Alonso relata “impressionante falta de velocidade em reta” da McLaren e já espera Indy 500 para “esfriar cabeça”

Em novo abandono, Fernando Alonso não poupou a Honda e disse que “nunca pilotou com tão pouca potência”. O espanhol disse que a McLaren não tem ritmo nem em classificação e nem em corrida. O bicampeão já espera a Indy 500, no fim de maio, para esfriar a cabeça

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Pela terceira vez em três etapas nesta temporada 2017 da F1, Fernando Alonso não consegue completar uma corrida. E, neste domingo (16), no GP do Bahrein, de novo o espanhol teve de abandonar com problemas no motor da Honda. O bicampeão deixou a disputa a duas voltas do fim da prova, mas sem antes se queixar abertamente da falta de potência crônica da unidade japonesa

 
Pouco antes da metade da etapa barenita, Alonso se irritou depois de uma disputa na pista, quando ele, Daniil Kvyat e Jolyon Palmer, de Toro Rosso e Renault, respectivamente, brigavam ferozmente as posições 11, 12 e 13. Então em vantagem após passar Palmer pouco antes, Alonso entrou na reta dos boxes e viu sua distância obliterada em instantes. Terminou atrás dos dois rivais. No rádio mesmo, o asturiano esbravejou: "Nunca corri com tão pouca potência na minha vida."
 
Após o término na corrida, Fernando explicou com mais calma. "Nós abandonamos a prova por um problema de motor, mas, durante a corrida, foi impressionante ver como tivemos uma baixa velocidade em reta. A gente não tem conseguido fazer coisa alguma nas corridas, além de figurar em 12º em alguns momentos", disse o piloto da McLaren aos jornalistas no Bahrein.
Fernando Alonso abandonou o GP do Bahrein (Foto: McLaren)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
"Aqui, nas retas, quando olhava nos espelhos, os caras estavam mais de 300 m atrás, mas chegava no fim, já estavam ao meu lado. Quer dizer, somos muitos lentos, em classificação e em corrida, e não há nenhuma novidade nisso. É a mesma coisa desde a pré-temporada", completou.

 
Daqui a duas semanas, a F1 se reúne novamente para a disputa do GP da Rússia. Mas lá, Alonso também não esperança de resultados melhores. "Espero que em Barcelona possamos ser um pouco mais competitivos, porque, na Rússia, não será possível", admitiu.
 
Por fim, Alonso reconheceu que a disputa das 500 Milhas de Indianápolis, no fim de maio, será também uma forma de aliviar o estresse de um início de temporada difícil no Mundial. "Vai servir também para esfriar a cabeça", concluiu.
 
Companheiro de Fernando na McLaren, Stoffel Vandoorne sequer largou no GP do Bahrein. Também por conta de problemas de confiabilidade da Honda.
 

O GRANDE PRÊMIO transmite todas as atividades do GP do Bahrein de F1 neste fim de semana. Acompanhe tudo AO VIVO e em TEMPO REAL, com o novo livetiming.

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube