Ansioso por estreia na McLaren, Pérez afirma estar “desesperado para vencer” primeira corrida na F1

Sergio ‘Checo’ Pérez não escondeu a ansiedade faltando poucos dias para sua estreia oficial pela McLaren. O jovem piloto mexicano deixou claro que sua meta é bater seu primeiro adversário, o companheiro de equipe Jenson Button

► Especial F1 2013, a temporada que vem com rótulo de imprevisível

Para um jovem piloto em especial, o GP da Austrália representará um divisor de águas. Depois de correr por apenas dois anos pela Sauber e conquistar nada menos que três pódios na última temporada, Sergio Pérez deu o grande salto de sua carreira e fará sua estreia pela McLaren, neste fim de semana, em Melbourne. Pérez não esconde de ninguém a felicidade por fazer parte da escuderia britânica, da qual fez parte seu ídolo máximo no esporte, Ayrton Senna.

Correndo por uma equipe do pelotão intermediário, como a Sauber, Pérez alcançou os melhores resultados, tanto da sua carreira quanto do time de Hinwil. O jovem de Guadalajara quase venceu o GP da Malásia e igualou o segundo lugar no mítico circuito de Monza, no GP da Itália. Mas agora, o peso da responsabilidade é maior, já que, na McLaren, vencer é quase uma obrigação. Ciente disso, Pérez declarou que está desesperado para subir ao topo do pódio.

Feliz na McLaren, Pérez está "desesperado" para vencer primeira corrida na F1 (Foto: Getty Images)

“Como um piloto de F1, você sonha em vencer sua primeira corrida, você sonha com ela por toda a tua vida. Não tenho ideia do que eu sentiria. Mas tenho de ser sincero, estou desesperado para saber. Não tenho nenhuma vitória e estou desesperado para vencer”, disse o mexicano em entrevista coletiva concedida em Melbourne nesta quarta-feira (12).

É de praxe na F1 dizer que o primeiro adversário de cada piloto é seu companheiro de equipe. Com Pérez, não é diferente. “Minha meta é bater Jenson [Button] e todos os outros”, afirmou.

Entretanto, ‘Checo’ está determinado a ajudar a histórica e vencedora McLaren a ser constante durante todo o ano, algo que não aconteceu em 2012, quando o time teve momentos de altos e baixos. “A coisa mais importante para nós é trazer a equipe e ter um carro forte ao longo da temporada. A meta é ser consistente, não importa onde partiremos na Austrália, ou onde vamos terminar”, disse.

Por fim, o jovem de Guadalajara se mostrou bastante satisfeito com sua adaptação à nova equipe. “Nós trabalhamos muito. Minha adaptação à equipe tem sido muito boa. Temos várias informações, por isso houve muito contato com meus engenheiros, que vão ajudar muito. Isso tem ido melhor do que eu esperava. Vamos ver quando começarmos a correr, mas temos feito um bom trabalho até agora”, concluiu ‘Checo’.

 Quem vai se sagrar campeão da temporada 2013 da F1?

 Siga o Grande Prêmio no Twitter

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube