Sainz detalha “plano de recuperação”, mas confessa: “Achei que não ia correr na Austrália”

Carlos Sainz teve um retorno triunfal e venceu o GP da Austrália, mas admitiu que sentia dores e desconforto poucos dias antes da etapa realizada no Albert Park

Carlos Sainz venceu o GP da Austrália, realizado no último domingo (24), mas esteve muito próximo de desfalcar a Ferrari por mais um fim de semana. O piloto espanhol revelou que passou por um intenso plano de recuperação para estar apto a viajar para Melbourne mas, ainda assim, acreditou que não teria condições de guiar a SF-24.

Sainz não se sentiu muito bem durante os treinos livres do GP da Arábia Saudita e foi diagnosticado com apendicite. O piloto espanhol precisou passar por uma cirurgia e foi substituído por Oliver Bearman na etapa em Jedá.

Relacionadas


A recuperação da apendicite é relativamente simples e não leva muito tempo. No entanto, Sainz fez questão de seguir um plano de recuperação para estar o mais saudável possível para o GP da Austrália.

“Assim que retirei meu apêndice entrei na internet e comecei a conversar com profissionais e disse: ‘Tudo bem, o que ajuda a acelerar a recuperação?’ A partir daí comecei a fazer todo tipo de coisas para acelerar a recuperação das feridas, do tecido cicatricial. Conversei com outros atletas e médicos na Espanha e internacionais. Depois disso montei um plano com minha equipe”, disse o titular da Ferrari.

Sainz teve dúvidas se seria capaz de correr na Austrália (Foto: AFP)

“Os atletas se recuperam mais rapidamente das lesões porque podem se dedicar totalmente à recuperação. E foi exatamente o que fiz. Estava programando meu horário na cama, meu horário para passear, meu horário para comer, o tipo de comida que ajuda a recuperar. Tudo estava centrado na recuperação para tentar estar pronto para a Austrália”, continuou Sainz.

Apesar de ter seguido todo o plano elaborado pelos médicos e por sua equipe, Carlos acreditou que não teria condições de fazer a corrida no Albert Park e disse que viajou para a Austrália quando ainda sentia dores abdominais e estava de cama.

“Quando estava prestes a pegar o voo para a Austrália, ainda estava na cama. Mal conseguia usar meus [músculos] abdominais para me mover. Então pensei ‘isso não vai acontecer’. Mas peguei o voo e, de repente, quando pousei na Austrália, a sensação era muito melhor”, disse o Espanhol

“A cada 24 horas estava progredindo muito mais do que nos primeiros sete dias, o que na verdade foi o que todos os médicos e todos os profissionais me disseram: ‘não se preocupe, porque na segunda semana, todos os dias vai melhorar um pouco. Muito mais do que na primeira semana’. Até Alex Albon me disse isso. Então apenas segui mais ou menos o que todos me disseram e montei um bom plano”, finalizou Sainz.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.