirigente, qualquer mudança feita para melhorar a segurança para corridas de moto vai beneficiar todas as demais categorias.
 
“O fato de o circuito estar adaptado para as motos terá um efeito positivo nos carros”, assegurou. “As discussões ainda estão acontecendo em relação a localização exata da brita, a profundidade e se terá de cobrir toda a extensão da curva ou não. Vamos tentar finalizar tudo até o fim do ano para que possamos solicitar as licenças de planejamento urbano”, continuou.
 
“Este acidente não coloca em dúvida o futuro da F1 em Spa-Francorchamps. O que aconteceu foi um acidente de corrida. Claro que estamos todos tristes pelo que aconteceu. Temos de continuar desenvolvendo o circuito. Também vamos continuar desenvolvendo o centro de extração”, concluiu. 
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.