CEO da McLaren se preocupa e pede que F1 “não baixe a guarda” contra Covid-19

Zak Brown, CEO da McLaren, que testou positivo para a Covid-19 nesta semana, acredita que a Fórmula 1 não deve baixar a guarda no combate à doença mesmo com as restrições mais brandas do governo britânico

Infectado pela Covid-19, Zak Brown, CEO da McLaren, veio à público falar da pandemia e do afrouxamento das restrições de público para o GP da Inglaterra, que conta com casa cheia em Silverstone. Para Brown, independentemente do que pensem os governos, a F1 não deve perder de vista a gravidade da doença.

Na opinião do dirigente, apesar da eficácia das vacinas em minimizar os danos de contágio, a alta nos números de casos na Inglaterra, com os números recentes apontando que, por dia, 35 mil pessoas testam positivo para o vírus no país, preocupam muito. A Fórmula 1, então, deve ligar o sinal de alerta e, de forma alguma, deve “baixar a guarda” para a Covid-19.

“Precisamos de muitos, muitos testes. Creio que será difícil e nós, como McLaren, e as equipes, e provavelmente a Fórmula 1, não devemos abaixar a guarda. Devemos continuar a seguir o protocolo que seguimos no último ano e meio, mesmo com a abertura do governo nos protocolos”, afirmou Brown.

“Agora vejo que estão testando: vamos abrir as coisas e ver o que acontece. E não parece que os casos de internações estão seguindo as mesmas taxas de antes”, seguiu o dirigente.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

ZAK BROWN; ANDREAS SEIDL; MCLAREN;
Zak Brown rasgou elogios ao chefe de equipe da McLaren, Andreas Seidl (Foto: McLaren)

“Então, vamos superar isso e estamos vendo a vacina fazer o trabalho dela de manter as pessoas saudáveis. Mas, se estou preocupado? Sim. Creio que este tópico virá à tona e todos têm uma opinião a respeito. E penso que os próximos 30, 60 dias serão agitados na campanha de vacinação”, projetou.

Após testar positivo para a doença, Brown está afastado da equipe neste fim de semana em que a McLaren corre em casa, no circuito de Silverstone. Totalmente imunizado desde março, o dirigente revelou que quase não foi afetado pelos sintomas e que cumprirá à risca o distanciamento social até testar negativo para a Covid-19.

“Estou completamente vacinado com o imunizante da Pfizer desde março, então fiquei chocado quando recebi a ligação. Eu testo todo dia pela manhã com um teste caseiro, para me garantir, e faço tudo o que a McLaren pede e o que a Fórmula 1 solicita. Quando recebi a ligação, fiquei chocado, me sentia bem. Meus sintomas apareceram por cinco horas, no máximo, tomei uma aspirina e continuei trabalhando. Quase não senti nada. Já me sinto completamente bem, mas obviamente, me isolarei por dez dias e continuarei a me testar”, concluiu Brown.

Hamilton superou Verstappen na frente de uma torcida apaixonada para liderar a classificação do GP da Inglaterra (Foto: Vídeo: Reuters)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar