Chefe da Red Bull descarta contratação de diretor-técnico da Toro Rosso e diz: “Temos uma equipe técnica forte”

O trabalho de James Key já vem sendo destaque há tempos na F1. Em sua época de Sauber, o engenheiro foi parte fundamental no projeto de um carro que deu muitas alegrias ao time de Hinwil em 2012. Agora, à frente do bem-sucedido projeto da Toro Rosso, o britânico foi sugerido como futuro reforço da coirmã Red Bull, o que foi negado por Christian Horner

Recentemente, Max Verstappen declarou que aprecia muito a pilotagem no Toro Rosso STR10. Na visão do novato holandês, a escuderia de Faenza tem atualmente o segundo melhor chassi da F1, ficando atrás somente do Mercedes W06 e bem à frente da Red Bull, por exemplo. Contudo, o piloto entende que o potencial do equipamento acaba ficando limitado pela falta de desempenho e confiabilidade do motor Renault.

O grande responsável pelo projeto do STR10 é o diretor-técnico James Key, que foi o ‘mago’, por exemplo, do Sauber Ferrari C31 que, em 2012, conquistou nada menos que quatro pódios (três com Sergio Pérez e um com Kamui Kobayashi). Agora, o engenheiro se notabiliza por outro projeto considerado bem-sucedido. Mas nem por isso Key terá a possibilidade de ser contratado pela tetracampeã Red Bull.

'Mago' dos projetos da Sauber e, atualmente, da Toro Rosso, James Key não está nos planos da Red Bull (Foto: Getty Images)

Na visão de Christian Horner, chefe da equipe taurina, não há motivos para mexer no corpo técnico da Red Bull. O problema crônico do RB11, de acordo com o dirigente britânico, também está no motor e não tem relação direta com o chassi.

“Temos uma equipe técnica forte. Adrian [Newey] ainda está envolvido em tudo o que acontece, e com Rob Marshall, Pierre Wache e Dan Fallows temos um corpo técnico muito forte, de forma que não queremos mudar nada”, garantiu o comandante da Red Bull em entrevista ao site oficial da F1.

“Infelizmente, o que tem mais efeito em nossa competitividade é algo sobre o que não temos o menor controle”, afirmou, fazendo referência ao motor Renault.

Para Verstappen, a diferença entre o chassi da Toro Rosso e o da Red Bull está em encontrar o acerto ideal. “Acredito que para eles seja mais difícil achar o ponto certo para o carro. Em geral, o ano inteiro, quando você anda em pistas de alto downforce, nós fomos fortes comparados à Red Bull. Algumas vezes eles ajustam o carro um pouco melhor, mas creio que nosso carro esteja muito próximo”, analisou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube