Stock Car

“Fiz o que pude”: Fraga ressalta espírito de luta na decisão e admite que Serra “merece muito” título

Felipe Fraga prometeu e cumpriu: lutou até o fim pelo título da Stock Car em 2018. De 18º no grid de largada para quinto na etapa decisiva do campeonato, em Interlagos, o piloto da Cimed terminou logo atrás do seu grande adversário no ano e, agora, bicampeão, Daniel Serra

Warm Up, de São Paulo / FERNANDO SILVA, de Interlagos
Ciente que não tinha feito uma boa classificação no sábado, Felipe Fraga entendeu que a sua caminhada rumo ao título da Stock Car havia ficado mais difícil em Interlagos. Mesmo assim, prometeu que lutaria do início ao fim da prova derradeira de 2018. E foi isso o que aconteceu na manhã de domingo (9). Aguerrido, o piloto da Cimed largou na 18ª colocação e foi escalando o pelotão para tentar o melhor resultado possível e torcer por um revés de Daniel Serra para levar o título.
 
A taça ficou com o agora bicampeão da Stock Car, que cruzou a linha de chegada em quarto. Fraga ressaltou o trabalho do seu grande adversário ao longo do ano, bem como de toda a equipe RC Eurofarma, chefiada por Rosinei Campos, o ‘Meinha’. 
 
“Depois que fiz uma má classificação, o objetivo era ficar entre os sete, que era o que me dava o campeonato caso ele abandonasse, e a gente chegou em quinto. Então acho que fiz o que pude, e aí ele fez um bom trabalho, um bom resultado de novo, dele e da equipe”, analisou o dono do carro #88 ao GRANDE PRÊMIO, naturalmente chateado por não ter levado o bicampeonato.
Felipe Fraga e o troféu de vice-campeão da Stock Car em 2018 (Foto: Duda Bairros/Stock Car/Vipcomm)
“Então é dar os parabéns para o Serra e a equipe: eles mereceram, não tiveram deslizes durante o ano — apenas um, em Cascavel —, mas a equipe dele trabalhou 100% o ano inteiro, ele também. Ele merece muito esse bicampeonato e espero que ano que vem eu possa estar aqui disputando o título, seja com ele ou com quem for”, acrescentou.
 
Em que pese o gosto amargo por se ver sem o título neste ano, Fraga destacou o trabalho feito ao longo da temporada. Ao fim da etapa de Santa Cruz do Sul, por exemplo, Felipe estava a 60 pontos de Serra, que liderou o campeonato do início ao fim. 
 
Com a vitória na corrida 1 disputada no Velo Città, Fraga encurtou a diferença para apenas oito pontos, mas após o duplo revés em Londrina o cenário ficou mais difícil ao mais jovem campeão da Stock Car, que se mostrou orgulhoso do que alcançou em 2018 como piloto. Neste ano, Felipe conquistou sua 15ª vitória, que veio no fim de semana da sua 100ª corrida na Stock Car. Tudo isso com apenas 23 anos e cinco temporadas na categoria.
 
“Foi um ano bom. Teve muitos imprevistos que não pude controlar durante a temporada. Cheguei a estar quase 60 pontos atrás dele e, mesmo assim, cheguei aqui na disputa, então estou muito feliz. Acho que, com quatro anos de Stock Car, chegar ao segundo disputando o título para mim é muito gratificante, mostra que a gente está trabalhando do jeito certo”, sublinhou Fraga.
 
“É muito difícil ser campeão, são detalhes que faltam, então é continuar focado no ano que vem e, se Deus quiser, estar competitivo de novo”, finalizou o dono de três vitórias, duas poles em corridas 1 e 310 pontos, ficando a apenas 28 de Serra ao término da temporada 2018 da Stock Car.