Com atuação segura, Hamilton vence empolgante GP da China. Vettel e Verstappen brilham e Massa vai mal

Depois de tantas críticas sofridas por um GP da Austrália sonolento, a F1 reagiu e entregou uma corrida pra lá de divertida na China. Com muitas ultrapassagens e grandes duelos, Xangai teve Sebastian Vettel e Max Verstappen como dois grandes destaques, além de Lewis Hamilton, que venceu de ponta a ponta e reagiu no Mundial. Felipe Massa não conseguiu encontrar a melhor performance neste domingo

#GALERIA(6985)
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A decepção por conta do sonolento GP da Austrália ficou para trás. O GP da China, segunda etapa da temporada 2017 do Mundial de F1, foi empolgante e divertido do início ao fim e entregou tudo o que Melbourne não proporcionou: emoção do início ao fim, muitas ultrapassagens, grandes duelos e algumas performances individuais de altíssimo nível. A prova, que começou com a pista molhada neste domingo (9), teve em Lewis Hamilton um vencedor incontestável, com o britânico vencendo praticamente de ponta a ponta, empatando na liderança do campeonato com Sebastian Vettel. Foi a 54ª vitória de Lewis na F1. Após a corrida em Xangai, os dois somam 43 pontos.

Vettel também teve uma ótima performance. É verdade que o alemão não conseguiu lutar diretamente pela vitória, mas protagonizou grandes momentos, sobretudo em um duelo roda a roda com Daniel Ricciardo, terminando a corrida em segundo lugar. Outro piloto que brilhou foi Max Verstappen, que conseguiu uma incrível recuperação após largar apenas em 16º, sendo um dos grandes nomes do domingo. No fim, progagonizou outra grande disputa contra Ricciardo, mas resistiu e garantiu o último degrau do pódio.

Ricciardo, valente, fechou em quarto, com um novamente apagado Kimi Räikkönen em quinto. Valtteri Bottas, depois do erro cometido no início da prova, ainda com a pista molhada, foi apenas o sexto, com Carlos Sainz garantindo um sétimo lugar em um excelente domingo com a Toro Rosso. Kevin Magnussen levou a Haas aos pontos em Xangai na oitava posição, seguido pelas Force India de Sergio Pérez e Esteban Ocon, décimo lugar. Menção honrosa também para Fernando Alonso, que lutou o quanto pode e esteve na zona de pontuação com a McLaren até abandonar.

Em contrapartida, Felipe Massa não conseguiu mostrar o mesmo nível de performance exibido nos treinos e na classificação em Xangai. Com uma Williams que sofreu muito em toda a prova, o brasileiro chegou a flertar com os pontos em um momento ou outro, mas foi bem abaixo do que era esperado, ficando bem longe do rol dos dez primeiros, fechando apenas em 14º.

A próxima etapa da temporada 2017 da F1 vai ser já no próximo fim de semana com a disputa do GP do Bahrein, no circuito de Sakhir.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Lewis Hamilton conquistou uma vitória categórica em Xangai (Foto: Reprodução)

Saiba como foi o GP da China de F1

A chuva que deu as caras em Xangai neste domingo tornou as condições da pista bastante incertas. Mas, nos últimos minutos, o tempo melhorou, a ponto de encorajar Lewis Hamilton, Sergio Pérez e Valtteri Bottas a saírem para o grid com pneus para pista seca. Hamilton quase rodou enquanto seguia para a reta dos boxes, indicando que parecia não ser uma ideia das melhores ara o começo da prova. 

Diante de ótimo público, que lotava as arquibancadas de Xangai, a corrida começou diante de uma grande expectativa sobre as condições do asfalto em si, mas também em relação ao duelo entre Hamilton e Sebastian Vettel. Lá na frente, todos largaram com neus intermediários. O único que resolveu arriscar, partindo para o tudo ou nada, foi Carlos Sainz, que optou por começar a prova já com pneus supermacios.

Giovinazzi bateu forte no começo da corrida (Foto: Reprodução/Twitter)

Vettel parou fora do colchete no alinhamento antes da largada, incidente que foi investigado pouco depois pela direção de prova, que acabou absolvendo o alemão. A largada foi realizada sem maiores problemas. Hamilton conseguiu manter a ponta, enquanto Vettel sustentou o segundo lugar. Kimi Räikkönen foi ultrapassado por Daniel Ricciardo, enquanto Felipe Massa erdeu algumas posições. Pouco depois, Lance Stroll fechou a Force India de Sergio Pérez, levou a pior, rodou e ficou na caixa de brita. A direção de prova então acionou o safety-car virtual.

Vários pilotos então aproveitaram e foram para os boxes para trocar pneus intermediários pelos de pista seca, Vettel entre eles. Hamilton seguiu com os intermediários e era seguido por Bottas, que também não parou quando a corrida retomou seu ritmo normal na volta 4. Mas logo o safety-car seria acionado. Antonio Giovinazzi, um dos pilotos que estavam na pista com pneus slicks, rodou em plena reta dos boxes e bateu forte na mureta do pit-lane.

Com a bandeira amarela acionada, Hamilton aproveitou para ir para os boxes e colocar pneus macios. Bottas também fez seu primeiro pit-stop. E Vettel, que já tinha feito uma parada, voltava aos boxes da Ferrari. Lewis ocupava a liderança, com Ricciardo em segundo e Kimi em terceiro, enquanto Verstappen, que partiu do fim do grid, já ocupava o quarto lugar. Todos os pilotos tinham de passar pelo pit-lane enquanto os fiscais de pista removiam o carro de Giovinazzi.

Verstappen dava show em Xangai (Foto: Reprodução)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Antes mesmo da relargada, Bottas acabou rodando e perdeu muitas posições, caindo para 12º. Hamilton controlou a vantagem na liderança, sendo seguido de perto por Ricciardo. Verstappen, que brilhava na China, passava Räikkönen para subir para terceiro. Fernando Alonso também fazia um grande papel e vinha em sétimo depois de relargar em sexto, sendo superado pelo compatriota Sainz. Massa não conseguia ter um bom ritmo e ocupava apenas o13º lugar, duas posições atrás de Bottas.

Na volta 12, Verstappen continuava brilhando e passava Ricciardo para assumir a segunda posição, ficando só atrás de Hamilton, forçando o ritmo ao fazer então a volta mais rápida da corrida. Daniel, mais lento, tinha que lidar com a pressão das Ferrari de Kimi e Vettel, que estavam logo atrás. No fim do pelotão intermediário, Massa perdia mais uma posição e era superado por Nico Hülkenberg.

Hamilton respondeu na volta seguinte, mas no giro 13 Verstappen foi ainda mais rápido com 1min39s238, apertando de vez o ritmo. E a Williams continuava a sofrer no molhado, com Massa sendo pressionado pela McLaren de Vandoorne. E por falar em McLaren, Alonso continuava sustentando a ótima sétima posição.

Alonso tirava 'leite de pedra' da sua McLaren em Xangai (Foto: McLaren)

Mas Hamilton voltou a abrir vantagem ao registrar 1min38s124, novamente a melhor volta da prova, ganhando uma folga na ponta. Por outro lado, Räikkönen reclamava da potência do seu motor, enquanto Hülkenberg era punido por ter passado a Sauber de Marcus Ericsson durante o período de safety-car. Pouco depois, Stoffel Vandoorne abandonava o GP da China.

Verstappen tentava seguir perto de Hamilton, que controlava bem a liderança da prova. Ricciardo continuava em terceiro, mas passava a ter Vettel no seu encalço depois de o tetracampeão passar Räikkönen na raça. Bottas tentava se recuperar e vinha em nono. Mais atrás, outro abandono: Daniil Kvyat estava fora da prova.

Vettel vence batalha contra Ricciardo após um duelo roda a roda (Foto: Reprodução)

Contrariando todos os prognósticos sobre falta de ultrapassagens, a corrida em Xangai era cheia delas. Talvez a mais incrível foi a de Vettel em cima de Ricciardo depois de um duelo literalmente roda a roda, levantando o público nas arquibancadas. Foi um dos grandes momentos do GP da China. Seb então partia para cima de Verstappen para buscar o segundo lugar em uma prova pra lá de divertida. Só não era muito divertida para Massa, que fazia mais um pit-stop e caía para 15º, penúltimo entre os pilotos que estavam na prova.

Verstappen resistiu o quanto pode com os pneus supermacios bastante desgastados, mas o holandês cometeu um erro em uma freada na curva 14 e acabou sendo ultrapassado por Vettel, que voltava ao segundo lugar. Max teve de entrar nos boxes na volta 30 para colocar um novo jogo de supermacios e tentar ir até o fim da prova. O holandês voltou em sexto, ficando logo atrás da Mercedes de Bottas. 

Com pneus mais novos, Verstappen não tomou conhecimento de Bottas e passou com facilidade. O finlandês sequer ofereceu resistência. Alonso, guerreiro que é, segurou ao máximo a sétima posição e lutou bravamente contra Sainz, que fez a ultraassagem sobre a McLaren do bicampeão. Na volta seguinte, Alonso teve problemas e teve de deixar uma prova que parecia estar destinada aos pontos. Fernando abandonou após ter sido um dos mais combativos na pista.

Lá na frente, Vettel fazia sua segunda parada e colocava pneus macios para ir até o fim. Na volta seguinte, a 36, Bottas realizava seu pit-stop, sendo seguido por Hamilton, que também optou por um stint final com os macios. Lewis voltou à pista na frente, de modo que apenas um grande problema lhe tiraria a vitória em Xangai.

Alonso enfrentou problemas e abandonou após grande corrida. Um enorme castigo (Foto: Reprodução)

Depois da parada de Räikkönen na volta 40, Vettel reassumia a segunda posição, com Verstappen em terceiro, seguido por Ricciardo e Sainz, com uma excelente performance, fechando o top-5, se colocando à frente de Räikkönen e Bottas. Mas o finlandês da Ferrari conseguiu passar o carro da Toro Rosso, deixando Carlos na alça de mira de Bottas. Massa figurava em 11º, levava uma volta de Hamilton, mas ainda sonhava com pontos, ficando logo atrás da Force India de Ocon. O brasileiro chegou a disputar posição, mas o jovem francês tinha melhor ritmo.

Nas últimas voltas, Ricciardo apertou o ritmo e se aproximou de Verstappen para tentar buscar o último degrau do pódio. Massa, sem nenhum rendimento, despencava para 14º lugar depois de ter sido ultrapassado por fora pela Haas de Grosjean. Quem tinha vida tranquila mesmo era Hamilton, que seguia de forma retumbante para vencer sua primeira corrida na temporada. Uma vitória incontestável do britânico, que empatou com Vettel na liderança do campeonato, os dois com 43 pontos conquistados.

Uma grande e divertida corrida, bem diferente de duas semanas atrás na Austrália. E com o tão esperado duelo entre Vettel e Hamilton pela ponta do campeonato. Sinal que o fã da F1 pode esperar, seguramente, uma grande temporada do início ao fim.

F1 2017, GP da China, corrida, final:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:37:36.160 56 voltas
2 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI +6.250  
3 33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER +45.192  
4 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER +46.035  
5 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +48.076  
6 77 VALTTERI BOTTAS FIN MERCEDES +48.808  
7 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO FERRARI +1:12.893  
8 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN HAAS FERRARI +1 volta  
9 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES +1 volta  
10 31 ESTEBAN OCON FRA FORCE INDIA MERCEDES +1 volta  
11 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI +1 volta  
12 27 NICO HÜLKENBERG ALE RENAULT +1 volta  
13 30 JOLYON PALMER ING RENAULT +1 volta  
14 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES +1 volta  
15 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI +1 volta  
  14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA +23 voltas NC
  26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO FERRARI +36 voltas NC
  2 STOFFEL VANDOORNE BEL McLAREN HONDA +37 voltas NC
  36 ANTONIO GIOVINAZZI ITA SAUBER FERRARI +51 voltas NC
  18 LANCE STROLL CAN WILLIAMS MERCEDES +56 voltas NC
PADDOCK GP #72 TRAZ ÁTILA ABREU E DISCUTE ETAPAS DA STOCK CAR, F1, INDY E MOTOGP

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube