F1

Chefe da Ferrari deixa solução de problemas em segundo plano e foca em “entender e lidar” com carro

Não há como buscar soluções sem antes entender o que há de errado com a Ferrari SF90. É com essa mentalidade que Mattia Binotto, chefe de equipe, encara o momento ruim. Dessa forma, não há prazos para evolução da equipe

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
A Ferrari não conseguiu os resultados esperados nas primeiras corridas da temporada 2019 da Fórmula 1, que trazem uma sequência de cinco dobradinhas da Mercedes. Internamente, a equipe admite problemas com a SF90, que não rende o esperado. Mattia Binotto, chefe da escuderia, quer começar a reação italiana do ponto mais básico possível: entender o que causa a performance decepcionante do carro.
 
A necessidade de voltar à análise do carro como um todo impede Binotto de dar prazos para a evolução da equipe em 2019. Sem saber o que há de errado, ainda não há como pensar em solução de problemas.
 
“Nossas limitações já estavam presentes desde as primeiras corridas do ano. Acho que esse fim de semana inteiro enfatizou isso [pontos fracos]”, apontou, citando o GP da Espanha. “Foi direto ao ponto, óbvio. É difícil responder quanto tempo vai levar [para resolver problemas]. Acho que o mais importante para nós é entender como lidar com isso. Quando fizermos isso, tenho certeza de que resolveremos rapidamente”, destacou.
Mattia Binotto tenta lidar com os problemas da Ferrari (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Apesar de ainda não saber ao certo o que faz a SF90 ser claramente mais lento que o W10 da Mercedes, a Ferrari tem noção de que precisa entender melhor os pneus.
 
“É difícil lidar com os pneus, isso é verdade. Os pneus são uma peça importante na performance, então administrar e otimizar é chave para a performance geral do carro em si. Os pneus desse ano se comportam de um jeito diferente dos do ano passado. Preciso dizer que a Pirelli atingiu seus objetivos e os pneus não estão se esfarelando, o que é certamente bom do ponto de vista da segurança. Mesmo assim, entender, corrigir e melhorar a performance é parte do nosso trabalho. Devo dizer também que não é algo óbvio, não é uma tarefa fácil”, encerrou.
 
A Ferrari está em segundo no Mundial de Construtores, mas já consideravelmente atrás da Mercedes. No Mundial de Pilotos, Sebastian Vettel e Charles Leclerc aparecem respectivamente em quarto e quinto, atrás também de Max Verstappen, da Red Bull. A liderança é de Lewis Hamilton, com Valtteri Bottas em segundo.
 

 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.