FE

Ex-parceiro, Driot confirma compra de todas as ações da e.dams e adianta saída de Alain Prost da Fórmula E

Jean-Paul Driot era um dos donos da e.dams desde a criação da Fórmula E, sempre ao lado do tetracampeão mundial de F1 Alain Prost. No entanto, após Prost ventilar o desejo de sair, Driot afirmou que comprou as ações do antigo parceiro e que Prost sentiu o peso das viagens da FE junto da F1
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Alain Prost (Foto: Beto Issa)

Paris, Zurique, Berlim e Nova York. As próximas quatro etapas da Fórmula E vão encerrar a temporada 2017/18 e também a participação de Alain Prost à frente da Renault e.dams. O tetracampeão mundial de F1 já vendeu sua parte na equipe e agora vai gastar seu tempo e energia com a Renault na F1.
 
Prost havia afirmado em entrevista ao jornal francês 'L'Equipe' que via a saída da Renault da FE - a fábrica francesa deixa a categoria e dá espaço para a Nissan a partir da próxima temporada - como uma oportunidade de sair também. Culpou o peso das viagens como fator para a decisão.
 
Em entrevista ao site norte-americano 'Motorsport.com', Jean-Paul Driot, que era o outro dono da e.dams, confirmou que comprou as ações de Prost e voltou a ser o único dono. Driot ainda falou de algo que já tratado anos atrás, que Prost não se envolvia muito nas operações esportivas e sugeriu que a situação talvez tenha gerado um incômodo.
 
"Sim, eu confirmo isso. Sou dono de 100% da e.dams. Comprei de volta [as ações de Prost], não a Nissan", afirmou. "Na quinta temporada nós trabalharemos com a Nissan assim como hoje fazemos com a Renault. É uma situação diferente de ter ser um de dois donos e de estar sozinho, completamente diferente", falou. 
 
"É mais fácil para nós. Alain estava fazendo muito da parte de comunicação, a equipe está comigo há muito tempo. De certa forma, fico frustrado, porque não estava fazendo nada da comunicação - ele poderia estar igualmente frustrado por não estar liderando a equipe. Creio que agora as coisas estão mais claras. Juntos, trabalhamos bem. Agora ele vai deixar para viajar mais com a F1. Viajar com os dois era pesado demais", seguiu.
Os homens fortes da Renault - da esquerda para a direita: Gaillardot, Driot e Prost (Foto: Clement Marin / DPPI)

Sobre a temporada frustrante que a Renault vive até agora - apenas a sexta posição do campeonato de Equipes - fez as primeiras críticas abertas a Nicolas Prost. O filho de Alain anotou apenas sete ontos na temporada até agora, com o oitavo lugar da segunda corrida em Hong Kong como o destaque. 
 
"Estamos aqui para ganhar, então ficamos desapontados quando não temos esse sucesso. Nicolas Prost teve algumas dificuldades esse ano, é difícil ganhar o campeonato quando você tem um piloto que está tendo dificuldades de marcar pontos", admitiu.
 
Driot garantiu que está em conversas com a Nissan para definir a dupla de pilotos para o próximo ano. Sébastien Buemi, de contrato renovado, fica ao menos até o fim da temporada 2018/19. 
 
"Temos discussões com relação à dupla de pilotos. É muito importante, quando você tem um novo parceiro, definir as missões [conjuntas] para pilotos. Com certeza você quer um que tenha boa performance. O marketing é muito importante - o que queríamos atingir para nossa companhia, a Nissan. Estamos discutindo isso no momento, mas ainda tomamos decisões", encerrou.
 
O eP de Paris está marcado para 11h (de Brasília) do próximo sábado.
MELHOR DA HISTÓRIA?

FORMA INCRÍVEL DE MÁRQUEZ LEVANTA DEBATE NO PADDOCK GP