Stock Car

Por sorteio de capôs, Barrichello e outros pilotos da Full Time são excluídos do Fan Push em Interlagos

Rubens Barrichello, Nelsinho Piquet e Diego Nunes estão inelegíveis na votação do último Fan Push da temporada. A CBA puniu a Full Time por colocar como premiação o capô dos carros dos pilotos para atrair votos para o botão de ultrapassagem extra
Warm Up, de São Paulo / FERNANDO SILVA, de Interlagos
 Rubens Barrichello (Foto: Fernanda Freixosa/Stock Car/Vipcomm)
O fim de semana da decisão do título da Stock Car começou com polêmica. A Full Time, equipe chefiada por Maurício Ferreira e que conta com Rubens Barrichello, Nelsinho Piquet, Ricardo Maurício e Diego Nunes como pilotos, foi punida com a exclusão do Fan Push da etapa final em Interlagos por decisão da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo). A equipe ofereceu aos fãs que votassem em cada um dos competidores a chance de participar de um sorteio para ganhar o capô dos carros. O item, contudo, não faz parte do que é permitido pelo regulamento desportivo e, por isso, Barrichello, Piquet e Nunes não podem ganhar o botão de ultrapassagem extra neste domingo (9).
 
No caso de Maurício, o capô do seu carro #90 patrocinado pela Eurofarma não esteve entre os ofertados pela equipe. Portanto, o bicampeão segue na lista dos votantes para o Fan Push final da temporada.
 
O Fan Push determina papel importante na definição do resultado de muitas corridas, muitas vezes influenciando até no vencedor, como foi no caso de Átila Abreu, que acionou o botão de ultrapassagem extra para ultrapassar Thiago Camilo e faturar a vitória na corrida 2 em Santa Cruz do Sul, por exemplo.
Habitué das eleições do Fan Push, Barrichello não vai poder ser votado na etapa final de 2018 (Foto: Fernanda Freixosa/Stock Car)
Diz o Regulamento Desportivo da Stock Car, no adendo nº 02, que estão permitidos os seguintes itens para que equipes e pilotos, por meio das redes sociais, possam ofertar aos fãs que participarem da eleição: ingressos para a Stock Car, meet & greet com pilotos — almoço ou jantar ou uma carona —, macacão do piloto e/ou equipe, par de luvas do piloto/equipe, balaclava personalizada do piloto/equipe, boné do piloto/equipe, camisa/camiseta do piloto/equipe.
 
Também fazem parte da lista: caneca do piloto/equipe, squeeze de piloto/equipe, carros em miniatura do piloto/equipe — desde que seja da Stock Car —, volta rápida no evento, jaqueta do piloto/equipe, transfer ao local da corrida, ingressos para uma disputa de kart, chaveiros de pilotos/equipes, mochila e similares de piloto/equipe, cinto de piloto/equipe, Anuário Stock Car e kit automotivo da Stock Car.
 
A proposta da CBA, em conjunto com a Vicar, foi impedir que pilotos pudessem sortear prêmios que não envolvem o esporte, como telefones celulares e outros artigos que não sejam parte do universo da Stock Car. Contudo, os capôs que a Full Time colocou à disposição para sorteio não fazem parte da lista e, portanto, a determinação da norma se cumpriu: “Pilotos que não cumprirem as regras acima serão inelegíveis ao Fan Push da etapa em questão, sendo bloqueados e perdendo os votos já realizados”.
 
O caso remete a outras ocorrências do tipo que já aconteceram ao longo da temporada, como com Guilherme Salas, que sorteou um conjunto de repelentes do seu patrocinador. O jovem piloto acabou sendo retirado da votação do Fan Push da etapa em questão.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Sobre a promoção do Fan Push: Fomos avisados na tarde desta sexta-feira que 3 de nossos 4 pilotos (@rubarrichello, @piquetjr e @nunes_stock_car) foram excluídos da votação por termos desrespeitado o regulamento ao oferecermos em nossa promoção do Fan Push, no domingo 02/12, o sorteio dos capôs dos seus carros após a corrida. No início da semana já havíamos sido punidos pela organização do evento com a perda de todos os votos recebidos até então, além de termos ficado inelegíveis por 24h. Fomos autorizados a retornar para a votação a partir de quarta e obrigados a desvincular o sorteio dos capôs com a promoção do Fan Push - o que fizemos prontamente. Hoje porém a punição veio pela CBA que os excluiu definitivamente da votação, mesmo sem nenhum dos pilotos ter recebido qualquer voto vinculado aos capôs. Lamentamos por nossos pilotos e aproveitamos para agradecer todos que votaram e enviaram os prints para participarem da promoção. Aproveitamos também para esclarecer que nossa intenção principal não é ganhar o Fan Push e sim nos aproximar dos fãs e promover a categoria que tanto amamos! Nossos sorteios ocorrerão normalmente na próxima quarta-feira (12/12). Para quem ainda não está concorrendo aos capôs, corre lá no post (somente no Instagram) para participar! E continuem votando no Ricardinho Maurício, ele continua no páreo! @ricardo_mauricio_90

Uma publicação compartilhada por Full Time Sports (@fulltimesports) em

 
A polêmica sobre o sorteio dos capôs da Full Time foi tema do briefing dos pilotos na última quinta-feira, que questionaram a confederação e também o CEO da Stock Car, Rodrigo Mathias, sobre a punição à equipe. Isso porque, em princípio, a decisão da Vicar, empresa que promove e organiza a categoria, havia sido apenas a exclusão dos votos aos pilotos antes da retirada da promoção do ar, mas com a permissão para seguir participando da votação. Diante dos questionamentos, a regra foi cumprida pela CBA e oficializada na tarde de sexta-feira. 

Também na sexta-feira, o GRANDE PRÊMIO conversou com Carlos Col, que volta à Stock Car como presidente do Conselho de Administração da Vicar. O dirigente, grande responsável pela profissionalização da categoria, disse que vai estudar o tema e não descarta alterações no procedimento do Fan Push.

“Como ideia geral, gosto, acho interessante. Vou confessar a você que desconheço o regulamento, as regras, não tive nem curiosidade anteriormente de ler e de avaliar. Talvez seja necessário algum aperfeiçoamento para evitar polêmicas, como escutei neste fim de semana. Acho que a gente já tem muito trabalho para resolver, então não queremos comprar mais problemas, não. Então, pretendo, a partir de janeiro, estudar tudo isso, e ver se é o caso de a gente fazer algum tipo de aperfeiçoamento”, declarou Col.