Chefe da Red Bull defende que é possível ter sucesso na F1 como equipe-cliente: “Vencemos quatro campeonatos”

Christian Horner não tem receio de trocar a Renault pela Ferrari ou a Mercedes e, desta forma, seguir sem chances de título. O dirigente crê que as equipes oficiais de fábrica podem realmente ser batidas

É possível vencer na F1 comprando motores de uma montadora, não apenas como uma equipe de fábrica. É nisso que acredita Christian Horner, chefe da Red Bull, que disse que sua própria equipe é um bom exemplo disso.

"Vencemos quatro campeonatos e 50 GPs como uma equipe-cliente, então eu não vejo por que não", declarou o inglês.

Christian Horner não crê em grande vantagem de equipes de fábrica sobre clientes (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)

A Red Bull vive uma crise desde o início de 2014 com a Renault, crise esta que se agravou diante da não-evolução da Renault no segundo ano dos V6 turbo. Diante disso, já surgiram informações nas últimas semanas a respeito de uma mudança para uma das duas montadoras que venceram corridas em 2015, a Mercedes ou a Ferrari.

Isso não afetaria, na visão de Horner, a perspectiva que a Red Bull tem de brigar por títulos.

"Eu só acho que é uma solução diferente", avaliou. "Para conquistar um campeonato ou a capacidade de vencer corridas, precisamos dar um passo significativo com a unidade de potência. Obviamente precisamos melhorar o chassi e estamos trabalhando muito duro para fazer isso, mas realmente precisamos diminuir a diferença para os nossos adversários."

A Red Bull é apenas a quarta colocada no Mundial de Construtores deste ano, pior colocação desde 2008. O único pódio foi no GP da Hungria, com Daniil Kvyat em segundo e Daniel Ricciardo em terceiro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube