F1

Ameaçado por Ocon para 2020, Bottas relata “pressão zero” em último ano de contrato na Mercedes

Valtteri Bottas vive um 2019 de ‘vai ou racha’: é hora de brigar por título, ao mesmo tempo em que tenta convencer a Mercedes de que merece a renovação de contrato. Parece uma situação adversa, mas Bottas garante que tem tudo sob controle

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim

Valtteri Bottas até é líder do Mundial de Pilotos, mas ainda não sabe o que será da vida em 2020. O finlandês tem contrato com a Mercedes até o fim de 2019 e vê o atualmente afastado Esteban Ocon como séria ameaça na busca por titularidade ao lado de Lewis Hamilton. Há muito em jogo para Bottas, mas nada que afete o psicológico: de acordo com o #77, a pressão é “zero” quando o assunto é o futuro.
 
“Posso garantir que esse ano não sinto nada de pressão”, disse Bottas. “Sério, é pressão zero. A respeito da minha vaga, diria que é normal que todo mundo queira isso. É comum chegar na F1 e logo querer o melhor lugar possível”, seguiu.
 
Ocon se viu sem vaga na F1 pela reviravolta na Racing Point. A antiga Force India foi comprada por Lawrence Stroll, o que significou a troca do francês por Lance Stroll. Desde então, Esteban ocupa o tempo como reserva da Mercedes, que financia a ascensão no automobilismo desde 2015.
Valtteri Bottas começa 2019 tentando assegurar vaga em 2020 (Foto: AFP)
A incerteza sobre o futuro é acompanhada pela briga pelo título. Bottas soma 44 pontos, com vantagem mínima sobre o vice Lewis Hamilton, 43. Assim como o mercado de pilotos, não é algo que tire o sono do finlandês.
 
“É um campeonato muito longo e estamos apenas na segunda corrida. Está tudo bem por enquanto. Estamos começando outra vez e vamos avançar corrida por corrida”, encerrou.
 
Bottas foi segundo no GP do Bahrein do último fim de semana. O finlandês volta à pista no GP da China, o 1000 da história da F1, marcado para 14 de abril.