Alpine revela que embalagem de lanche na pista causou abandono de Alonso no Bahrein

Fernando Alonso fazia uma corrida muito combativa no seu regresso à Fórmula 1, mas foi vítuma de um golpe do azar e abandonou o GP do Bahrein em razão de um problema inusitado. Marcin Budkowski, diretor-executivo da Alpine, lamentou a falta de sorte do bicampeão e também de Esteban Ocon durante o fim de semana

Hamilton vence na estratégia e pega Verstappen: assista como foi o GP do Bahrein (Vídeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

Fernando Alonso foi um dos bons nomes do fim de semana que representou seu retorno oficial ao grid do Mundial de Fórmula 1 no GP do Bahrein. Cerca de dois anos e três meses depois de dar um até logo ao esporte, o bicampeão mundial voltou a alinhar na categoria que o consagrou e largou da nona posição com o carro da Alpine. Ao longo da disputa do último domingo (28) no circuito de Sakhir, Fernando chegou a despontar com chances de terminar na zona de pontuação, foi combativo e travou batalhas com o tetracampeão Sebastian Vettel e o estreante Yuki Tsunoda. Mas a prova do espanhol de 39 anos terminou precocemente na volta 32 em razão de um problema inusitado, revelou o diretor-executivo da Alpine, Marcin Budkowski.

“Depois do seu primeiro pit-stop, tivemos um pequeno problema de bateria que nos obrigou a reduzir a performance do carro. Em seguida, depois da segunda parada, um saquinho de lanche ficou enroscado dentro do duto de freio traseiro do carro de Fernando”, lamentou o engenheiro polonês.

“Isso causou altas temperaturas e provocou danos no sistema de freios, de modo que tivemos de retirá-lo da corrida por motivos de segurança”, explicou.

ESTEBAN OCON; FERNANDO ALONSO; GP DO BAHREIN; SAKHIR; F1; FÓRMULA 1; ALPINE;
Fernando Alonso e Esteban Ocon tiveram um dia difícil no Bahrein (Foto: Alpine F1 Team)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Não foi o melhor começo de temporada para nós, tivemos nossa porção de azar ao longo do fim de semana”, disse Budkowski, que não teve muitos motivos para comemorar ao longo da jornada dos últimos dias no Bahrein. Um dos pontos positivos para o engenheiro foi justamente o trabalho feito por Alonso em Sakhir.

“Foi uma primeira corrida de muito má sorte para Fernando, levando em conta o quão forte ele mostrava ser”, comentou. Em contrapartida, Esteban Ocon foi eliminado logo no Q1 da classificação no sábado, e na corrida figurava no pelotão intermediário, chegando também a flertar com a zona de pontuação. Mas o francês foi acertado pela Aston Martin de Sebastian Vettel e ficou sem qualquer chance de somar um bom resultado para cruzar a linha de chegada em 13º.

“Esteban fez uma corrida sólida largando de 16º e caminhava para uma possível zona de pontuação. Mas ele foi atropelado por Sebastian, o que causou alguns danos no carro”, acrescentou.

Para o dirigente da Alpine, fica a frustração por sair zerado da primeira corrida da temporada. “Temos muito trabalho a fazer antes de Ímola para trazer mais performance ao carro e lutar em um pelotão do meio muito competitivo, onde cada décimo conta. Estamos todos bem ansiosos para ter outra chance dentro de algumas semanas”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube