F1

Com tempo assustador de Rosberg pela manhã, Mercedes comanda quinto dia de testes coletivos da F1 em Barcelona

Nico Rosberg só andou pela manhã, mas conseguiu sustentar a liderança no primeiro dia da segunda semana de testes coletivos da F1 em Barcelona, nesta terça-feira (1). Valtteri Bottas colocou a Williams em segundo, uma posição à frente de Fernando Alonso. O brasileiro Felipe Nasr, que estreia o C35, terminou com a nona marca da sessão
Warm Up / Redação GP, de Curitiba
 Nico Rosberg, da Mercedes, durante primeiro da segunda semana de testes coletivos da F1 em Barcelona em 2016 (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)


A Mercedes voou na pista de Barcelona nesta terça-feira (1), na abertura da segunda e última semana de testes coletivos da F1 para a temporada 2016. Depois de passar os primeiros quatro dias de atividades na Catalunha apenas focando na quilometragem e sem usar os compostos mais macios da Pirelli, os atuais campeões decidiram provar hoje os pneus de risca amarela – mas apenas com Nico Rosberg. E foi dele, então, o melhor tempo da sessão.
 
O alemão, que andou só pela manhã – uma vez mais, a equipe prateada resolver dividir as tarefas em um mesmo dia entre seus dois pilotos – completou 82 voltas e virou na melhor delas, andando com os pneus macios, 1min23s022. Só por comparação, a marca foi apenas 0s2 mais lenta que o melhor tempo de Sebastian Vettel, registrado na semana passada, com os pneus ultramacios. Além disso, ao longo da primeira parte dos trabalhos, o vice-campeão das duas últimas temporadas também não sofreu qualquer contratempo técnico, comprovando que a confiabilidade é a maior arma dos prateados neste início de ano.
Nico Rosberg, da Mercedes, foi o mais veloz em Barcelona (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Depois do almoço, Lewis Hamilton assumiu a condução do W07 Hybrid, mas seu foco foi bem diferente do de Rosberg. O tricampeão não andou com os compostos macios e concentrou seu trabalho apenas em longos stints com os compostos médios – os de risca branca. A equipe alemã também usou o dia de hoje para coletar dados do bico e da nova asa dianteira, já testados na semana passada. 
 
Logo no início da tarde, o inglês percorreu um primeiro trecho longo, em cima de pneus médios novos e tanque cheio. E começou virando na casa de 1min30s1, baixando para 1min29s, mas ainda ocupando a parte de baixo da tabela de tempos. Mas não era isso o que importava. 
 
A Mercedes não tardou em mandar o britânico completar simulações de corrida, também com os médios novos e menos peso. E, nestas condições, o atual campeão se manteve sempre à frente, em um ritmo assustadoramente constante, com voltas em 1min27s. No fim, Lewis fechou o dia com a sexta melhor marca – e o tempo de 1min25s051.
 
A segunda posição hoje ficou com a Williams, guiada por Valtteri Bottas. A equipe inglesa dedicou a tarde de testes à avaliação dos pneus, especialmente os mais macios da Pirelli. O finlandês alternou stints longos e curtos com os pneus amarelos, mas foi em cima dos ultramacios que conseguiu sua melhor volta nesta terça-feira.
 
Bottas pulou do bloco intermediário da tabela para a vice-liderança ao virar 1min23s229. O tempo registrado pelo #77 foi apenas 0s207 pior que o giro mais rápido feito por Rosberg pela manhã. Valtteri também tratou de dar quilometragem ao novo FW38 e ultrapassou facilmente a barreira das 100 voltas. A Williams também não enfrentou problemas graves nesta sessão inicial.
 
Kimi Räikkönen e a Ferrari viveram uma tarde menos produtiva. Depois de ter terminado a manhã na segunda colocação, o finlandês caiu duas posições na tabela de tempo a tarde, quando acabou superado por Alonso.  Na fase matutina do dia, o campeão de 2007 dedicou parte do tempo às análises aerodinâmicas, especialmente na parte traseira da SF16-H. As esquisitas grades foram instaladas no carro. 
Destalhe do sensor aerodinâmico na traseira da Ferrari de Kimi Räikkönen durante primeiro da segunda semana de testes coletivos da F1 em Barcelona em 2016 (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Já na parte vespertina, Kimi acabou fora de boa parte das atividades. A Ferrari apresentou um problema de câmbio logo no início e ficou parada na saída dos boxes, provocando uma bandeira vermelha. Räikkönen, entretanto, ainda conseguiu deixar os boxes na 1h30 final, mas ainda não se sabe qual foi o real problema do bólido italiano. Por fim, o nórdico ficou posicionado em quarto na lista de tempos. 
 
Acima dele, Fernando Alonso. O espanhol também viveu um dia de problemas com a McLaren Honda. Pela manhã, uma falha no sistema de telemetria e controle eletrônico impediu os trabalhos do bicampeão, mas durante a tarde a história foi diferente, e Alonso pode guiar o MP4-31 e completou constantes stints com os pneus macios. Foi nessa fase que alcançou o terceiro posto da tabela, com 1min24s735. 

Daniil Kvyat foi outro a enfrentar problemas técnicos nesta terça. O RB12 apresentou uma falha no duto do freio traseiro, e isso custou muito tempo ao jovem russo. Ainda assim, Kvyat conseguiu testar com pneus macios e foi em cima deles que cravou sua melhor volta, em 1min25s049. 
 
A Toro Rosso, por sua vez, mostrou consistência com seu novo STR11, que finalmente ganhou pintura oficial. Max Verstappen foi quem abriu a semana do time de Faenza. Hoje, também andando com os compostos macios, o holandês se colocou sétimo, logo à frente de Nico Hülkenberg, outro a mostrar regularidade com a Force India.
 
Atrás da equipe indiana apareceu a Sauber. E Felipe Nasr finalmente teve a chance de estrear o C35. O brasileiro imprimiu um ritmo constante também ao longo do dia e não viveu problemas, melhorando suas marcas na hora final da sessão. Nasr fechou a atividade com o nono tempo.
Felipe Nasr foi o nono com a Sauber (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Kevin Magnussen também andou bem com a Renault, ultrapassando a marca das 100 voltas. O único destaque negativo foi a bandeira vermelha causada pelo dinamarquês nos dez minutos finais da sessão, quando escapou da pista na curva 3. Magnussen ficou com o décimo posto da tabela.
 
A penúltima colocação da folha acabou nas mãos de Esteban Gutiérrez, da Haas. O mexicano não conseguiu avançar no programa técnico da equipe novata. Na verdade, o time teve de abreviar a participação nos treinos devido a uma falha no sistema de combustível, esse foi o maior problema relacionado à confiabilidade enfrentado pelos estreantes até o momento nesta pré-temporada. No fim, Gutiérrez completou apenas 23 voltas, sempre calçado com os pneus médios. 
 
Rio Haryanto, com a Manor, mais uma vez fechou a tabela. O piloto da Indonésia conseguiu, entretanto, um bom ritmo nas duas horas finais, quando andou com os macios.
 
A F1 retoma os trabalhos nesta quarta-feira.

F1, testes coletivos, Barcelona, semana 2, dia 1:
 
1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:23.022   82
2 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:23.229 +0.207 123
3 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:24.735 +1.713 93
4 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:24.836 +1.814 72
5 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 1:25.049 +2.027 69
6 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:25.051 +2.029 90
7 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO FERRARI 1:25.176 +2.154 144
8 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:25.336 +2.314 121
9 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 1:25.493 +2.471 103
10 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT 1:25.760 +2.738 119
11 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX HAAS FERRARI 1:26.661 +3.639 23
12 88 RIO HARYANTO INA MANOR MERCEDES 1:27.625 +4.603 44
 

Os pneus são...
ultramacios | supermacios | macios | médios | duros
 

Como diria Rômulo Mendonça, Massa está vendo que a temporada 2016 vai ser O...

Publicado por Grande Prêmio em Quarta, 24 de fevereiro de 2016
VEJA A EDIÇÃO #17 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA A F1 E A MOTOGP