Retrospectiva 2020: Toyota é campeã na despedida do WEC. Elliott leva na Nascar

Nas mais diferentes categoria ao redor do mundo, o turismo entregou campeões inéditos e velhos conhecidos, além de ter feito brasileiros brilharem e trazerem o caneco ao país

Chegado o final do ano, é a oportunidade de fazer os balanços e relembrar alguns dos principais resultados das categorias ao redor do mundo. Mesmo com a pandemia do coronavírus exercendo grande papel nos mais diversos certames, organizações, pilotos e equipes conseguiram entregar bons shows aos fãs.

No turismo, houve títulos inéditos, outros campeões já conhecidos e brasileiros que brilharam em diferentes campeonatos de diferentes formatos. Chase Elliott tratou de se firmar na Nascar, enquanto Sébastien Ogier mais uma vez levantou o caneco. Helio Castroneves e JP de Oliveira trouxeram o título para terrar tupiniquins. Confira abaixo o que de principal aconteceu no mundo das quatro rodas.

Mundial de Endurance

Em seu ano de despedida do Mundial de Endurance, a Toyota o tratou de fazer em grande estilo. Nas oito etapas disputadas no calendário 2019/20, o carro guiado por Mike Conway, Kamui Kobayashi e José María López, o #7, trataram de vencer quatro delas. Não bastando, terminaram no top-3 em todas as provas disputadas.

Portanto, não é absurdo pensar que o título da principal classe, a LMP1, ficou nas melhores mãos possíveis – e também nas mais regulares. Mas a fábrica japonesa fez barba, cabelo e bigode, pois Sébastien Buemi, Brendon Hartley e Kazuki Nakajima, o trio do #8, também subiu ao pódio em todas as corridas e assegurou o vice-campeonato – com direito a triunfo nas 24 Horas de Le Mans.

WEC; PECHITO LÓPEZ; KAMUI KOBAYASHI; MIKE CONWAY;
O trio campeão do Mundial de Endurance (Foto: Toyota Gazoo Racing)

Já na GTE Pro, a briga ficou totalmente nas mãos da Aston Martin. Marco Sorensen e Nicki Thim chegaram a vacilar e ficar fora do pódio algumas vezes, mas a regularidade trouxe à dupla o título da classe. Na GTE Am, Filipe Albuquerque e Philip Hanson foram os grandes campeões. Fechando as categorias, Emmanuel Collar, Nicklas Nielsen e François Perrodo Perrodo colocaram as mãos no caneco.

Entre os brasileiros, Bruno Senna foi o melhor colocado. Defendendo a Rebellion na principal classe, o competidor encerrou o ano no terceiro posto. Na mesma categoria, André Negrão foi o 11º – o piloto também disputou na LMP2, onde fechou em oitavo. Daniel Serra correu as duas últimas etapas do calendário, sendo pódio em Le Mans, e ficou em 14º na GTE Pro. Por fim, na GTE Am, Felipe Fraga encerrou o ano como 17º e Augusto Farfus, que disputou duas provas, em 23º.

SportsCar

Na SportsCar, um nome bastante conhecido nos Estados Unidos ficou com o título de 2020. A campanha de Helio Castroneves e Ricky Taylor pode não ter começado forte, com dois oitavos e um sétimo lugares nas três primeiras etapas, mas depois a dupla encaixou uma sequência de três triunfos, um pódios, outra vitória e encerrou a classificação no topo na principal divisão da categoria.

Já na classe Le Mans, Patrick Kelly não chegou a disputar Daytona, mas isso não foi suficiente para tirar a coroa do norte-americano. Enquanto isso, na GT Le Mans, Antonio García e Jordan Taylor levaram o caneco. Fechando as divisões, a GT Daytona teve a dupla Mario Farnbacher e Matt McMurray como os triunfantes.

Pipo Derani fechou o ano no quarto posto da principal classe da IMSA, enquanto Felipe Nasr, sua dupla, foi sétimo – o brasiliense perdeu a segunda etapa do ano. Matheus Leist, também na mesma categoria, correu cinco provas e foi 11º. Na GT Le Mans, Augusto Farfus correu apenas três disputas, mas venceu uma – Daytona, e subiu ao pódio nas demais, encerrando o campeonato em sétimo. A sexta colocação em Daytona garantiu o 16º lugar para Daniel Serra na GT Le Mans. Felipe Fraga também correu só a abertura do calendário, fechando a prova em 11º.

RICKY TAYLOR; HELIO CASTRONEVES; MID-OHIO; IMSA; SPORTSCAR;
Ricky Taylor e Helio Castroneves conquistaram o título no IMSA SportsCar (Foto: Team Penske)

DTM

A temporada 2020 do DTM, principal categoria do automobilismo alemão, começou diferente. Não apenas pelo coronavírus ou por não ter a W Series como evento suporte, mas foi a primeira desde 2011 que contou com apenas duas fábricas no grid – Audi e BMW. Ainda, marcou o último campeonato da marca baseada em Ingolstadt.

René Rast e Audi entraram no ano como os atuais campeões e com missão de defender a coroa. A tarefa não foi difícil, com o competidor sendo o maior vencedor da temporada – foram sete vitórias e 13 pódios nas 18 corridas disputadas no calendário. Nico Müller foi quem terminou com o vice-campeonato com 23 pontos de desvantagem.

Vale também lembrar que entre as primeira e segunda etapas, o competidor de 34 anos cumpriu jornada dupla ao defender a equipe alemã na Fórmula E na rodada sêxtupla em Berlim. Rast chegou a conseguir um pódio na penúltima prova.

Nascar

Chase Elliott foi o grande nome da temporada 2020 da Nascar. Correndo pelo sexto ano na principal divisão da categoria norte-americana, o piloto da Hendrick Motorsports teve ano regular e foi presença constante no pódio para assegurar seu primeiro título na Cup Series – o competidor já havia assegurado o caneco na divisão da Nationwide em 2016.

A campanha do piloto começou bastante lenta, conseguindo apenas a 17ª colocação nas 500 Milhas de Daytona e 28º na prova seguinte. O primeiro triunfo veio apenas na oitava etapa e desde então, subiu mais quatro vezes ao degrau mais alto do pódio – nos estágios, triunfou dez vezes. Ainda, foram oito vezes que cruzou a linha de chegada dentro do top-3.

Elliott também foi vítima de muitos azares ao longo da temporada, mas nada que o impedisse de sagrar-se campeão ao final do ano. Inclusive, na última etapa, teve de largar em último após falhar nas inspeções pré-corrida por duas vezes, mas liderando 153 voltas da prova, assegurou o caneco, se tornou o terceiro campeão mais jovem da Nascar aos 24 anos e forma a terceira dupla de pai e filho que levantam o caneco da categoria.

Chase Elliott é o mais novo campeão da Nascar (Foto: Nascar Media)

Mundial de Rali

Não foi apenas aFórmula 1 que coroou um heptacampeão em 2020. Na última etapa de 2020, o Rally de Monza, Sébastien Ogier e seu navegador Julien Ingrassia garantiram a vitória para assegurar nada menos que o sétimo título. A dupla é a primeira a sagrar-se campeã por três marcas diferentes – Volkswagen, Ford e Toyota.

Elfyn Evans chegou à decisão do campeonato na liderança da classificação. Entretanto, com problemas durante a disputa italiana, o competidor, junto com Scott Martin, tiveram de se contentar com a segunda colocação. Ott Tänak também estava na briga pela coroa, mas fechou o ano no terceiro posto.

SuperGT

O ano de 2020 também foi de glórias para o Brasil, mas do outro lado do mundo. Disputando a 15ª temporada no Super GT, categoria japonesa, a segunda na classe GT300, João Paulo de Oliveira sagrou-se campeão, seu primeiro título no certame nipônico. O brasileiro dividiu o carro Kiyoto Fujinama e mesmo em uma temporada com apenas oito etapas e que ficou fora da zona de pontos em duas, os três pódios e duas vitórias garantiram a conquista do caneco.

JP de Oliveira foi campeão no Japão (Foto: Reprodução)
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar