Com Norris, McLaren já tem o que é preciso para enfrentar Mercedes e Red Bull

Lando Norris foi ao pódio no GP da Áustria, depois de um ritmo sólido ao longo das 71 voltas no Red Bull Ring. O desempenho chamou a atenção de Lewis Hamilton, que elogiou o compatriota. Após a corrida, Norris falou em “boa sensação” e percebeu que já dá para pensar mais alto em 2021. E quer saber? Ele tem razão

Pode não parecer, mas Red Bull e McLaren dividem o mesmo caminho de evolução em 2021. Tanto que é possível afirmar que ambas entregaram até agora tudo aquilo que prometeram antes do início da temporada. E indo além, também é correto diz que Lando Norris vive um campeonato tão forte e regular quanto o de Max Verstappen, resguardando, claro, a posição que cada um ocupa frente ao Mundial. Diante disso, é bom dizer que a esquadra inglesa seguiu uma linha de desenvolvimento ajustada aos métodos precisos de Andreas Seidl e encontrou em Lando Norris um ótimo guia para levar o time a um ponto de competitividade que o grupo não via desde o início da década passada.

O fato é que a McLaren foi a equipe que mais precisou alterar seu projeto de 2020 para 2021, dentro de um regulamento que mudou pouquíssimo. O MCL35M é um carro bem diferente do seu antecessor, muito em função da troca da unidade de potência. A chegada da Mercedes forçou uma enorme modificação, mas os ingleses acertaram a mão, especialmente ao equilibrar o corte do downforce. O modelo ganhou velocidade de reta e um grande rendimento em curvas de alta e trechos mais rápidos, ajudado pelo entre eixos mais longo. A única limitação foi a performance em seções mais seletivas e de baixa velocidade. Mas isso acabou sendo minimizado por meio de uma evolução gradativa ao longo dessas primeiras nove etapas do campeonato, principalmente entre as corridas de Portugal e Mônaco.

A McLaren não poupa esforços no que diz respeito às atualizações e frequentemente usa as sextas-feiras de treinos livres para aperfeiçoar os elementos como difusor, asas e o próprio assolhado, que viu uma nova versão chegar a tempo da segunda corrida austríaca. Foram progressos importantes e que sanaram as grandes dificuldades. A esquadra parece caminhar firme para se distanciar cada vez mais da Ferrari – que até esboçou alguma reação nas pistas de rua, mas ainda enfrenta problemas com um carro que ou sofre com classificação ou pena em ritmo de corrida.

LEIA TAMBÉM
+São Paulo inclui F1 em lista de 30 eventos com público ainda em 2021
+Mercedes aperta Red Bull extra pista e McLaren mais perto da F1 ‘A’
+Dos mares para F1: quem é Alan Adler, o promotor do GP de São Paulo

ANDREAS SEIDL; MCLAREN; F1;
Andreas Seidl é um dos pilares da fase de reconstrução da McLaren na F1 (Foto: McLaren)

E o segredo do sucesso dos britânicos também está neste excelente Norris. A renovação de contrato é prova da confiança que o time tem nele e em como o vê liderando a esquadra no futuro. A verdade é que, mesmo tão jovem e ainda em crescimento, Lando atingiu um nível de maturidade e entendimento do esporte muito alto. A experiência de duas temporadas fortes ao lado de Carlos Sainz coloca o inglês de 21 anos em outro patamar técnico.

A corrida do último domingo na Áustria trouxe alguns números que comprovam isso também. Ao cravar o segundo tempo da classificação, a 0s048 de Verstappen, Norris foi capaz de garantir uma primeira fila que a McLaren não tinha desde 2012. E a volta do Q3 foi assombrosa. Ainda, foi o quarto pódio da carreira, o terceiro da temporada e o segundo no Red Bull Ring. Norris também ultrapassou os 100 pontos pela primeira vez em sua trajetória na F1 e está 4 pontos à frente de toda a soma das 17 corridas do ano passado. E somente a 3 de Sergio Pérez, o atual terceiro colocado no Mundial de Pilotos.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Daí, não foi exatamente um choque ouvir de Lewis Hamilton o elogiou contundente durante a primeira parte da corrida austríaca. “Que grande piloto”. De fato, Norris apresentou um ritmo consistente à frente do heptacampeão e teria sido uma dor de cabeça maior para a Mercedes, se o jovem não tivesse recebido uma punição pelo incidente com Pérez. Mas o enorme desempenho de Lando e a McLaren na pista da Red Bull também serviu para deixar claro que o time de Woking está na direção certa para retomar o rumo das vitórias.

“Durante todo o primeiro período, acho que os dois Mercedes foram mais rápidos do que eu, o que não foi uma surpresa, algo que eu esperava, mas segurá-los tão bem como fizemos foi uma pequena surpresa”, admitiu o jovem inglês.

Lando Norris foi um dos grandes nomes da corrida e terminou no pódio (Foto: McLaren)

A McLaren estabeleceu um ritmo muito mais forte na segunda corrida na Áustria. A explicação está nas atualizações, na velocidade de reta e na ótima tração em saídas de curva. A verdade é que o time britânico foi capaz de executar um acerto perfeito e conseguiu algo que nem mesmo a Mercedes foi capaz de fazer. Por isso, Norris não hesitou em colocar a equipe em um nível acima do que vinha acontecendo.

“Não foi como se não fosse possível competir com eles. Você meio que chega lá e, quando tem o carro com um bom desempenho, você percebe que tem uma chance contra eles. Mas é difícil dizer isso até que você esteja realmente competindo contra eles, enfrentando um confronto direto.”

“Então, estar nesse pelotão e dizer que estamos lutando por um pódio porque nosso ritmo é tão bom, foi uma sensação muito legal”, completou.

Neste momento, Norris tem razão em dizer que a esquadra inglesa está mais perto desse grupo com a Mercedes e até com a Red Bull – ao menos uma delas. É claro que fatores como pista e acerto impulsionaram a equipe, mas há um salto de qualidade que não se pode negar. Talvez apenas Daniel Ricciardo siga sendo única incerteza, mas a forma de Lando, tal como Verstappen e Hamilton, ofusca o companheiro. De qualquer jeito, a McLaren já tem o que é preciso para sair do pelotão da F1 ‘B’.

Verstappen aplica novo domínio e vence: os melhores momentos do GP da Áustria (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar