Rali

Tänak e Neuville abandonam Rali da Austrália após batidas e Ogier conquista hexa do Mundial de Rali

O fim do Mundial de Rali, que prometia muita emoção, acabou com clima ruim: Sébastien Ogier garantiu o hexacampeonato consecutivo do WRC na Austrália, mas em razão de batidas e abandonos de Ott Tänak e Thierry Neuville, seus adversários na briga pela taça
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Sébastien Ogier (Foto: FIA WRC)

De disputa mais emocionante por título no automobilismo de ponta em 2018 a um final até certo ponto melancólico: foi assim o domingo (18) do WRC, dia que consagrou Sébastien Ogier como hecampeão do mundo - e de forma consecutiva. 

O dominante francês entrou no dia final do Rali da Austrália como líder da classificação geral, mas atrás de Ott Tänak e pouco à frente de Thierry Neuville, os únicos que poderiam evitar seu hexa, na etapa.

E acabou contando com abandono da dupla rival para conquistar o hexa - mas uma prova da disputa é que os 219 pontos de Ogier, que acabou a etapa australiana em quinto, foi a menor quantidade conquistada por ele nesta série de títulos. Tänak terminou em segundo na classificação, com 201, e Neuville em terceiro, com 181.
Sébastien Ogier (Foto: FIA WRC)
Neste domingo, Tänak entrou na liderança na Austrália, mas perdeu a chance do título no km 19, quando bateu em uma árvore e acabou abandonando a disputa.

Neuville também deu adeus às suas chances quando acertou uma árvore, mas logo no começo do primeiro estágio do dia. Ele ainda conduziu o carro por mais alguns metros, antes de parar ao perder a roda traseira esquerda.

Quando Tänak parou, Ogier recebeu via rádio a notícia de que era campeão mundial, já que nenhum outro piloto poderia ultrapassá-lo na pontuação.
Thierry Neuville perdeu a roda traseira esquerda (Foto: FIA WRC)
E, mesmo feliz com a conquista, lamentou a forma com que ela veio: "Foi um pouco estranho. Ott parou, recebi uma mensagem e fiquei, 'bem, está feito'. Matou um pouco a emoção do momento. Mas me dê um pouco de tempo e garanto que vou aproveitar mais", disse.

O francês afirmou que é impossível escolher me qual dos títulos ficou mais emocionado: "Todos foram saborosos. Dou valor a todos, porque estou orgulhoso de que desenvolvemos um carro vencedor aqui, após ter o melhor pacote quando estava com a Volkswagen (Ogier, agora, corre com a Ford)."

"Esse título foi diferente, é é legal por causa disso. Como piloto, provei que posso me adaptar e vencer em diferentes condições. Isso me faz feliz. Seis títulos seguidos é algo realmente especial. É difícil encontrar palavras para explicar", completou Ogier.

Aos 34 anos, o francês disputa consecutivamente o WRC desde 2008, quando ficou em 21°. Desde então, sua pior colocação foi um 10° lugar em 2012, o último ano do qual não saiu campeão.