Mini anuncia que deixa WRC como equipe de fábrica, mas continua com suporte a equipes clientes

O vice-presidente da Mini, Key Segler, afirmou que a montadora não vai mais apoiar o Team Portugal na temporada 2013 do WRC. A partir de agora, os carros da fabricante estarão apenas com equipes clientes

Depois de Sébastien Loeb anunciar a aposentadoria, o WRC sofreu uma nova baixa para a temporada 2013. Isso porque a Mini anunciou nesta sexta-feira (12) que vai retirar o apoio de fábrica da equipe Team Portugal para o próximo campeonato. Assim, o futuro de Paulo Nobre, o Palmeirinha, e de Chris Atkinson é incerto.

“A Mini vai abandonar os trabalhos envolvendo o WRC no final da temporada 2012”, anunciou o vice-presidente da montadora Key Segler.

Entretanto, isso não significa que os carrinhos ingleses estejam fora do Mundial de 2013. O regulamento do WRC diz que as equipes que competirem em todas as etapas da temporada terão seus carros homologados para o próximo ano. Ou seja, mesmo com a saída oficial da Mini, os carros já existentes poderão ser usados por equipes clientes.

Palmeirinha é um dos prejudicados com a saída da Mini (Foto: Divulgação)

Segler, aliás, afirmou que construir as bases para que a Mini continue no WRC mesmo que sem o apoio da fábrica foi uma das preocupações da montadora. “No final do campeonato, a equipe Team Portugal vai ter competido em cada rali de 2012. Desse modo, de acordo com o regulamento da FIA, vamos ter alcançado a homologação para o Mini John Cooper Works”, disse.

“Assim, teremos alcançado os pré-requisitos necessários para os interessados em continuar a usar o carro no WRC como equipe cliente. Em um ambiente comercial tão difícil, a Mini teve um papel fundamental para garantir que os amigos da companhia possam seguir participando do esporte a motor”, completou o dirigente.

Segler afirmou, ainda, que o desenvolvimento do equipamento continuará a ser feito no próximo ano. “Gostaríamos de ver o Mini John Cooper Works continuar a competir no WRC e em outros campeonatos. Queremos agradecer a Prodrive, Team Portugal e nossos parceiros pela boa cooperação. Desejamos a todos os pilotos, equipes e clientes muito sucesso no futuro. A BMW vai continuar a desenvolver o motor 1,6 L turbo em parceria com a Prodrive”, concluiu.

Por sua vez, o diretor da Prodrive, Richard Taylor, lamentou a decisão da fabricante, mas garantiu que a equipe vai continuar a competir no Mundial de Rali no próximo ano. “Nós entendemos a decisão da Mini e na desafiadora economia atual isso não era inesperado. Entretanto, é uma boa notícia que ela continue entusiasmada com o rali e deseje ver os seus carros competindo no WRC e em outros campeonatos”, afirmou.

“Estamos ansiosos em continuar trabalhando com Mini e BMW para maximizar nosso desempenho tanto no WRC quanto no S2000 para a melhoria dos nossos clientes em comum e do nosso time”, encerrou o diretor.

A Prodrive foi responsável pelos três pódios da Mini desde que a fabricante se juntou ao WRC, mas desde o início de 2012 não contava mais com apoio da fábrica. Para piorar, a equipe pode perder Dani Sordo para a próxima temporada, já que o espanhol é especulado para ocupar a vaga de Sébastien Loeb, na Citroën.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube