Zonta celebra seguir vice-líder mesmo “sem ar-condicionado em dia muito quente”

Com um carro novo que, de fato, é mais quente que o anterior, a Stock Car tem sido desgastante fisicamente aos pilotos. E Ricardo Zonta comentou tal situação ao analisar a manutenção da vice-liderança após rodada dupla no Velocitta

Ricardo Zonta chegou ao Velocitta como vice-líder, e sai da pista do interior de São Paulo neste domingo (18) na mesma posição: o piloto da RCM e da Shell segue em segundo na classificação da Stock Car 2020, só atrás de Cesar Ramos, após ser 12° na corrida 1, mas quarto na prova que fechou a sétima etapa da temporada.

Para Zonta, um resultado a ser celebrado, devido às dificuldades que encontrou em Mogi Guaçu – como, por exemplo, o calor. Ele revelou que correu sem o ar-condicionado em seu #10, já que isso significaria mais peso extra além do lastro de 25 kg obrigatório ao vice-líder.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Foi uma corrida muito desgastante, muito quente. Em meu carro não usei ar condicionado, e o carro é muito mais quente do que no ano passado, faz um desgaste muito grande no carro. Eu, que estava carregando 25 kg, sem ar condicionado, que seriam mais 7 kg, optei por tirar para não nos prejudicar”, contou.

“Consegui me manter ali para sair com os mesmos pontos que eu cheguei, em termos de diferença do líder (Ramos tem 172, contra 158 de Zonta). Temos uma constância muito boa no campeonato. É claro que queremos chegar e ganhar corridas, mas às vezes tem de marcar ponto também”, seguiu Zonta.

Átila Abreu (Foto: José Mário Dias/Shell)

Já Átila Abreu conseguiu se manter no top-10 da classificação, com o nono posto, mesmo sem pontuar na corrida 1 no Velocitta. Mesmo assim, saiu com gosto amargo da pista, pois sente que poderia ter conquistado mais.

“Saio muito chateado porque poderia ter somado bons pontos, o carro não tinha performance para brigar por um pódio, mas poderia brigar pelos 10 na primeira corrida e fazer outro top-10 na segunda, para crescer um pouco mais no campeonato. Infelizmente, um adversário me tirou de maneira perigosa, no meio da reta, ainda nas primeiras voltas (Denis Navarro, que foi punido). Entortou todo o meu carro, tive sorte de não bater no muro ou nenhum outro carro bater em mim em posição de T”, comentou.

” Mas desalinhou o carro inteiro, optamos por abandonar a primeira corrida para tentar alinhar um pouco e salvar alguns pontos na segunda, que foi o que fizemos. Mesmo assim, faltava um pouco de performance, se tivesse eu poderia ter chegado entre os cinco, era totalmente plausível. É continuar tentando entender porque estamos sofrendo tanto com o acerto. Ainda bem que salvamos uns pontos”, completou o sorocabano.

Galid Osman (Foto: José Mário Dias/Shell)

Galid Osman, por sua vez, pontuou nas duas provas, mas sente que poderia ter ido melhor em uma etapa na qual chegou a liderar um treino livre, o primeiro.

“O fim de semana começou bem, com a liderança nos treinos livres, e acabou com o carro todo torto. Larguei no meio do grid, e largar no meio do grid é isso. Toques toda hora, tentei fazer a primeira corrida sem encostar em ninguém para cuidar bem do carro, mas foi bem difícil.”

“Agora é pensar na próxima, Curitiba eu sempre andei muito bem, estou bem animado para a próxima. Já fiz pole lá, é uma pista em que sempre andei bem, então vamos focar”, finalizou.

Gaetano Di Mauro (Foto: José Mário Dias/Shell)

A Shell ainda teve, claro, Gaetano Di Mauro, que acabou abandonando as duas corridas em Mogi Guaçu: “O domingo já começou com problema na abertura de box, estava sem bateria no carro e tive de largar dos boxes na corrida 1. Largando dos boxes, não tem muito o que fazer. Depois, comecei a ter um problema de freio, começou a descer o pedal e tive de abandonar.”

“Para a corrida 2 estava tudo pronto para fazermos uma boa corrida, como sempre fazemos. Eu estava bem posicionado, com os quatro pneus bons, mas fiquei sem freio na quarta volta da corrida, tive de abandonar”, concluiu o mais jovem do quarteto.

A Stock Car volta nos dias 7 e 8 de novembro, em Curitiba, com duas etapas – separadas no sábado e no domingo. O GRANDE PRÊMIO faz cobertura completa.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube