Stock Car

Desfalcada de Abreu, Shell vai aos pontos com Zonta, Di Mauro e Osman em corrida ‘lotérica’ no Velopark

Enquanto Átila Abreu se recupera de uma fissura na vértebra L2 por conta de um acidente na classificação de sábado, Ricardo Zonta, Gaetano di Mauro e Galid Osman sofreram com as condições incertas da pista e arriscaram na estratégia. No fim das contas, os três terminaram na zona de pontuação, com o curitibano sendo o melhor colocado, em 11º

Grande Prêmio, do Velopark / Redação GP, de Sumaré
Loteria. Assim é possível definir a corrida 500 da história da Stock Car, que representou também a abertura da temporada 2019 da principal categoria do automobilismo brasileiro neste domingo (7), no Velopark. O clima incerto por conta da chuva, grande protagonista de todo o fim de semana, fez com que as equipes se arriscassem com estratégias bem distintas. A vitória nesta manhã ficou com Daniel Serra, que optou pela melhor decisão para depois da janela de pit-stops ao optar pelos pneus de pista seca. 
 
A estratégia também determinou o resultado dos três pilotos da Shell que correram neste domingo. Enquanto Átila Abreu se recupera da lesão na vértebra, resultado de um forte acidente na classificação no sábado, Ricardo Zonta, Gaetano di Mauro — na sua primeira corrida como titular da Stock Car — e Galid Osman terminaram na zona de pontuação em Nova Santa Rita. Um dos mais experientes do grid, Zonta foi o 11º colocado. Gaetano cruzou a linha de chegada em 14º, enquanto Osman completou a lista dos 20 pilotos que pontuaram no Velopark.
 
A corrida começou a ser definida quando restavam 24 minutos para o fim da corrida. Neste momento, justamente quando se abria a janela para o pit-stop obrigatório, começou a chover de forma mais forte no circuito, e a decisão de boa parte das equipes pareceu lógica: chamar seus pilotos para trocar os pneus slicks pelos de chuva. Foi um momento de grande movimentação no apertado pit-lane do circuito gaúcho. Tanto Zonta como Di Mauro e Osman estiveram entre os pilotos que fizeram a troca dos slicks para os pneus de chuva.
Ricardo Zonta e Gaetano di Mauro (Foto: José Mário Dias/Shell)
Só que o clima pregou mais uma das suas peças no fim de semana, e a chuva parou de forma repentina. Assim, quem optou por retardar sua parada apostando na pista seca acabou levando vantagem, como o próprio Serra e Ricardo Maurício, por exemplo. Galid Osman, por exemplo, chegou a fazer uma segunda parada, voltando para os pneus slicks, e terminou em 20º lugar, marcando um ponto. Na sua primeira corrida como piloto da Shell Helix Ultra na Stock Car, Di Mauro somou sete pontos, enquanto Zonta marcou dez tentos com o 11º lugar.
 
Ao término da prova, o piloto da Shell V-Power, chefiada por Thiago Meneghel, ressaltou as dificuldades enfrentadas na jornada deste domingo.
 
“Meu grupo não andou no seco nos treinos, e as cinco voltas que eu dei no seco foram com pneu zero, então não sabia do desgaste dos pneus e o balanço que ia ter na corrida. Na terceira, quarta volta, quando o pneu novo começou a desgastar, ficou muito difícil de guiar o carro. Por muitas voltas tentei permanecer no traçado, mesmo assim, a traseira me levava para fora, e virei passageiro dos outros carros. Quando abriu o pit, coloquei pneu de chuva, o que para aquele momento era a estratégia”, explicou Zonta.
 
“Mas depois de dez voltas já secou de novo, e talvez a estratégia mais certa fosse parar. Agora é fácil falar, mas podia voltar a chover. Saí daqui com pontos muito importantes e vamos trabalhar para conhecer melhor os pneus novos para a próxima corrida”, concluiu o curitibano.
Galid Osman (Foto: José Mário Dias/Shell)
Para Di Mauro, o mais importante no fim de semana foi poder mostrar um bom desempenho, o que ficou evidente na classificação complicada de sábado, ainda que tivesse também lamentado pela estratégia adotada durante o pit-stop.
 
“Foi uma estreia positiva. A equipe trabalhou muito por mim neste fim de semana. Nos dedicamos muito para ter um bom resultado na classificação, com uma estratégia muito boa o tempo todo. Corremos um risco na corrida, o que é normal. Se desse certo, poderíamos estar na frente. Infelizmente, não foi a nossa vez, mas é assim. Ganhamos e perdemos juntos. Estou muito contente e tenho certeza de que o ano todo será positivo”, disse o jovem piloto do time chefiado por Maurício Ferreira.
 
Por sua vez, Galid também deixou claro que poderia ter melhor sorte caso a chuva não tivesse parado naquele momento crucial da prova.
 
“Vinha num bom ritmo. Estava em 16º depois de largar de 18º. Estava atrás de um trenzinho de seis, sete carros, num ritmo muito bom. Mas começou a chover e parei logo, o que na hora foi muito acertado, iríamos nos dar muito bem. Mas logo depois parou de chover e fui muito penalizado, só me restou seguir na pista”, explicou.
 
“Tentei colocar o pneu slick no fim, mas não deu tão certo. De qualquer forma, saí com um pontinho, e agora é pensar no restante do campeonato”, complementou Galid.
Átila Abreu ficou fora da corrida deste domingo no Velopark (Foto: José Mário Dias/Shell)
A recuperação de Átila
 
Pouco depois do acidente sofrido no Velopark, Átila Abreu foi encaminhado para um hospital em Porto Alegre para ser examinado. Os médicos diagnosticaram uma fissura na vértebra L2. O sorocabano ficou sob observação e teve alta nesta manhã depois de ter passado a noite na capital gaúcha, voltando para São Paulo antes mesmo da largada.

 
O piloto não teve como usufruir do Fan Push que ganhou ao ser um dos seis pilotos mais votados pelos fãs da Stock Car para a corrida deste domingo no Velopark. Antes de voar de volta para Sorocaba, Abreu escreveu nas redes sociais uma mensagem agradecendo aos fãs e médicos pelo apoio e para reforçar sua confiança em poder participar da etapa do VeloCittà, a próxima da Stock Car, no próximo 5 de maio.
 
“Sábado saí da pista com dor nas costas e, depois de passar por exames, foi constatada uma fissura na vértebra L2, e os médicos não me autorizaram a competir. Obrigado ao Dr. Dino Altmann, Dr. Alexandre Fucks, Dr. Dorival Carlucci e toda a equipe médica que fez ótimo atendimento e me deu todo o suporte. Obrigado também a todos que mandaram mensagens e votaram em mim no Fan Push. Tive de fazer um pit-stop não programado, mas voltaremos ainda mais motivados no VeloCittà”, escreveu o piloto da Shell V-Power.