Button lamenta “perda muito grande” de Hamilton e diz que não será “irmão mais velho” de Pérez

Jenson Button demonstrou tristeza com a saída de Lewis Hamilton da McLaren na próxima temporada. Embora acredite que sua equipe seguirá tendo uma forte dupla de pilotos, o britânico prefere esperar antes de avaliar o que o jovem de Guadalajara poderá fazer em 2013

A McLaren terá uma mudança significativa para 2013. Lewis Hamilton, forjado na equipe de Woking desde o começo da sua carreira, ainda no kart, seguirá para a Mercedes para cumprir um contrato milionário por três temporadas. Para substituir o campeão mundial de 2008, a McLaren agiu rápido e assegurou a contratação de Sergio Pérez, um dos destaques da temporada e dono de três pódios com a Sauber neste ano. Entretanto, diante de todo o potencial mostrado pelo jovem mexicano, de 22 anos, Jenson Button, seu futuro companheiro de equipe, ainda não sabe o que esperar de ‘Checo’.

Button lamentou muito a saída de Hamilton da equipe. Na visão do britânico que seguirá na McLaren, Lewis deixará uma lacuna grande no time. Sobre Pérez, o piloto falou. “Obviamente é muito difícil saber o que ele trará para a equipe porque ele ainda não está aqui". Button também deixou claro que não se vê como um irmão mais velho do mexicano.

Button prefere esperar a chegada de Pérez à McLaren antes de avaliar o mexicano (Foto: McLaren)

“Com Lewis saindo, obviamente a equipe perde um piloto muito rápido, um cara que conquistou muita coisa com a equipe e ganhou um título mundial. É uma perda muito grande, mas as coisas mudam e você aprende a seguir em frente e a se adaptar”, disse Button durante entrevista ao site oficial da F1.

“Definitivamente não significa o fim de dois pilotos fortes na McLaren. Acho que Sergio será rápido, mas não sei. Ele é desconhecido na McLaren porque ainda não está lá. Mas é uma grande oportunidade para ‘Checo’ e estou certo de que ele vai aproveitá-la ao máximo”, comentou o campeão mundial de 2009, dez anos mais velho que Pérez. No entanto, a diferença de idade para o novo companheiro de equipe não o incomoda.

“Não acho que eu seja velho. Fiquei surpreso quando me disseram que ele tinha 22 anos. Parece que ele tem mais que isso. Mas não me sinto como irmão mais velho, não”, disse.

“O importante é trabalhar próximo ao seu companheiro de equipe. Acho que quando ele estiver na equipe, provavelmente vai aprender muito com um cara mais velho, com mais experiência, como eu, mas eu ainda acho que você é um piloto mais velho, ainda pode aprender com um piloto mais novo. Mas como irmão mais velho? Não, definitivamente não me sinto assim. O que vou aprender com ele? Não sei ainda. Vamos ver”, complementou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube