5 coisas que aprendemos no GP dos EUA, 18ª etapa da Fórmula 1 2023

O bom GP dos EUA teve brigas reais pela vitória, apesar do triunfo esperado de Max Verstappen. E não acabou depois da bandeirada: Lewis Hamilton e Charles Leclerc foram desclassificados na inspeção técnica

O GP dos EUA foi relativamente animado e garantiu alguma emoção na briga por vitória. Apesar do triunfo de Max Verstappen, o holandês não teve o domínio visto em tantas outras oportunidades, precisou brigar com Lando Norris, viu Lewis Hamilton pressionar. Mas a corrida ficou marcada também pelo que aconteceu horas depois da bandeirada.

É que Hamilton e Charles Leclerc, o pole da etapa e sexto colocado final, foram desclassificados por irregularidade na prancha do assoalho, algo verificado na inspeção técnica da FIA. Isso mexeu totalmente na classificação final da prova e, claro, na pontuação da temporada.

Lando Norris subiu para segundo na corrida texana, com Carlos Sainz herdando uma vaguinha no pódio. Sergio Pérez pulou para quarto e abriu boa folga contra o desclassificado Hamilton, que havia encostado no Mundial de Pilotos. Fechando o top-5, George Russell, de fim de semana tão discreto.

Pierre Gasly acabou com a sexta colocação, com Lance Stroll, Yuki Tsunoda, Alexander Albon e Logan Sargeant fechando a zona de pontos. Foi a primeira vez que um piloto americano pontuou em 30 anos, aliás.

Lewis Hamilton e Charles Leclerc foram desclassificados em Austin (Foto: AFP)

Diante deste cenário, o GRANDE PRÊMIO aponta cinco coisas que aprendemos na 18ª etapa da F1 2023, nos EUA:

Nem problema nos freios trava Verstappen, mas folga diminuiu bastante

Verstappen largou em sexto depois de um erro no Q3, teve problemas nos freios, foi desafiado, mas venceu de novo. É claro que, pensando só em 2023, foi mais um golpe duro em cima das rivais que sonharam com a oportunidade, mas para 2024 é uma certa luz no fim do túnel. O ponto é que a concorrência precisa ser sempre perfeita: o acerto ideal, a estratégia perfeita, pit-stops certeiros. E isso ninguém teve hoje, nem a Red Bull. Mas eles conseguem vencer mesmo assim.

Mesmo com Leclerc fora, Ferrari corta diferença para Mercedes nos EUA. Sem saber como

É um milagre absoluto que a Ferrari saia do domingo com um piloto desclassificado e, mesmo assim, em situação muito melhor que a Mercedes. Os alemães tinham mais ritmo, flertaram com a vitória com Hamilton e, depois da desclassificação, viram 18 pontos irem para o ralo. Os italianos, com performance muito mais modesta, acabaram no pódio com Sainz, o que também deixa claro o rendimento ruim de Russell no fim de semana. Enfim, há uma briga real pelo vice da F1 2023, justamente quando a Mercedes parece melhorar de nível.

McLaren sente falta de ritmo na hora do vamos ver, mas é pódio de novo

A Ferrari tentou na tática, a Mercedes teve ritmo, a McLaren ficou meio apagadinha ali e, no fim, foi quem acabou em segundo de novo. No fim das contas, cada vez mais parece que os laranjinhas são os potenciais concorrentes mais sólidos para a Red Bull em 2024, até mesmo quando a performance é mais tímida. Só precisa controlar as emoções de Norris, esse negócio de não vencer nunca fere o homem.

Salvou a pele? Desclassificações arrumam vidas de Pérez e Sargeant

Não dá para cravar que Pérez e Sargeant vão ficar em 2024, ainda que o mexicano tenha contrato, mas, caso isso aconteça, o GP dos EUA vai ser lembrado. Checo fez mais uma etapa para lá de mediana e, no fim, foi muito ajudado com a desclassificação de Hamilton. Tanto que Pérez agora respira aliviado para ser vice, uma obrigação para ele, com o carro que tem. Logan, enquanto isso, também se deu bem com a decisão da FIA, saiu de 12º para décimo, acabou com o primeiro ponto da carreira. Na corrida de casa. Do nada.

Lando Norris voltou ao pódio para vibração da McLaren (Foto: AFP)

Alpine centenária, Williams presenteada e AlphaTauri no bolo: a ‘F1 B’ e a ‘F1 C’ nos EUA

Naquela parte do pelotão para qual quase ninguém gosta de olhar, Gasly ajudou bem a Alpine a finalmente romper a barreira dos 100 pontos na F1 2023. O time francês, porém, já não teve performance melhor que a da Aston Martin, algo que era esperado. Os verdinhos deram uma melhorada substancial. A Williams, depois do susto com a Alfa Romeo no Catar, respirou com dois pilotos nos pontos sem fazer muita coisa, enquanto a AlphaTauri saiu de Austin simplesmente com 5 pontos de Tsunoda, dobrando o que a equipe tinha no ano e grudando na Haas e na própria Alfa Romeo. Há briga contra a lanterna, sim, senhor.

Fórmula 1 retorna já no próximo fim de semana, com o GP da Cidade do México, no autódromo Hermanos Rodríguez, para a 19ª etapa da temporada 2023.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.