Andretti entra com pedido na FIA para formar nova equipe na F1 a partir de 2024

Mario Andretti, pai de Michael, líder das operações da marca, confirmou que a Andretti fez um pedido oficial para a FIA para ser a 11ª equipe no grid da F1 em 2024

A Andretti deu um passo fundamental para entrar no grid da F1. O que era apenas um forte rumor em 2021 virou realidade logo no segundo mês de 2022, com a marca oficializando nesta sexta-feira (18) o pedido de inscrição para a FIA a partir de 2024. E o grupo americano garante ter todos os requisitos para ser o 11º time na categoria máxima do automobilismo mundial.

A informação foi dada pelo perfil no Twitter de Mario Andretti, pai de Michael Andretti, que toca os negócios da marca. Poucos minutos depois, confirmada pela própria Andretti.

As sondagens de Michael com a F1, aliás, não são novidade. O americano passou perto de adquirir a Sauber no fim do ano passado, o que faria a Alfa Romeo se transformar em Andretti. No entanto, a negociação fracassou. Além disso, o americano já havia sondado, também, a Haas e a Williams.

Em novembro do ano passado, Andretti explicou que o dinheiro não foi o fator que determinou o fracasso na aquisição da estrutura da empresa de Hinwil, mas, sim, o fato de não poder assumir o controle da equipe, em situação que surgiu de última hora e encerrou qualquer possibilidade de um acordo. O impasse no fim do processo de compra “matou o negócio”, nas palavras do CEO e presidente da equipe que leva seu sobrenome.

Além da Indy e das categorias do Road to Indy, a Andretti tem participações importantes em competições como a Fórmula E, Extreme E e V8 Supercars.

O pai Mario e o filho Michael Andretti antes da largada da Indy 500. Estarão os Andretti na F1 2024? (Foto: Indycar)

O namoro de Michael com a F1

Os planos do filho de Mario Andretti de ingressar na F1 não são de hoje. Em meados de agosto de 2021, Michael viu uma oportunidade na Sauber – que corre no Mundial sob a bandeira da Alfa Romeo. Depois do início das conversas e de um acordo iminente, Andretti ficou a apenas 48 horas de fechar o contrato definitivo para comprar a esquadra suíça e voltar a colocar seu sobrenome famoso na Fórmula 1.

Entretanto, por conta de um desacordo a respeito do controle da empresa suíça, as negociações foram encerradas. Ainda na época, ex-piloto explicou que o dinheiro não foi o fator que determinou o fracasso na aquisição da estrutura da empresa de Hinwil, mas, sim, o fato de não poder assumir o controle da equipe, em situação que surgiu de última hora e encerrou qualquer possibilidade de um acordo.

Andretti tinha a intenção de colocar o americano Colton Herta ao lado de Valtteri Bottas, que havia acabado de fechar contrato com a Alfa Romeo para a temporada 2022 da F1.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar