5 coisas que aprendemos no lançamento do FW46, novo carro da Williams para F1 2024

A Williams fez o segundo evento da temporada de lançamentos de carros da F1 2024 e apresentou um FW46 com tons mais escuros de azul, mas estilo parecido com o bólido do ano passado

O segundo lançamento de carro da temporada 2024 da F1 foi, na verdade, mais uma apresentação da pintura, agora com a Williams. Nesta segunda-feira (5), o time britânico mostrou o FW46 com esquema de cores bem semelhante ao de 2023, mas tons mais escuros, bastante fibra de carbono, um azul mais concentrado.

Outra vez, a equipe de Grove teve as imagens vazadas um pouco antes da hora, mas nada que prejudicasse muito. Destaque também para o belo macacão quase todo branco e para as declarações de Alexander Albon, Logan Sargeant e do chefe James Vowles. O GRANDE PRÊMIO traz cinco coisas que aprendemos no evento da Williams:

Mais um ‘lançamento de carro’ que é lançamento de pintura

A gente continua aqui nas trincheiras para que os lançamentos de carros da F1 chamem lançamentos de pintura de uma vez. Todo ano tem sido a mesma coisa, a Williams não fugiu dos padrões. Pelo menos os ingleses admitiram isso durante o evento, mas é muita expectativa gerada para nada, ou quase nada. Lançamento em Nova York, toda pompa e circunstância e, no fim, é apenas a pintura. Vazada minutos antes, diga-se.

O azulão da Williams é inegavelmente bonito

Apesar de todos os questionamentos sobre a necessidade de um evento assim, admitamos: é bem bonito o carro da Williams. Potencial de pista a gente não faz ideia, provavelmente não vai ter tanto assim de novo, mas de beleza, é forte. Tem tudo para pegar, no mínimo, top-5 carros mais legais do campeonato. Belo macacão branco também, com a faixa azul em detalhes.

A Williams apresentou o novo FW46 (Foto: Williams)

Reforço do discurso de progresso da Williams. Mas até que ponto é verdade?

Todo mundo que estava no lançamento falou em tom otimista, aquela coisa de progredir, de melhorar, evoluir. Mas até onde? É que a sensação que 2023 passou foi de que a Williams, em sétimo, estava no teto dela. O próprio chefe Vowles, dias atrás, reconheceu que os britânicos dificilmente pegariam Aston Martin e Alpine e que o salto de performance viria em 2026. E mais: que top-3 seria sonho para 2028. Portanto, cautela.

Sargeant abre o ano falando já em tom de pressão. Vai dar conta?

Ainda que se diga otimista e tudo mais, dá para sentir nas palavras de Sargeant que há pressão, né? “Sei das minhas metas”, “aprendi as lições”, tudo isso indica alguém que precisa muito dar uma resposta. A questão é: ele é capaz disso? Vai estar tranquilo o suficiente para tal missão?

Olhos atentos para Albon: Williams vai ser boa o suficiente para segurá-lo?

Albon é outra grande questão aqui. O tailandês pareceu empolgado, mas isso acaba rapidamente se a Williams estiver no nível de 2023 ou pior. Alex sabe que tem mercado, é nome bem quisto em várias equipes fortes, então, a Williams precisa se mexer. Ou vai ter, além de um carro mais ou menos, um trabalho absurdo para montar a dupla dela.

Os belos novos macacões da Williams (Foto: Williams)

temporada de lançamentos de carros segue firme e forte. Depois da Haas e da Williams, ainda na tarde desta segunda-feira (5), às 16h, é a vez da Sauber mostrar o novo bólido. Também durante esta semana, Alpine e RB se juntam ao clube.

Fórmula 1 retorna às pistas de 21 a 23 de fevereiro, com os testes coletivos da pré-temporada no Bahrein, no circuito de Sakhir.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.