Wright Motorsports faz intercâmbio e colabora em filme de Brad Pitt em Daytona

As filmagens em parceria com a Wright Motorsports envolvem a equipe competindo na classe GTD com um Porsche 911 GT3 R, representando a fictícia Chip Hart Racing Team

filme-formula-1-brad-pitt-planeja-gravacoes-durante-24-horas-daytona/" class="ek-link">O filme temático de Fórmula 1, que ainda não tem nome, terá um ambiente diferente de gravações nas próximas duas semanas. A produção, que tem Brad Pitt como ator principal, realizará filmagens durante o fim de semana das 24 Horas de Daytona, na Flórida, nos Estados Unidos.

Dirigido por Joseph Kosinski, o filme apresentará Pitt como um piloto em fim de carreira que surge na Fórmula 1. As filmagens em Daytona confirmam os rumores de que o campeonato de SportsCar terá envolvimento no enredo da produção, muito provavelmente nas cenas iniciais.

Relacionadas


A equipe de filmagens está junta da Wright Motorsports. O time competirá na classe GTD com um Porsche 911 GT3 R, nas cores da fictícia Chip Hart Racing Team, que inclusive conta com patrocinadores.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Brad Pitt em Silverstone, F1 2023
Brad Pitt em Silverstone, F1 2023 (Foto: AFP)

Os carros do filme carregam os nomes de Sonny Hayes (personagem de Brad Pitt), ‘C.Kelso’ e de Patrick Long, ex-piloto de fábrica Porsche, que se aposentou do esporte a motor em 2021, mas estará a bordo no volante do carro durante a filmagem. Jan Helyen, Adam Adelson, Elliott Skeer e Fred Makowiecki vão competir de verdade nas 24 Horas de Daytona.

Em dezembro de 2023, a revista Business F1 apontou que todo material já filmado seria descartado e a decisão era de começar tudo novamente porque o trabalho feito anteriormente “era muito confuso e não fazia sentido algum”. O roteiro da produção também virou alvo de críticas porque o nome escolhido para escrever a história é o de Ehren Kruger, que não teve experiência alguma na construção de dramas.

O financeiro também virou um problema para o filme. US$ 20 milhões (cerca de R$ 98 milhões) foram gastos na produção de um grid inteiro de réplicas de Fórmula 1. Os bólidos eram inspirados em carros de F3 e F4, mas idênticos aos de F1. A construção dos carros foi supervisionada por Trevor Carlin, antigo dono da equipe que levava seu sobrenome e atuava nos grids de F2 e F3 — recentemente renomeada Rodin. Por ter tirado o contrato das mãos do time, que agora tem David Dicker como dono, Trevor e a esposa Stephanie foram dispensados por “traição”.

Cerca de US$ 30 milhões (cerca de R$ 147 milhões) foram gastos nas filmagens já realizadas e que serão descartadas. Uma fonte da Business F1 apontou que um dos problemas seria o da troca de patrocinadores, já que novos nomes começaram a apoiar a produção e não apareciam. Um dos chefes de equipe da F1 apontou que não entendeu a decisão de replicar todo o grid, já que algumas gravações aconteciam durante finais de semana de corridas do Mundial, o que poderia ajudar a reduzir os custos.

Cercado de incertezas, ainda não há uma previsão de lançamento do filme. A única certeza é que ficará hospedada na plataforma de streaming da Apple, empresa que tem financiado parte das gravações.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias do GP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.