FE

Buemi faz show solo e derrota relógio para ser campeão da F-E em decisão marcada por batida polêmica de Di Grassi

A corrida que definiu a segunda temporada da F-E teve contornos dramáticos. Logo na primeira volta, Lucas Di Grassi acertou em cheio o rival Sébastien Buemi e acabou com as chances de top-10 de ambos. Aí, tudo se definiu na volta mais rápida. Melhor para o suíço, que conquista o título. Na pista, mais uma vitória de Nicolas Prost
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, Rio de Janeiro
 O polêmico incidente entre Di Grassi e Buemi (Foto: Reprodução/TV)


Um fim épico. E durante o dia, a semana e muito tempo vão perguntar e se interessar sobre a batida de Lucas Di Grassi em Sébastien Buemi na primeira curva. Qual a motivação? O freio? A vontade? Como a de Ayrton Senna em Alain Prost no GP do Japão que definiu a F1 em 1990, a batida de Di Grassi em Buemi vai levantar polêmica e curiosidade por anos. A diferença, no caso da corrida da F-E, foi que os dois seguiram na pista para contar a história. Apenas com o segundo carro, o título teria que ser definido nos pontos da volta mais rápida. Assim foi. Buemi correu solo entre idas e vindas do pit-lane e encaixou o giro que queria. Antes no inferno com o coração partido em Le Mans duas semanas atrás, Buemi é campeão da temporada 2015/16 da F-E. E Prost, o pai, se vê do lado vencedor de uma confusão como tal.

Di Grassi foi otimista demais no que poderia fazer na primeira curva. Entre os dois pilotos da e.dams – e ambos defenderam suas linhas de forma limpa -, não teve para onde sair. Bateu em cheio e mudou o que costuma ser a disputa de um título no automobilismo. Passaram os dois a brigar apenas com os ponteiros do relógio. Primeiro foi Di Grassi, depois Buemi. E aí, quando Di Grassi usou o FanBoost e falhou em melhorar a volta da prova, não tinha mais o que fazer. Buemi leva a e.dams ao título de Pilotos e Construtores.

Teve mais que a briga dos dois. Nicolas Prost jamais foi ameaçado e sai de Londres ao menos redimindo-se de um ano grotesco. Venceu as duas, varreu o Battersea Park e comemorou com o companheiro e amigo Séb. Daniel Abt precisou de certa loucura para passar Nick Heidfeld, mas foi segundo. Jérôme D’Ambrosio herdou o terceiro posto com a punição pós-corrida para Jean-Éric Vergne. O francês, António Félix da Costa e Heidfeld receberam punições de 50s que nem foram explicadas. Loïc Duval, Stéphane Sarrazin, Bruno Senna, Vergne, Heidfeld, Félix da Costa e Nelsinho Piquet formaram o top-10.
O polêmico incidente entre Di Grassi e Buemi (Foto: Reprodução/TV)
Confira como foi o eP de Londres:


O sol que marcou a manhã em Londres não estava mais no céu, mas o caminho estava limpo para a decisão do campeonato da F-E. Sébastien Buemi saindo em primeiro, Lucas Di Grassi, em terceiro, exatamente atrás dele. E a partir da saída, Nicolas Prost alinhou para defender, realmente como um escudeiro, o companheiro. Durou dois segundos, até a primeira curva chegar. Di Grassi não parou e acertou Buemi em cheio. Vai saber se qualquer comparação com Japão 1990 é mera coincidência, mas a semelhança foi inegável.
Buemi conseguiu retomar a linha e voltar para a pista, porém com uma asa quebrada. A Audi ABT de Di Grassi ficou destruída, mas ele ainda conseguiu levar para os boxes. Uma batida que normalmente ditaria o fim da prova para os dois, acabou apenas os tirando da disputa pelas primeiras colocações. Boxes e segundo carro – o campeonato seria, então, definido nos dois pontos da volta mais rápida.

Imediatamente, então, a corrida viu sua importância cair drasticamente. A atenção era em Lucas, Sébastien e o relógio. E o FanBoost não fez a balança pesar para um lado – os dois ganharam o bônus de potência. E Buemi não saiu imediatamente do pit-lane. Esperou um momento mais propício. Lucas saiu, fez a volta mais rápida e voltou para esperar sua hora.
Eis o que restou do carro de Di Grassi (Foto: Reprodução/TV)
Na frente, embora quase ninguém se importasse muito, Prost disparava para um doblete de vitórias em Londres. Nick Heidfeld era o segundo, mas foi caindo conforme o tempo passava. Daniel Abt fez uma manobra muito ousada para passá-lo. Jean-Éric Vergne foi outro a assumir a colocação do pódio.

A roleta dos abandonos também era vista no máximo com o canto de olho. Primeiro, Sam Bird teve problemas. Simona de Silvestro ficou pelo caminho também, mas nenhum dos dois com a forma que Robin Frijns conseguiu. O holandês estreou na F-E com um ótimo ano no geral, mas o fim de semana em Londres foi caótico. A pancada na curva três depois de um toque com Loïc Duval foi um encerramento ideal para o que fez desde o sábado. E causou um safety-car chamado à pista.

E os líderes? Começaram um entra e sai entre pista e pit-lane esperando os momentos para que usassem seu carro único apropriadamente. Buemi fez a melhor volta da corrida na 23, mas os dois ainda tinham o FanBoost para utilizar. 

Di Grassi investiu no FanBoost na volta 30. Era a grande chance de roubar o título que pertencia, no momento, ao rival. Com tudo o que tinha, Lucas fez 1min24s663. Acima de Buemi. Acabara ali. Di Grassi recolheu o carro e ainda viu o suíço melhorar mais a volta da prova. Saiu do cockpit com rosto fechado e se preparando para ir até a sala dos comissários se explicar. Não tinha o que fazer, o título caíra por terra.

Restava a Buemi, então, deixar a pista também e comemorar. Aos prantos, a felicidade contrastou com a tristeza que passou em Le Mans duas semanas atrás com a derrota dramática da Toyota. Faltou um ponto em 2015, mas Buemi é o campeão da F-E na temporada 2015/16.

Prost venceu fácil, seguido por Abt e Vergne. Mas as punições a Vergne, Heidfeld e António Félix da Costa, todos com 50s somados ao seu tempo sem explicação imediata, colocaram Jérôme D'Ambrosio no pódio. Loïc Duval foi quarto, saindo da última colocação no grid, enquanto Stéphane Sarrazin foi quinto, Bruno Senna foi o sexto, seguido pelo trio de punidos. Nelsinho Piquet fechou o top-10. A e.dams, que não se esqueça, confirmou seu óbvio título de Construtores.

F-E, eP de Londres 2, Classificação final:

1 NICOLAS PROST FRA E.DAMS 33 voltas  
2 DANIEL ABT EUA AUDI ABT +7.633  
3 JÉRÔME D'AMBROSIO FRA DRAGON +22.524  
4 LOÏC DUVAL FRA DRAGON +23.290  
5 STÉPHANE SARRAZIN FRA VENTURI +24.984  
6 BRUNO SENNA BRA MAHINDRA +27.174  
7 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA VIRGIN +1:07.002  
8 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA +1:07.544  
9 ANTONIO FÉLIX DA COSTA POR AGURI +1:08.324  
10 NELSINHO PIQUET CHN CHINA +1:14.270  
11 OLIVER TURVEY ING CHINA +1:22.216  
12 MA QING HUA CHI AGURI +1 volta  
13 MIKE CONWAY ING VENTURI +1 volta  
14 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT +15 voltas  
15 SÉBASTIEN BUEMI SUI E.DAMS +17 voltas  
16 ROBIN FRIJNS HOL ANDRETTI +22 voltas NC
17 SIMONA DE SILVESTRO SUI ANDRETTI +24 voltas NC
18 SAM BIRD ING VIRGIN +27 voltas NC

PADDOCK GP #35 DEBATE MOTOGP, STOCK CAR E FAZ PRÉVIA DA F1 E FINAL DA F-E