Pilotos da Shell se animam com mudanças, mas lastro preocupa líder Zonta em Londrina

Líder da Stock Car em 2020, Ricardo Zonta vai carregar 30 kg de lastro em seu carro em Londrina. Assim, analisou o tipo de dificuldade que espera encontrar

Com duas vitórias na temporada, incluindo a Corrida do Milhão, Ricardo Zonta vai para a próxima etapa, em Londrina, com algo a mais em seu carro: o lastro de 30 kg, peso que aquele que ocupa o topo da classificação usa obrigatoriamente em 2020 na Stock Car.

Por isso, o piloto da Shell e da RCM analisa o que espera encontrar de dificuldades graças ao peso extra no #10 no próximo final de semana, na quarta etapa do ano.

“Em Londrina o lastro faz muito efeito porque tem subida na entrada da reta e e descida nas freadas, e nisso os 30 quilos acabam causando muita interferência”, disse.

“Mas o mais importante é chegar lá com isso no fim de semana e focar para solucionar esse problema com o acerto. É uma pista que tem muito desgaste de pneu por causa das pedras nas curvas, e que, dependendo do traçado que você faz, interfere muito no tempo da volta por causa das pedras. É fazer o melhor trabalho possível para coletar o máximo possível de pontos”, completou o líder, que tem 82 no momento, quatro a mais que César Ramos.

Ricardo Zonta com o troféu da Corrida do Milhão (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Já os outros pilotos da Shell têm esperança de melhora no campeonato com a chegada à pista londrinense. Todos contam com acertos e mudanças em seus carros para evoluir na pontuação. Átila Abreu, por exemplo, cita que diversas modificações foram feitas em seu #51 da Crown.

“Estou bem ansioso para colocá-las em prática e poder testá-las. Junto a isso, soma-se a liberação do pacote de performance para tentar equalizar os carros da Chevrolet em relação aos da Toyota. O pacote 1, que é o de asa, assoalho e mais alguma coisa, vamos utilizar. O pacote 2, que na nossa opinião é até o mais expressivo, que é o da altura, será difícil de usar em Londrina porque é uma pista com muitas zebras, o carro pega muito embaixo; vamos tentar, mas é bem difícil porque Londrina é um dos carros mais altos que usamos”, contou Abreu.

“Mas achamos que, de fato, é a primeira pista do calendário que na teoria tende a equalizar um pouco mais os carros. Vai ser um tira-teima para vermos se em pistas mais de baixa o Chevrolet conseguem acompanhar os Toyota. Difícil falar sem ter os gráficos, não somos uma equipe com os dois carros. Mas temos de fazer o nosso trabalho para ser o melhor Chevrolet, ainda não somos, estamos em terceiro entre estes, temos margem para evoluir. Confio muito no trabalho que a equipe tem feito para dar esse salto e crescer na tabela do campeonato”, completou. Abreu é o atual oitavo colocado, com 44 pontos.

Átila Abreu, Shell, Stock Car, Interlagos (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Átila Abreu (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Sete posições abaixo na tabela vem o companheiro de Abreu na Crown/Shell, Galid Osman. E este é outra que confia em melhoras no carro para a prova no Paraná.

“Estou bastante animado, só precisamos resolver um problema nos freios. A equipe vem trabalhando muito, trocaram todos os pedais de freios dos carros para tentar melhorar. Então acho que vai ser um bom fim de semana, e vamos para cima”, comentou.

O carro de Galid Osman (Foto: José Mário Dias/Shell)

Por fim, Gaetano Di Mauro tenta tirar seu carro da Vogel da parte de baixo da classificação. No momento, ele é o 20°, com 18 pontos – é importante lembrar, porém, que antes da etapa decisiva o pilotos podem descartar três resultados.

“Temos muitas coisas a fazer e desenvolver no carro, estamos um pouco para trás nos acertos, mas tenho certeza de que é uma pista na qual, se conseguirmos uma boa configuração, será um caminho para as outras pistas. Então, vamos batalhar o máximo para encontrá-la, que é o foco que precisamos agora. Se der tudo certo, vamos em busca de um pódio. Com certeza, o mais importante é buscar a configuração correta para Londrina” concluiu Di Mauro.

Gaetano Di Mauro na segunda etapa da temporada 2020 (Foto: José Mário Dias/Shell)

Os pilotos da Shell começam a andar na pista paranaense na próxima sexta-feira (11), às 13h, para o primeiro treino livre da etapa – que tem duas corridas no domingo. O GRANDE PRÊMIO faz cobertura completa.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube