Porsche

Irmãos Baptista comemoram vitória dupla na corrida 2 da Porsche Cup em Interlagos: “Foi bom demais”

Os irmãos Baptista não têm do que reclamar do desfecho do sábado (16) da Porsche Cup. Pilotos da Academia Shell Racing, Vitor e Felipe venceram a corrida 2 em Interlagos nas classes Carrera Cup 4.0 e Carrera Cup 3.8, respectivamente
Grande Prêmio / NATHALIA DE VIVO, de Interlagos
O final de semana foi para lá de especial para os irmãos Baptista. Na tarde deste sábado (16), a Porsche Cup entrou na pista de Interlagos para disputar a segunda corrida do dia, e viu a vitória de Vitor na classe Carrera Cup 4.0 e de Felipe na Carrera Cup 3.8
 
Na principal classe, 0 #120 fez uma belíssima largada, pulando da quarta colocação para a ponta. Com isso, foi administrando a diferença durante a prova, que chegou a ser mais de 6s, para ver a bandeira quadriculada em primeiro.
 
Ao falar do desempenho, citou a satisfação com o resultado. “Agora eu saí satisfeito. Teve de tudo nessa corrida. Larguei de quarto, não é a posição ideal para você largar e imaginar que vai ganhar a corrida, mas acabei largando muito bem, pulei para primeiro, fiz o S por fora. A partir daí foi só administrar”, disse ao GRANDE PRÊMIO.
 
“Tinha o ritmo muito bom, tanto que no começo, antes do safety-car, abri um pouco. A gente sabia que tinha um bom carro desde o começo dos treinos. Conseguimos um terceiro na primeira [corrida], um primeiro na segunda, maior pontuador da etapa, vamos agora para o resto da temporada”, completou.
Vitor Baptista e Felipe Baptista (Foto: Luca Bassani)
Mas o triunfo teve um gosto especial, afinal, seu irmão Felipe também venceu na 3.8. “Foi bom demais, fiquei muito feliz. Tinha comemorado no rádio com o pessoal, e aí, quando eles avisaram que o Felipe tinha ganhado também fiquei mais feliz ainda”, falou.
 
“Foi bom demais. Fiquei feliz demais do Felipe ter essa adaptação rápida e feliz dele estar confiar em meu trabalho para ajudar ele”, emendou.
 
Felipe pode ter apenas 15 anos, mas guiou como gente grande. Mostrando grande desempenho e segurando as investidas de Matheus Iorio, subiu no degrau mais alto do pódio, tornando-se o piloto mais jovem a vencer na categoria.
 
“Estou muito feliz. O Vitor me ajudou muito e quando eu vi ele em primeiro pensei ‘tenho que ganhar essa corrida para ficar os dois’. Isso me deu mais inspiração ainda. Consegui largar muito bem, consegui passar até os 4.0, abri distância junto com o Iorio, ele veio junto”, contou ao GP.
 
“No final, ele levou um toque, foi a causa do segundo safety-car e ali isso me ajudou bastante, pois só teve a última volta para tentar segurar o Enzo. Mas consegui fazer bem, ele conseguiu relargar bem, mas acabou passando reto no S, depois no resto da volta eu fiquei na frente dele e ganhei. Estou feliz demais, sair do kart e já estrear com vitória aqui é sensacional”, concluiu.