Após 125 tempos deletados, FIA ameniza limites de pista em circuito de Portimão

Muitos pilotos tiveram tempos deletados e ainda sofreram com a falta de aderência do novo asfalto português nos dois treinos de sexta-feira. Depois de reunião com a direção de prova, Michael Masi determinou mudanças nos limites de pista nas curvas 1 e 4 do circuito de Portimão

+Do Canadá/2007 a Eifel/2020: como Hamilton alcançou Schumacher em número de vitórias

+Do McLaren MP4-22 ao Mercedes W11: os carros vencedores de Hamilton na F1

Depois de uma sexta-feira (23) de treinos livres marcada por nada menos que 125 tempos deletados nas duas sessões que abriram os trabalhos do fim de semana do GP de Portugal, a direção de prova decidiu mudar a política a respeito dos limites de pista nas curvas 1, 4 e 15 do circuito de Portimão. Por conta da infração, vários pilotos tiveram tempos deletados e muitos deles alegaram problemas com a falta de aderência da pista, uma vez que o asfalto do Autódromo Internacional do Algarve foi todo recapeado para receber o Mundial de Fórmula 1. Romain Grosjean, da Haas, foi um dos competidores que pediu mudanças na determinação.

Assim, Michael Masi, diretor de provas da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para a Fórmula 1, tomou a decisão de relaxar as regras de limites de pista depois de briefing com os pilotos na sexta-feira à noite. E, na manhã deste sábado, o australiano confirmou a mudança em documento emitido pela entidade que regula a categoria.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

F1; FÓRMULA 1; ALFA ROMEO; SEXTA-FEIRA; PORTUGAL; GRANDE PRÊMIO DE PORTUGAL;
A mudança nos limites de pista em Portugal veio depois de reunião da direção de prova com os pilotos na sexta-feira (Foto: Alfa Romeo)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Para as curvas 1 e 4 do circuito lusitano, a determinação é a mesma, ou seja, agora o ponto de referência é a zebra vermelha e branca do trecho. Segundo o documento, “um tempo de volta obtido durante qualquer sessão de treino ou corrida, [com o carro] deixando a pista e cortando por trás a zebra vermelha e branca vai fazer com que o tempo seja invalidado pelos comissários”.

Para a curva 15, a direção de prova determina que “um tempo de volta obtido durante qualquer treino livre ou a corrida, [com o carro] deixando a pista na saída da curva 15 vai resultar de que o tempo de volta e imediatamente a volta seguinte sejam invalidados pelos comissários. Um piloto vai ser julgado por ter deixado a pista se nenhuma parte do carro permanecer em contato com a pista”.

Assim, a expectativa da direção de prova e também dos pilotos é que o sábado seja um pouco menos caótico. Além dos 125 tempos de volta deletados, os trabalhos da sexta-feira foram abreviados por conta de duas interrupções com bandeira vermelha após incêndio no carro de Pierre Gasly, da AlphaTauri, e da batida envolvendo Lance Stroll e Max Verstappen, da Racing Point e Red Bull, respectivamente, as duas ocorrências no segundo treino livre em Portimão.

Por conta do incêndio, a AlphaTauri teve de trocar o chassi do carro do piloto francês, que não sofrerá qualquer tipo de punição pela mudança, informou a direção de prova. Outro competidor que inicia o sábado com novo chassi é Nicholas Latifi, da Williams.

A Fórmula 1 volta a acelerar neste sábado em Portimão. O treino livre 3 está marcado para 7h (de Brasília), enquanto a sessão que vai definir o grid de largada do GP de Portugal acontece às 10h. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:
YouTube | Facebook | Twitter Instagram | Pinterest | Twitch | DailyMotion

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube