Coluna Rookie Text, por Douglas Borges: Duas apostas

o ano de 2014 tem de tudo para ser um dos mais espetaculares da F1 moderna. Force India e Williams sabem disso e se prepararam muito bem para a batalha que virá

Duas equipes do meio do grid prometem um grande salto de qualidade para a temporada de 2014 da F1. Williams e Force India foram atrás de melhorias e prometem muito para o ano que vem.

A turma indiana, que já fez uma ótima temporada em 2013, quase batendo a toda poderosa McLaren no Mundial de Construtores, foi atrás do que o grid oferecia de melhor. O queridinho do grid, o alemão Nico Hülkenberg, quase ficou chupando o dedo após ser preterido pela Lotus em favor de Pastor Maldonado e sua carteira recheada, mas encontrou refúgio em terra hindu, e vai para sua terceira temporada como piloto da Force India, a segunda como titular.

Vijay Mallya controu o queridinho do grid, Nico Hülkenberg (Foto: Force India)

Sergio Pérez foi chutado da McLaren, é verdade, mas está longe de ser um mau piloto. O carro lamentável da equipe, que culminou na pior campanha em décadas, não ajudou. Ter como companheiro Jenson Button ― campeão mundial e inglês como a equipe ― foi um fardo também. E que pese o tratamento explosivo e arrogante que, dizem, Checo dispensava aos membros da equipe, claro que ver a bandeira de sua terra natal hasteada pomposamente com uma folha de cannabis em meio ao brasão não é algo estimulante. Mas agora é vida nova. Nico e Checo formam, talvez, a melhor dupla do meio do grid, e a possibilidade de incomodarem as equipes da frente é gigantesca.

Enquanto isso, a outrora grandiosa escuderia de Grove vai tentando reerguer seu império na F1. Um piloto que não colaborava e outro inexperiente – mas que mesmo assim entregava resultados. Maldonado, antes de sair, falou cobras & lagartos da equipe inglesa. Um ingrato. Se não tivesse o aporte financeiro que tem, ficaria calado. A sua saída, esportivamente, será ótima para a equipe, que agora pode contar com o experiente Felipe Massa, que deixou a Ferrari depois de oito temporadas.

Felipe procura um novo horizonte, quer reencontrar a confiança em si mesmo e em um lugar que seja tratado com o respeito que merece na F1. Grove lhe fará bem. E ele fará bem a Grove.

E temos Bottas. Ou Bo77as. O melhor numeral do grid, diga-se de passagem. Em seu ano de estreia, já fez mais do que o esperado, indo ao Q3 e batendo Maldonado. Perdoem-me, mas não ficarei surpreso se tiver uma temporada melhor que a de Felipe. O finlandês é injustamente subestimado por essas bandas. Talvez unicamente pelo fato de ter tomado a vaga de Bruno Senna. Ó coitado. Nem fator in pista justifica isso.

O time de Frank também agiu bem na parte técnica, trazendo engenheiros de grandes equipes como Red Bull e Lotus. Mas é necessário especular até que ponto a saída do dinheiro venezuelano pode influenciar na saúde financeira da escudeira britânica.

Valtteri Bottas continua mais um ano na Williams (Foto: Glenn Dunbar/Williams)

Portanto, o ano de 2014 tem de tudo para ser um dos mais espetaculares da F1 moderna. Force India e Williams sabem disso e se prepararam muito bem para a batalha que virá. Sem dúvida, duas apostas das mais seguras para o Mundial do ano que vem.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube