Outras
10/02/2015 11:49

Governo do DF desmente CBA e nega liberação de verba para conclusão de reformas em Brasília

Ao contrário do que informou a Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) na última sexta-feira, o governo do Distrito Federal não autorizou o repasse de verba para a conclusão das obras no Autódromo Nelson Piquet, em Brasília. No próximo dia 12, o Tribunal de Contas e o governador do DF vão vistoriar o circuito
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo / RENAN DO COUTO, de Barcelona
 Obras no autódromo Nelson Piquet para a chegada da Indy em Brasília (Foto: Sandro Macedo)
Ao contrário do que divulgou a Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) na última sexta-feira, não há verba disponibilizada pelo Governo do Distrito Federal para a conclusão das obras no Autódromo Nelson Piquet, em Brasília. Atualmente, o circuito encontra-se com seu recapeamento incompleto e sem boxes — as garagens tinham sido demolidas.

De acordo com o portal 'UOL', a assessoria do governo desmentiu o comunicado da entidade desportiva e afirmou que "houve uma interpretação errônea" do decreto assinado no dia 4 de fevereiro pelo governador Rodrigo Rollemberg. O montante destacado pelo decreto é da ordem de R$ 20.479.297,00.

Na realidade, o Decreto nº 36.357 anulava o investimento antes reservado para o autódromo, mantendo assim paralisadas as obras que tiveram início com a intenção de abrigar a etapa da Brasília Indy 300 em 8 de março. "Não houve liberação de valores para a conclusão das obras do autódromo, e sim para recuperação de rodovias", informou o governo da capital.

Segundo o governo, as obras em Brasília serão concluídas, mas com recursos que ainda não foram definidos.

Na manhã de quinta-feira, dia 12 de fevereiro, ocorrerá uma visita ao autódromo por parte do presidente do Tribunal de Contas do Distrito Federal, Conselheiro Renato Rainha, junto de Rollemberg. Rainha afirmou que deixar o circuito inacabado também é prejudicial aos cofres públicos. “É preciso adotar uma postura gerencial eficiente e que evite desperdício de recursos distritais”, ressaltou em nota divulgada pelo TCDF.

O tribunal informou que há uma proposta de R$ 37.087.018,96 em fase de avaliação, apresentada por Rollemberg após o cancelamento do edital de licitação no início de janeiro. Antes, portanto, de o Ministério Público recomendar que se cancelasse a etapa que a Indy faria na cidade e paralisou a reforma do autódromo, o que foi anunciado no dia 29. Esse valor de R$ 37 milhões se refere à adequação da pista, instalação de barreiras de pneus, defensas metálicas e grades de proteção, demolições, pinturas, reparos nas arquibancadas e ao plantio de grama.
 
De acordo com o MP, os contratos firmados ainda na gestão de Agnelo Queiroz violavam o interesse de uma mudança nos rumos das despesas públicas, uma vez que a gestão anterior deixou um rombo milionário nos cofres locais.
Autódromo de Brasília está lá, mas sem pista (Foto: Sandro Macedo)
A reforma do Autódromo Nelson Piquet já é um drama bastante antigo. Sucateado já há alguns anos, o circuito viu suas chances de reforma renascerem em 2013, quando Carmelo Ezpeleta, diretor-executivo da Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, veio ao Brasil para assinar um acordo para leva o certame à capital
 
Mesmo com uma data no calendário de 2014 do Mundial, o governo do DF pouco fez para reformar o circuito e a MotoGP teve de alterar sua programação e desistir do sonho de voltar ao Brasil. Ainda assim, o ex-governador conseguiu um acordo com a Indy para receber a categoria em março deste ano, de novo com a promessa de que o autódromo passaria por uma grande intervenção. 
 
Desta vez, entretanto, a obra saiu do papel, mas dúvidas referentes à lisura dos contratos forçaram a paralisação da reforma e o cancelamento da Indy a pedido do MP.

Ainda há eventos marcados para Brasília para este primeiro semestre, como a Stock Car e a F-Truck. Diretor-geral da categoria de turismo, Maurício Slaviero foi à capital federal para um encontro com o governador e disse que o mandatário tem noção da importância do autódromo e pretende completar os serviços iniciados em dezembro. Por ora, a corrida não foi desmarcada.

icone_warmup Exclusivo: DF - Dossiê de Falcatruas
O que acontece no entorno do autódromo de Brasília

SENNA NA MCLAREN


Sim, é uma notícia de 2015. A marca inglesa anunciou nesta segunda-feira (9) que contratou Bruno Senna para integrar seu time oficial nas corridas de GT e também para colaborar com o desenvolvimento de modelos de rua. “É uma grande honra para mim me juntar à McLaren, um time pelo qual meu tio teve tanto sucesso e um dos nomes mais famosos no automobilismo. 2015 é um grande ano para toda a McLaren e é um momento animador para ser parte de tudo o que está acontecendo”, comentou Senna.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO
SWISS LEAKS


Fernando Alonso, Flavio Briatore, Heikki Kovalainen e Valentino Rossi: estes nomes constam em uma lista de 61 perfis divulgada pelo Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (ICIJ, na sigla em inglês) oriunda do vazamento de dados confidenciais da filial suíça do banco HSBC. A investigação, batizada de ‘Swiss Leaks’ e conduzida por jornalistas de 45 países, começou em 2008 depois que um ex-funcionário do HSBC entregou dados do banco britânico às autoridades francesas. O jornal ‘Le Monde’ conseguiu acesso às informações e as compartilhou com a ICIJ. A revelação foi feita neste domingo (8).

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO
LEVEL: LEGENDARY

Depois de conquistar a terceira posição no Mundial de Construtores em 2014, a Williams assegura que fez no período do inverno europeu um trabalho com a intenção de obter resultados ainda melhores neste ano. E o finlandês Valtteri Bottas já prevê que o grau de dificuldade para que estes objetivos sejam alcançados será maior. “Agora a parte mais difícil começa”, declarou Bottas, que garante: “Estamos realmente determinados a fazer melhor”.

Confira a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO