F1

Chefe da Red Bull elogia Renault por vitória de Verstappen no México: “Crédito a quem pertence”

Christian Horner, o chefe da Red Bull, desligou os canhões da guerra dos últimos anos com a Renault e tratou de elogiar os fornecedores de motor pelo trabalho executado para o GP do México, vencido por Max Verstappen
Warm Up, da Cidade do México / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
A relação entre Red Bull e Renault, machucada e com data para terminar, ganhou um sopro do passado vencedor no último domingo. Christian Horner, chefe do time austríaco, elogiou a marca francesa pelo motor competitivo apresentado no GP do México e que permitiu a vitória dominante de Max Verstappen.
 
Na semana passada, Horner havia culpado a Renault pelo abandono de Daniel Ricciardo, que lutava pelo pódio nos Estados Unidos. Desta vez, diferente, quis ofereceu boas palavras.
 
"O crédito é de quem o crédito pertence. A Renault nos deu um motor nesta semana que tinha condições de competir com nossos oponentes. Isso permitiu que brigássemos cabeça a cabeça. Garantimos a primeira fila do grid e vencemos o GP de forma dominante. Deveríamos ter tido uma dobradinha", disse.
 
"A altitude do circuito atrapalha alguns de nossos rivais e coloca a Renault numa janela em que são competitivos. É por isso que colocamos o foco nessa corrida quando aceitamos as punições [na Rússia] para trocar de volta para o spec B. Foi para esse fim de semana", seguiu.
 
Outra coisa que teve um efeito real na vitória de Verstappen, segundo Horner, foi a derrota para Ricciardo no sábado, durante o treino classificatório. 
Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
"Dava para ver que ele estava bem zangado por conta disso. Não teve uma volta muita boa no Q3, enquanto Daniel foi incrível", avaliou. "Acho que ressoou na cabeça de Max e, a partir do momento em que ele ligou o motor [no domingo], era visível que ele seria o líder depois das primeiras três curvas. Assim que ele saiu das primeiras três curvas com a liderança, o resto foi brilhantemente controlado", afirmou.
 
Com relação a Ricciardo, que abandonou mais uma corrida quando tinha condições de lutar pelas primeiras colocações, revelou que a questão terminal foi na embreagem. Ao menos pelo que se sabe até agora.
 
"Parece que foi um problema de embreagem que, olhando para a telemetria, provavelmente começou na sexta volta. É semelhante ao problema que Max teve na sexta-feira. A equipe precisa guardar tudo e levar de volta à Inglaterra para entender bem, mas parece que isso que aconteceu", encerrou.
 
A F1 volta em duas semanas com o GP do Brasil.