Stock Car

Britânicos, Green e Jarvis se derretem por “icônica” Interlagos em participação na Stock Car: “Pista com caráter e história”

Jamie Green, do DTM, e Oliver Jarvis, do IMSA, participaram da Corrida de Duplas da Stock Car, respectivamente, ao lado de Julio Campos e Antonio Pizzonia, pela Prati-Donaduzzi. E rasgaram elogios à Interlagos, por toda sua história

Warm Up / FELIPE NORONHA, de São Paulo

A tarde de sexta-feira (9) estava bastante ensolarada em Interlagos, pouco após o treino oficial da Corrida de Duplas da Stock Car. Jornalistas e fotógrafos mostravam suas queimaduras após um dia de cobertura, enquanto dois britânicos sorriam enquanto conversavam com o português Filipe Albuquerque. Eles pareciam não ligar para o forte calor, nem se iriam ficar com a pele vermelha. Apenas curtiam estar no Brasil, em São Paulo, em Interlagos.

Quando abordados pela reportagem do GRANDE PRÊMIO, Jamie Green, que corre no DTM, e Oliver Jarvis, do IMSA, atenderam ao pedido de entrevista com notável alegria. Talvez não esperassem ser reconhecidos em um grid com tantas estrelas, ou quisessem, apenas, falar sobre o momento que viviam ali.

Foi a impressão passada quando do primeiro comentário, feito por Jarvis: "Que dia lindo!". E mostrou o braço bastante branco, dizendo que não havia problema em se queimar, que era até bom que isso ocorresse.
Jamie Green (Foto: DTM)
Com o 'gelo quebrado', a dupla britânica, que participou da Corrida de duplas pela Prati-Donaduzzi (Green ao lado de Julio Campos, Jarvis com Antonio Pizzonia), conversou com o GP sobre a importância do autódromo de Interlagos. Na verdade, ambos se sentiram à vontade para 'se derreter' pela pista brasileira. A palavra "icônica", por exemplo, saiu da boca de ambos.

Os dois correram em Interlagos pela primeira vez. "Tem sido surreal pilotar aqui, porque é uma pista icônica. Cresci assistindo vídeos do Ayrton Senna e coisas assim. É divertido, a pista é exatamente a mesma, não mudou nada, o layout da pista é exatamente o mesma em que ele guiou", contou Green.

"Estou amando (guiar em SP)", disse Jarvis. "Queria que tivéssemos mais pistas assim pelo mundo. Pena que cada vez mais constroem pistas chatas, aqui é um pouco que nem Monza, segue durando e boa como sempre foi. Ela tem caráter, tem história", seguiu.
Oliver Jarvis (Foto: Getty Images)
Como britânico, Jarvis ainda reconheceu o tamanho de Interlagos para o mundo do automobilismo: "É uma pista icônica. Como europeu, é uma daquelas pistas que você fica desesperado para tirar da lista (das que nunca correu)", completou.

A participação de ambos na Corrida de Duplas foi boa: Jarvis conquistou o 14° lugar com Pizzonia, enquanto green ficou em 24° ao lado de Campos.  O que fica é o fato de que ambos afirmaram que sonham em voltar ao Brasil - e aproveitar novamente não só a pista, mas também o sol forte.