À vontade em Austin, Hamilton não teme Ferrari. Mas pode surpreendê-lo em ritmo de corrida

Lewis Hamilton vem comandando até com certa facilidade as ações no Circuito das Américas. O inglês, que pode se tornar tetracampeão já neste fim de semana, liderou os três treinos livres e a classificação, cravando uma pole-position importante para o campeonato. Mas, ainda assim, terá um esforçado Sebastian Vettel a seu lado na primeira fila. E o ritmo de corrida da Ferrari é que pode fazer a diferença

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }


google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Ninguém foi mais rápido que Lewis Hamilton em Austin até no fim de semana. O piloto inglês comandou todas as sessões livres e, na classificação, arrebatou a pole-position, vencendo o calor e vento – fatores que tiveram grande influência no desempenho dos competidores durante este sábado (21) no Circuito das Américas, palco da 17ª etapa da temporada 2017.

 
Foi a 72ª pole do britânico na F1. E a posição de honra também o coloca mais perto de uma nova vitória e, talvez, até do quarto título mundial neste domingo. A verdade é que o líder do campeonato está bastante à vontade em Austin. Lewis sempre mostrou apreço pelo traçado e agora ainda mais, diante das mudanças técnicas feitas nos carros. Hamilton exaltou também o trabalho preciso da Mercedes no acerto do W08. Para o tricampeão, o carro possui o equilíbrio ideal, tanto em ritmo de classificação, como mostrou no dia de hoje, quanto em corrida.
Lewis Hamilton esteve impecável na classificação (Foto: AFP)
Por isso, o #44 se mostrou totalmente confortável ao longo do fim de semana e acha que é possível imprimir o mesmo ritmo durante as 56 voltas da prova deste domingo. “A equipe fez um grande trabalho hoje. A pista estava realmente muito difícil. Havia muito vento, de todo o lado. Então, tive de guiar no limite e é por isso que gosto tanto deste circuito. É um traçado fantástico de guiar, especialmente com os carros que temos agora”, falou o piloto da Mercedes aos jornalistas.
 
“Acho que teremos uma grande corrida amanhã. Será difícil, porque cuidar dos pneus nestas condições é sempre complicado. Mas acho que estamos vem preparados”, garantiu.

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Apesar da confiança e de se sentir bastante confortável com o equipamento que tem nas mãos, Lewis também não esquece a Ferrari e Sebastian Vettel. “Normalmente, somos muito fortes em treinos e classificação, mas em corrida as coisas às vezes se complicam. Tem sido realmente assim neste ano. Mas acho que estamos muito bem aqui. Temos um bom acerto e estou ansioso por uma batalha com Seb e Valtteri (Bottas). Esta é uma pista em que você pode seguir o carro da frente muito de perto e até ultrapassar, então vamos ver o que acontece.”

 
Diante desse cenário, há Vettel. O tetracampeão viveu um início de fim de semana complicado. Cometeu erros e enfrentou problemas de confiabilidade do carro. A Ferrari precisou trocar o chassi. Na primeira parte da classificação, o ferrarista também não se mostrou tão forte, mas apareceu quando realmente foi necessário. O esforço de Seb no fim lhe valeu uma importantíssima segunda colocação. Ainda que não tenha se aproximado do tempo de Hamilton, a performance já serviu para ligar o alerta na Mercedes.
 
“Ah eu fiquei bem feliz no fim. Mas eu estava perdendo um pouco de ritmo, especialmente na transição entre o primeiro e o segundo setores. Também foi complicado com o vento, então sofri um pouco. Só que aí, finalmente, na última volta, quando realmente importa, conseguimos essa importante primeira fila, porque eu realmente acredito no nosso ritmo de corrida, que é muito bom”, explicou o #5.
 
“Durante toda a temporada, nós ficamos um pouco atrás na classificação, por isso muito bem, Lewis. Ele fez duas voltas incríveis, mas estou ansioso pela corrida amanhã”, completou.
Sebastian Vettel mostrou que está vivo e se colocou em segundo (Foto: AFP)
Daniel Ricciardo também fez grande papel na parte final da classificação, colocando a Red Bull na quarta colocação, à frente de Kimi Räikkönen. Também será interesse perceber como a equipe austríaca (e o quanto) poderá influir na briga pelo pódio. 
 
Um pouco mais abaixo na tabela, é importante comentar a grande performance de Esteban Ocon, que se colocou melhor que Carlos Sainz, Fernando Alonso e do próprio companheiro de Force India, Sergio Pérez. Certamente, o pelotão intermediário terá uma das mais duras batalhas do ano neste domingo.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Por fim, Felipe Massa. O brasileiro vinha andando o tempo todo dentro do top-10 nos treinos, mas acabou fora do Q3 na classificação. Embora ainda feliz com o carro da Williams em Austin, Massa relatou uma perda de potência em setores essenciais por um erro da equipe. Mas a falha não foi propriamente técnica, e o piloto deixou claro, portanto, que não há nenhuma grande preocupação para a corrida.
 
Ainda, devido a todas as punições, Felipe larga amanhã na décima posição. “Estava feliz com o carro durante os treinos e também na classificação. Não cometi nenhum erro e talvez os outros carros tenham também melhorado mais do que eu imaginava. Só que também tive um probleminha no final, no Q2, em que fiquei sem potência nas últimas curvas, e isso talvez pudesse ter me dado uma posição a mais. Mas, fora isso, minha volta foi limpa. O problema que eu tive não foi técnico. A equipe divide a potência curva por curva, reta por reta, mas a equipe não dividiu da maneira correta. Poderíamos ter usado de uma forma melhor, para ter a potência o tempo todo. Mas não foi o aconteceu. De qualquer forma, não preocupa porque não é um problema técnico”, disse Massa ao GRANDE PRÊMIO.

A largada para o GP dos Estados Unidos está marcada para as 17h (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO cobre a etapa texana da F1 ‘in loco’ e AO VIVO e em TEMPO REAL.

RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube