Coluna Power Stage, por Fernando Silva: Expectativa para 2013

Com a saída de Sébastien Loeb do WRC em tempo integral, o equilíbrio de forças para a próxima temporada será bastante interessante. Mas um piloto, em especial, desponta como favorito ao título, e não é Mikko Hirvonen

Após já ter definido campeão (Sébastien Loeb, pela nona vez) e vice (Mikko Hirvonen, pelo quarto ano na carreira), o WRC caminha para a última etapa do Mundial de 2012, na Catalunha, mas já com os olhos voltados para 2013. Há muita expectativa para a próxima temporada. Primeiro, por conta da saída da Mini e, principalmente, da Ford como equipes oficiais, além da chegada da Volkswagen e, gradativamente, da Hyundai. Depois, pela mudança no panorama da categoria, que terá um equilíbrio de forças como há muito não acontecia.

Desde meados da década passada, quando se iniciava uma temporada, a certeza era uma só: Loeb contra ‘a rapa’. Mas a rapa não fez nem cosquinha ao mito Sébastien, que mesmo com mudanças de carro e regulamento no WRC, garantiu nove títulos com extrema autoridade. Agora, a partir de 2013, tudo será diferente. Mas algumas perguntas surgem com essa nova fase do WRC. Como será sem Loeb? Quais são os favoritos? Conseguirá a Volkswagen bater a Citroën logo no primeiro ano?

Número 1 da Volkswagen, Ogier desponta como favorito ao título de 2013 (Foto: Volkswagen Motorsport)

Com a saída da Ford e da Mini como equipes oficiais, o título será fatalmente disputado entre Citroën e Volkswagen. A indefinição quanto à segunda vaga na equipe francesa — especulações apontam para Dani Sordo ou Petter Solberg como substituto de Loeb, enquanto o eneacampeão em oito etapas de 2013 — coloca Hirvonen como novo número 1 do time, como bem sinalizou Yves Matton após a vitória do finlandês e seu navegador, Jarmo Lehtinen, no Rali da Sardenha, no domingo.

Embora tenha dado ‘o pulo do gato’ ao acertar com Jari-Matti Latvala, que nem ficou muito tempo desempregado após a saída da Ford, a Volkswagen tem, claramente, Sébastien Ogier como primeiro piloto. Foi ele quem testou o belo Polo R WRC nos intervalos entre as provas do Mundial deste ano. É o francês quem tem todas as referências do novo carro. Claro que, ciente do potencial de Latvala, o jovem Ogier não vai entregar tudo ‘de bandeja’ para o companheiro de equipe e adversário mais próximo. Não que Jari-Matti vá trabalhar para Seb, mas ver o nórdico emparelhando com o rival, pelo menos em 2013, é algo improvável.

Mini e Ford continuam no WRC apenas equipando times privados. Devem beliscar pontos e pódios aqui e ali, mas só. A chegada da Hyundai, embora seja algo bastante promissor para a categoria, ainda é um enorme ponto de interrogação, principalmente no que tange a futuros pilotos. Poderia aí estar um bom lugar para Petter Solberg que, diga-se, fez temporada bastante honesta neste ano, ficando bem próximo de uma vitória, algo que não acontece desde 2005.

Voltando aos duelos Citroën x Volkswagen e Hirvonen x Ogier, a briga pelas vitórias será das melhores, com Latvala e o número 2 da equipe francesa correndo por fora. Posso ser uma voz no deserto, mas, na minha visão, Ogier começa 2013 como favorito ao título. O jovem Seb poderia ter ficado em 2012 correndo ao lado de Loeb para seguir como número 1 do principal time do WRC na temporada seguinte. Mas sua opção pelo novo desafio à frente da Volkswagen foi um sinal interessante e sintomático. Os alemães não brincam em serviço. É só lembrar o que eles fizeram nos tempos de Dakar com os mitológicos Touaregs. A equipe já trabalha bem com Ogier, que contou com a consultoria do bicampeão Carlos Sainz. A Volks está muito forte.

Hirvonen tem a missão de liderar a Citroën após a retirada de Loeb do WRC (Foto: Citroën Racing)

Não se deve descartar a Citroën da luta pelo título de 2013, longe disso. Mas um ponto contra os franceses é que, depois de tanto tempo trabalhando por Loeb, será a primeira vez em quase uma década que a equipe terá de se moldar a outro piloto, ainda que o veterano Seb participe de quatro ou cinco provas e dê seus pitacos no desenvolvimento do DS3. Mas será uma realidade diferente, para a Citroën e para o próprio Hirvonen. Algo que, embora Mikko seja um baita piloto, jogue contra ele, pelo menos nas primeiras provas da próxima temporada.

Dessa forma, não seria exagero nenhum dizer que Ogier chegará em 2013 como grande favorito ao título. É aguardar e ver.

Nas trilhas do Brasil

– A quarta e penúltima rodada dupla da Copa Peugeot, disputada no último fim de semana, em Ponta Grossa, embolou a luta pelo título em todas as três categorias: 207 Super, a principal, além da 207 Master e da 206. A decisão acontecerá em 1º de dezembro, na bela Joinville, terra da Oktoberfest no Brasil;

– Na 207 Super, Lucas Arnone e Felipe Costa foram os grandes vencedores do fim de semana. A dupla chegou na frente nos dois dias de disputa, empatando a classificação do campeonato com Rafael Túlio e Gilvan Jablonski em 78 pontos. Fabio Dall’Agnol e Gabriel Morales somam 74 e também seguem fortes na briga pelo título;

Arnone e Costa empataram a disputa na 207 Super; decisão da Copa Peugeot vai para Joinville (Foto: Fábio Davini)

– Na 207 Master, Rodrigo Mello e Pedro Eurico venceram as duas etapas de Ponta Grossa e somam 82 pontos, 12 a mais que Júnior Siqueira e KZ Morales. E na categoria 206, Felipe Müeller e Gerson Lange, vencedores das baterias no Paraná, têm 76 pontos e se aproximaram da dupla líder Jean Pimentel e Thiago Osternack, que somam 82;

– Neste fim de semana será disputada a etapa final da Mitsubishi Cup, em Poços de Caldas, interior de Minas Gerais. Destaque para a decisão do título, em família, na categoria L200 Triton RS. Relembrando o duelo no Super Prime do Rally dos Sertões, Cristian Baumgart (ao lado de Beco Andreotti) vai lutar contra o irmão Marcos (e seu navegador, Kleber Cincea) pela taça. Marcos lidera a temporada com 204 pontos, um a mais que o irmão;

Marcos Baumgart vai duelar com o irmão Cristian pelo título da Mitsubishi Cup na L200 Triton RS (Foto: Tom Papp/Mitsubishi)

– Norte-americano radicado no Brasil, Gunter Hinkelmann e sua navegadora, Josiane Koerich, brigam com Vinícius Castro e João Carqueira pelo título da L200 Triton ER. A disputa também está legal na Pajero TR4 ER. Renato Kahn e Gilze Ferreira estão empatados em 216 pontos com André Franco de Miranda e Osmar Dehn. O fim de semana decidirá os novos campeões da Mitsubishi Cup;

– E o Grande Prêmio estará em Poços de Caldas. Além deste que vos escreve, Felipe Tesser também seguirá rumo ao Sul de Minas para uma cobertura especial. Vamos que vamos!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube