“Desafiadora e de aprendizado”: como pilotos veem Corrida do Milhão de carros novos

O final de semana de rodada dupla na Stock Car, com o Corolla e o Cruze ainda sem serem completamente entendidos pelo grid, é visto como algo que vai desafiar os pilotos em Interlagos

A Stock Car vai para sua prova mais famosa, no próximo domingo (23), cheia de novidades: a Corrida do Milhão fechará uma rodada dupla, já que sábado receberá outra etapa; os carros, tanto Toyota Corolla quanto Chevrolet Cruze, são novos; e só Goiânia viu a categoria correr esse ano.

A soma de tais fatores torna a busca pelo Milhão (que será doado a entidades assistenciais) imprevisível. Não há resultados o suficiente na temporada para se fazer uma análise sobre favoritismo, tal como não há como saber a resistência dos carros, já que o único exemplo até o momento foi o calor goiano, no qual eles sofreram, mas Interlagos deve entregar dias frios (e com possibilidade de chuva).

Por isso, os pilotos da categoria comentam com ressalvas o que esperam para o final de semana. Em vez da tradicional espera por bons resultados, a conversa desta vez é sobre aprendizado e situações inesperadas.

Thiago Camilo e seus três anéis de vencedor do Milhão (Foto: Ipiranga)

Thiago Camilo, por exemplo, é o maior vencedor da Corrida do Milhão, com três idas ao topo do pódio. Dessa vez, porém, ele crê em mais dificuldades que o usual: “Será um fim de semana extremamente desafiador. O carro novo ainda não foi totalmente desenvolvido, está longe do ideal”, disse.

“Isso se consegue com treino, horas de pista, e só teremos dois treinos de meia hora cada antes de classificar para a corrida de sábado. O entendimento de cada detalhe do que acontece no carro será mais fundamental que nunca para reagir rapidamente e conseguir um bom
acerto”, seguiu.

O formato do final de semana, tal como ele citou, é o seguinte: na sexta-feira, dois treinos livres; sábado, classificação às 9h e corrida às 11h; e o domingo vê a disputa pela pole do Milhão às 8h15h, com a prova às 10h.

Rubens Barrichello é o atual líder do campeonato (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Com pouco tempo de pista e duas corridas em dias seguidos, para o líder do campeonato, Rubens Barrichello, o final de semana será hora de obter mais conhecimento sobre os carros que os pilotos agora têm em mãos: “Não vamos correr uma, mas duas provas, o que torna o fim de semana ainda mais especial.”

“No sábado testaremos pela primeira vez o lastro de sucesso. Eu, como líder, levo o maior peso. Isso ainda é uma novidade. Vamos aprender e ver como vai afetar o carro, o quanto mais lento ele vai ficar, porque afinal de contas é tudo muito novo, mas faz parte. Vai fazer parte de uma estratégia também. Já a Corrida do Milhão vai ter todos em condições iguais. E deve ser uma prova muito disputada e emocionante”, completou o dono do carro #111.

Cacá Bueno é pentacampeão da Stock Car, mas ainda não levou o Milhão (Foto: Bruno Terena/RF1)

Pentacampeão da categoria, mas sem nunca ter vencido a etapa mais famosa, Cacá Bueno se prepara para um “jogo de xadrez” devido ao novo formato: “Porque o piloto precisa desenvolver ao máximo o carro no treino e ao mesmo tempo não pode passar do limite porque logo depois vem a corrida.”

Ele comparou com o Jaguar eTrophy na Alemanha, que também disputou etapas em dias seguidos recentemente: “Foi mais ou menos assim neste mês em Berlim com corridas juntas e cada uma delas com treino classificatório independente – ou seja, sem o resultado da corrida anterior valer o grid. E isso que tornou a dinâmica das provas muito interessante”, analisou Bueno.

Matías Rossi (Foto: Carsten Horst/Hyset)

Em situação completamente oposta à de Bueno, chega Matías Rossi: será a primeira Corrida do Milhão do argentino, estreante na categoria. Por isso, a preocupação dele em termos de entendimento ainda inclui pontos conhecidos pelos rivais de pista, como o botão do push.

“Preciso evoluir nas corridas, porque são muito diferentes das provas na Argentina. A estratégia aqui conta muito, além da boa utilização do push. Os pilotos da categoria já entendem muito bem os momentos corretos para acioná-lo”, falou Rossi.

Ricardo Zonta (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Vencedor da primeira prova do campeonato, a corrida 1 em Goiânia, Ricardo Zonta sabe que, mesmo com triunfo, ainda não é possível dizer que domina o novo carro. Por isso, mesmo na briga pela liderança, ele ainda quer aproveitar os treinos para colher informações sobre o que o Corolla entrega.

“Será um fim de semana muito importante para a pontuação. Serão duas etapas, importante não cometer erros, tentar fazer todos os treinos bem tranquilos, colhendo o máximo possível de informações, principalmente em relação ao desgaste de pneus e do carro”, comentou, lembrando que diversos pilotos tiveram problemas com tais fatores na pista goiana.

“Queira ou não, são duas etapas com pouco tempo de revisão de todo o equipamento. É muito importante ter uma constância e ser bem rápido”, concluiu o paranaense.

O GRANDE PRÊMIO faz cobertura completa das duas etapas da Stock Car em Interlagos, começando com os treinos livres de sexta-feira.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube