F1

Com acidentes de Räikkönen e Vettel no México, Ferrari vê primeiro abandono duplo em mais de nove anos

Kimi Räikkönen se acidentou; Sebastian Vettel bateu. E a sequência de nove anos da Ferrari sem abandonos duplos – iniciada no GP da Austrália de 2006, ainda com Michael Schumacher ao volante – finalmente terminou. Além disso, a escuderia ficou sem pontuar pela primeira vez em 20 provas

Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
A Ferrari, na condição de segunda melhor equipe da temporada 2015, definitivamente não esperava um GP tão fraco quanto o do México, realizado neste domingo (1). Seus dois carros foram incapazes de cruzar a linha de chegada, resultado que não era vista desde o longínquo GP da Austrália de 2006.
 
Na prova deste final de semana, a dupla de Maranello abandonou após acidentes. Kimi Räikkönen, depois de toque com Valtteri Bottas, quebrou a suspensão, enquanto Sebastian Vettel, em um dia muito abaixo da média, bateu sozinho.
Vettel, depois de tanto errar, acabou o GP do México no muro (Foto: Reprodução/Twitter)
Na última vez em que um abandono duplo aconteceu, Michael Schumacher ainda pilotava pela escuderia. Ele e Felipe Massa, que estreava na Ferrari, cometeram erros e abandonaram o GP da Austrália de 2006.
 
Desde então, o mais próximo que a Ferrari chegou disso foi em 2009, novamente em Melbourne. Na ocasião, Massa abandonou novamente, assim como Räikkönen. Todavia, o acidente do finlandês aconteceu no fim do GP, garantindo que acabasse a etapa com um 15º posto – tecnicamente sem abandonar, apesar de não cruzar a linha de chegada.
 
O GP do México também traz outros significados para a Ferrari. É a primeira vez em 20 provas que a equipe não pontua com nenhum de seus carros. A última vez que isso havia acontecido foi no GP do Japão de 2014, quando Fernando Alonso abandonou e Räikkönen acabou em 14º.