Ainda lamentando punição a Vettel em Abu Dhabi, chefe da Red Bull joga responsabilidade para Renault

Após ver Sebastian Vettel ter que largar dos boxes, Christian Horner acredita que problema não vai mais se repetir. Ele explicou que a Renault é a responsável pelo cálculo e acabou cometendo um erro

O problema em Abu Dhabi não foi o primeiro que a Red Bull teve no ano. Recentemente, um problema no alternador acabou com a corrida de Sebastian Vettel na Itália. Desta vez não foi a peça, mas um problema na gestão do combustível no carro que acabou causando uma punição ao piloto alemão, que largou dos boxes, mas terminou a prova na terceira colocação.

Apesar do novo problema, que a Renault ainda não divulgou a causa, Christian Horner acredita isso não vai acontecer novamente na reta final do campeonato. “É complicado. A Renault diz que estava tudo certo e que havia combustível suficiente no carro, mas não conseguimos tirá-lo”, explicou.

Horner diz que Renault é quem faz o cálculo do combistível e diz que houve um erro no classificatório em Abu Dhabi (Foto: Red Bull/Getty Images)

A possibilidade de o problema nos freios que Vettel enfrentou no classificatório foi a causa do erro do cálculo dos funcionários da montadora francesa. Mas isso foi desmentido por Horner. “Não, não é mesmo isso”, começou.

“Os cálculos são baseados no que é feito na pré-temporada e, claro, tudo isso vai sendo atualizado assim que o campeonato vai se desenvolvendo. Na classificação, foram duas voltas, mas são 55 na corrida. Então, o engenheiro vai trabalhar e colocar o que é necessário no carro”, falou.

“Contamos com a Renault para fornecer as informações e cuidar disso. Infelizmente, esta falha aconteceu. Mas é uma das coisas que aprendemos com ela e tivemos uma forte recuperação”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube