Suzuki reitera confiança na Full Time após desclassificação em Curitiba: “Confio 200%”

Rafael Suzuki reitera confiança total na Full Time em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO e garante que não houve adulteração no combustível utilizado na etapa do anel externo de Curitiba

A decepção de Daniel Ricciardo com um GP da Hungria fraco (Vídeo: F1)

Após um fim de semana com triunfos por conquistar a primeira pole-position da carreira, vencer a corrida 1 e ser o ‘Man of The Race’ da etapa, Rafael Suzuki deixou o anel externo de Curitiba com um sentimento amargo. Horas após a rodada dupla, o piloto da Full Time foi desclassificado da etapa por conta de irregularidades no combustível.

Em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO, o dono do carro #8 lamentou o ocorrido, mas disse confiar “200%” no trabalho da equipe – que, por sua vez, já declarou que irá recorrer à decisão da CBA “em todas as instâncias jurídicas” por garantir que não houve nenhuma adulteração no combustível. Além disso, Suzuki afirmou que a alteração da porcentagem encontrada, não influencia no desempenho do carro na pista.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Sigo a mesma linha da equipe de que a gente não vai dizer muito, porque ainda está em período de estratégia de defesa, então acho que não é o caso. Mas uma coisa é certeza: eu confio 200% na índole da equipe. Tenho certeza absoluta de que não houve nenhum tipo de adulteração por nossa parte. Conheço a equipe, moro perto da oficina, tenho uma convivência quase que diária com eles e posso garantir que não houve má-fé”, declarou Suzuki.

“E para os mais entendidos de motores, de automobilismo, de quem sabe, sabe que essa porcentagem, o que foi alegado, não dá ganho de performance. Não é como um carro de rua, flex que você troca um combustível pelo outro. Lá na Stock Car, os motores são controlados pela JL, não é tão simples assim. Simplesmente trocar o combustível para aumentar a performance. Então, para aqueles que fazem comentários ácidos, dizendo que a gente ganhou por causa disso, eu lamento. Mas não posso me abalar, porque tenho certeza que a equipe dorme com a consciência tranquila, assim como eu”, seguiu.

Rafael Suzuki perdeu a vitória da corrida 1 no anel externo de Curitiba (Foto: Duda Bairros/Vicar)

“Na classificação, quando fizemos a pole, a gente passou por essa mesma vistoria, com um combustível que é fornecido pela organização. Não deram nenhum esclarecimento, mas falando da parte mais esportiva, a vistoria não acontece só depois da corrida, acontece sempre. Não quero polemizar, mas esclarecer do ponto de vista esportivo”, revelou Suzuki.

Mesmo com o revés na pista paranaense, o piloto de 33 anos não deixou de reconhecer a boa forma que apresentou na sétima etapa da temporada – segundo ele, a melhor até aqui. Na corrida 1 foi ao lugar mais alto do pódio e, na segunda prova, chegou na quinta posição. 

“Foi um fim de semana muito bom, claro, o meu melhor na Stock Car, sem dúvida nenhuma. Eu sabia que, largando da pole tinha essa responsabilidade de brigar pela vitória e, numa disputa boa e justa com o Daniel Serra, eu consegui. Acho que a gente estava com os pés no chão na corrida 1 e conseguimos colher bons frutos na corrida 2 também, não pensamos só em uma corrida. Foi essencial para que a gente conseguisse conquistar o nosso objetivo, que era somar o máximo de pontos possível”, concluiu.

No entanto, com a desclassificação, vale lembrar que Suzuki perdeu todos os pontos conquistados, até os dois tentos equivalentes a sua pole-position. Neste momento, o #8 é o 17º colocado na classificação geral, que tem Daniel Serra, líder, com 245 pontos.

O QUE É O ACORDO DE CAVALHEIROS DA F1 E POR QUE ELE É UM PROBLEMA | GP Notícias


GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar