Ameaça à F1 nos EUA, furacão Patrícia perde força após atingir terra no México e é rebaixado para categoria 2

O furacão Patrícia, que tinha ventos de mais de 300 km/h na noite de sexta-feira, perdeu força após atingir terra no México e caiu para categoria 2, mas segue ameaçando o andamento das atividades da F1 no Texas. Presidente do país disse que os danos foram menores do que o esperado, de acordo com os primeiros relatórios

Depois de chegar à costa oeste do México com ventos de 265 km/h, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, o furacão Patrícia perdeu força e foi rebaixado da categoria 5, máxima para classificação para tal tipo de tormenta, para categoria 2. A tempestade ameaça o GP dos Estados Unidos de F1, disputado neste fim de semana em Austin, no Texas.

De acordo com o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, os primeiros relatórios indicaram que os danos foram "menores do que aqueles correspondentes a um furacão desta magnitude".

Inicialmente uma tempestade tropical, o Patrícia rapidamente se tornou um furacão de categoria 5 e foi considerado o mais forte furacão já registrado no Oceano Pacífico. Os ventos passaram de 300 km/h. Segundo o Fundo Nacional de Desastres do México, cerca de 400 mil pessoas vivem em áreas vulneráveis.

Em terra, seguindo pelo interior em direção ao norte do México, os ventos caíram para 155 km/h. No entanto, apesar da diminuição da intensidade do furacão, fortes tempestades ainda são esperadas para o estado americano do Texas, inclusive com risco de inundações. A rota da tormenta não passará pela Cidade do México, onde acontecerá já no próximo fim de semana a antepenúltima corrida da temporada 2015, mas efeitos também devem ser sentidos na capital do país.

O céu de Austin não estava nem um pouco amigável na tarde de sexta-feira (Foto: Reprodução/Twitter)

Nesta sexta-feira, o primeiro treino livre foi prejudicado e o segundo teve de ser cancelado devido à forte chuva que caiu no Circuito das Américas. O temporal não dava condições de voo para o helicóptero médico, tampouco de trabalho para os fiscais de pista.

Espera-se que a F1 anuncie, ainda nesta manhã, como procederá com relação à sequência do fim de semana. Para este sábado, estão previstos o terceiro treino livre, às 13h (de Brasília), e o treino classificatório, às 16h. A corrida terá largada às 17h de domingo.

Na última vez em que a F1 se viu diante de tal situação, no GP do Japão de 2014, quando um tufão se aproximava do país, optou por seguir à risca a programação. A prova chegou a ser interrompida pela forte chuva que caía em Suzuka nas voltas iniciais, mas reiniciada, e depois encerrada prematuramente com o acidente fatal de Jules Bianchi.

Furacão Patrícia atingiu o México no estado de Jalisco, em cidades como Manzanillo e Puerto Vallarta, e segue em direção ao norte. O estado norte-americano do Texas, que fica do outro lado da fronteira, vai sentir os efeitos (Foto: Google Maps)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube