Carro difícil de guiar e sem ritmo para Q3: Vettel e Leclerc já sentem drama em Monza

Sebastian Vettel destacou a dificuldade de controlar o carro, ao passo que Charles Leclerc notou a falta de desempenho para avançar até o fim da classificação

A Ferrari deu algum sinal de vida no segundo treino livre desta sexta-feira (4), em Monza, mas ainda longe do mínimo esperado. No fim do dia, Sebastian Vettel rodou e Charles Leclerc visitou o gramado. Apesar do rendimento ligeiramente melhor que o da semana passada, as expectativas são baixas.

Sobre as saídas da pista, Vettel reiterou que o carro é bastante difícil de guiar. O alemão terminou na 12ª colocação e listou alguns dos problemas.

“Parte disso é Monza e parte é o carro, mas a situação é essa. O carro é difícil de guiar. Estamos instáveis nas retas e onde devíamos estar bem. Falta potência na entrada das curvas e [o carro] escorrega por elas”, disse.

Sebastian Vettel não conseguiu ficar entre os dez primeiros no TL2 (Foto: Ferrari)

Já Leclerc foi um pouco mais otimista. Disse que as simulações de treino foram melhores que o esperado – ainda que as de corrida tenham ido na direção contrária. Apesar do carro ainda dever para voltas lançadas, crê que o Q3 no sábado seja possível.

“Esperava que fossemos pior nas simulações com pouco combustível, mas esperávamos mais das com tanque mais cheio. Tivemos dificuldade com o desgaste dos pneus, precisamos trabalhar nisso. Espero que dê para entrar no Q3, mas vai ser muito apertado. Ainda não temos o desempenho para entrar no Q3, mas estamos perto”, finalizou.

A Fórmula 1 volta a acelerar em Monza na manhã deste sábado, a partir de 7h (de Brasília), enquanto o treino classificatório que vai definir o grid de largada está marcado para 10h. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo sobre o GP da Itália AO VIVO e em TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube