Aos 30 anos e perto do tri, Hamilton já faz planos para carreira depois do esporte. E tem Jordan e Beckham como referências

No auge do sucesso profissional, Lewis Hamilton começa a pensar além da F1. E traça como objetivo trilhar os passos dados por ícones do esporte no qual se espelha, como Magic Johnson, Michael Jordan e David Beckham: “Estou tentando construir alicerces para conseguir fazer o mesmo”

Na melhor fase da carreira e da vida, Lewis Hamilton já começa a pensar em como será sua trajetória depois de deixar as pistas. Aos 30 anos, o britânico, no auge como piloto da Mercedes e prestes a igualar o ídolo Ayrton Senna para ser tricampeão mundial de F1, tem como referências mitos do esporte como Magic Johnson, Michael Jordan e David Beckham.

Os três citados, mesmo depois do fim de suas respectivas carreiras de grande sucesso, continuam ativos, de uma forma ou de outra, seja no mundo do esporte, seja com empresas lucrativas que dão sequência ao legado. Lewis deseja fazer o mesmo, ciente de que sua carreira na F1 não será eterna.

Em entrevista ao site oficial da F1 publicada nesta quinta-feira (10), Lewis falou muito sobre sua personalidade, seu estilo de vida, mas também abordou seu futuro e o que pretende fazer.

Lewis Hamilton já começa a pensar em sua carreira depois de deixar as pistas na F1 (Foto: AP)

“Estou em uma fase na minha vida onde sei que tenho um certo número de anos que me restam na F1 e estou consciente do que virá além disso. Vejo caras como Magic Johnson, Michael Jordan e David Beckham, que continuaram nos holofotes com suas carreiras ativas, empresas e futuros criados para eles além do esporte. Agora estou numa fase onde estou tentando construir alicerces para conseguir fazer o mesmo”, declarou o piloto da Mercedes, líder com folga do Mundial depois de um triunfo dominante no último GP da Itália.

Em Monza, Hamilton completou 160 GPs disputados e alcançou sua 40ª vitória na F1. Assim, o britânico pode igualar, em Cingapura, o seu maior ídolo nas pistas, Ayrton Senna, com 41 triunfos. E Lewis tem tudo para igualar o brasileiro também em títulos caso confirme o favoritismo e chegue ao tricampeonato.

Este é o grande objetivo que Hamilton traçou para si desde quando entrou na F1. E que está cada vez mais próximo de se concretizar.

“Em termos de vencer este campeonato, não sei o efeito que isso terá sobre minha vida depois disso. O que sei é que esse sempre foi meu desejo desde pequeno, igualar Ayrton Senna para ter três títulos mundiais. Este sempre foi meu objetivo. Se conseguir esses três títulos, isso seria fantástico. Quando penso sobre isso, realmente tem de ser, no mínimo, três. É nisso que estou trabalhando”, afirmou o piloto, que já deixou claro que não sonha em bater ou mesmo igualar Michael Schumacher, o maior vencedor da história do esporte e dono de sete títulos mundiais.

No auge da forma física e técnica, Lewis não vê adversários no seu caminho para conquistar seus objetivos, a não ser ele mesmo. “Não deixo ninguém ficar no meu caminho. A única pessoa que pode ficar no meu caminho sou eu mesmo, e eu não vou permitir isso”, garantiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube