F1

Confira declarações dos pilotos após o GP do Canadá, sétima etapa da temporada 2019 da F1

Beneficiado por uma punição de 5s a Sebastian Vettel, Lewis Hamilton venceu o GP do Canadá deste domingo (9). 4s696 atrás do piloto da Mercedes, Charles Leclerc ficou com o terceiro posto

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
O GP do Canadá acabou sendo mais polêmico do que o esperado. Neste domingo (9), Sebastian Vettel cruzou a linha de chegada em primeiro, mas acabou em segundo por conta de uma punição de 5s imposta pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) que acabou por entregar a vitória a Lewis Hamilton.
 
Sem contar com os benefícios de uma boa estratégia da Ferrari, Charles Leclerc ficou com o terceiro posto, seguido por Valtteri Bottas e Max Verstappen. Daniel Ricciardo consolidou o bom fim de semana da Renault com um sexto posto, à frente de Nico Hülkenberg.
Lewis Hamilton ficou com a vitória no Canadá (Foto: Mercedes)
Paddockast #21
A primeira vez a gente nunca esquece: as vitórias dos maiores nomes do esporte



Pierre Gasly ficou com o oitavo posto, com Lance Stroll e Daniil Kvyat fechando a zona de pontuação. Carlos Sainz Jr. vem em 11º, à frente de Sergio Pérez, Antonio Giovinazzi, Romain Grosjean, Kimi Räikkönen, George Russell, Kevin Magnussen e Robert Kubica.
 
Alex Albon e Lando Norris registraram os dois únicos abandonos da disputa em Montreal.
 
Confira as declarações dos pilotos:
 
 
 
 
Valtteri Bottas, quarto: “Cometi um erro na classificação de ontem que me custou bastante e hoje tornou a corrida muito difícil. Tive dificuldade para passar pelas Red Bull e as Renault no início. Sempre que eu me aproximava dos carros da frente, o motor e os freios ficavam muito perto da temperatura limite, então tive de tirar o pé muitas vezes, o que dificultou para atacar. Quando finalmente passei por eles, tinha perdido tempo demais para lutar pelo pódio. O ritmo do carro era bom quando tive ar limpo, então decidimos fazer um pit-stop adicional no final para lutar pela volta mais rápida com pneus novos. É bom ter um ponto extra pela volta mais rápida, mas, no fim, perdi a corrida na classificação de ontem. Acho que podemos esperar outra dura batalha na França. É um circuito de longas retas, então a Ferrari deve ser rápida de novo, mas estou ansioso para lutar”.
 
 
Nico Hülkenberg, sétimo: “Podemos ficar satisfeitos com hoje, já que é um resultado realmente bom para o time. Tive um ritmo forte durante a corrida, mantive os macios em boa forma, e aí tive pneus mais frescos no final. Tive de tirar o pé um pouco para impedir o carro de superaquecer e, a partir daí, conseguimos um resultado sólido pata tome. Saímos daqui com um sorriso no rosto. Os últimos três ou quatro fins de semana foram comprometidos por várias razões e hoje nós atingimos o potencial total do carro. Foi uma excelente recompensa para o trabalho duro do time tanto em Enstone quanto em Viry e agora nossa meta é manter esse bom momento”.
 
Pierre Gasly, oitavo: “Foi um dia bem difícil, mas o carro, na verdade, pareceu bem bom, então é desapontador terminar onde terminamos. Nós esperávamos ser mais fortes do que isso. Nós tivemos dificuldades com o tráfego e tivemos de poupar os freios, o que nos comprometeu um pouco, e eu, claro, gostaria de ter terminado melhor do que isso. Nós precisamos analisar tudo e ver onde podemos melhorar, mas eu também preciso trabalhar duro antes da próxima corrida. Espero que possa encontrar mais ritmo e voltar mais forte para a minha corrida de casa”.
 
Lance Stroll, nono: “O carro teve uma performance muito boa hoje e é ótimo pontuar em Montreal. O caminho até a corrida não foi fácil ― perder a unidade de potência ontem e perder performance com a volta ao motor antigo ―, mas nós continuamos pressionando, saímos e conquistamos alguns pontos. Minha largada foi forte, o que me fez avançar algumas posições e a chave para a nossa estratégia foi alongar o primeiro stint com os pneus duros. Quando mudamos para os médios, estávamos em boa forma e eu pude caçar Sainz e fazer a manobra pela nona colocação. Foi uma corrida realmente divertida: coloquei todas as minhas emoções na mesa hoje e amei cada minuto disso. O time realmente merece: eles trabalharam longas horas nesta semana e isso é um impulso para todos nós. Foi um fim de semana incrível com um grande apoio do público. Vou me lembrar dessa por um tempo”.
 
Daniil Kvyat, décimo: “Foi uma corrida legal! Eu realmente não queria terminar em 11º, teria sido um saco se não pontuássemos hoje. Foi uma boa luta com Carlos no final, gosto de lutar com ele na pista já que é sempre no limite, e foi bom conseguir fazer a ultrapassagem. Acho que tiramos basicamente tudo que podíamos do carro hoje, então estou bem feliz com a forma como a corrida aconteceu. Agora nós vamos continuar trabalhando duro para somar pontos na próxima corrida”.
 
Carlos Sainz Jr., 11: “Nós largamos relativamente bem, estava bem no ponto de passar Kvyat e começar uma recuperação, mas tivemos de parar na quarta volta e isso já, mais ou menos... nós tentamos fazer um trecho muito longo com os pneus duros, tendo de ultrapassar outros carros, tendo de nos defender, atacar, então não pudemos conservar os pneus. Tínhamos de nos recuperar e, no fim, pagamos um preço. As últimas cinco ou dez voltas fizeram a corrida ainda mais longa. Estou decepcionado por acabar fora dos pontos. Mas as corridas são assim. Estou irritado com o resultado final, porque teríamos acabado na zona de pontuação sem esses problemas, mas é que tem. Quase conseguimos, fizemos o melhor que podíamos, mas não foi o suficiente”.
 
Sergio Pérez, 12º: “Não foi um dia muito bom para mim, mas foi bom para o time, que somou dois pontos com Lance. Nós sabíamos que seria complicado pontuar, então optamos por uma estratégia diferente para tentar maximizar as oportunidades. Do jeito que as coisas correram, Lance tinha uma estratégia melhor, mas você só sabe qual a melhor estratégia depois a corrida. O fim de semana todo não foi bom para mim. O ritmo de hoje foi bem ruim, mas eu estive sempre preso no tráfego, então as temperaturas estavam no limite e não podia fazer muito a respeito. No primeiro stint, sofri com a lata temperatura da pista, mas, mais do que isso, eu SP conseguia pressionar Kvyat por duas voltas antes de ter de cuidar dos freios, o que tornou as coisas mais difíceis. Como time, nós minimizamos os danos do fim de semana e isso é importante em corridas difíceis”.
Daniel Ricciardo fez um bom fim de semana no Canadá (Foto: Renault)
Antonio Giovinazzi, 13º: “Terminar em 13º é decepcionante, especialmente que pensávamos que tínhamos velocidade para conseguir algumas posições na corrida. Precisamos achar uma solução, pois parece que perdemos nossa competitividade no domingo e isso nos prejudica."
 
Romain Grosjean, 14º: “Foi uma longa tarde. No início, os caras assumiram muitos riscos em fileiras de três pilotos. Apenas fiquei com todos os danos. Estava em último, e após isso não tínhamos muito ritmo. Algumas voltas eram boas, outras muito difíceis. Precisamos analisar tudo para ter um melhor entendimento de como ir mais rápido na corrida."
 
Kimi Räikkönen, 15º: “Não foi um final de semana fácil, uma corrida fácil, já que não tínhamos velocidade para brigar por posições. Temos trabalho a fazer e também vamos receber novas partes, isso deve nos ajudar a voltar para a briga por pontos."
 
George Russell, 16º: “O carro estava relativamente bom de pilotar e conseguimos extrair o máximo do pacote. Agora precisamos conseguir um pouco de downforce e, com sorte, vamos encontrar um pouco de tempo de volta. No geral, estou satisfeito com meu desempenho e que fizemos o máximo da situação."
 
 
Robert Kubica, 18º: “Infelizmente, não há mágica. Ontem a pilotagem estava difícil, mas hoje piorou. Não tinha aderência com muito combustível, temperaturas altas e stints longos. A aderência geral está faltando, sabemos que é assim, então não podemos acelerar."
 
Lando Norris, abandonou: “Tive um problema com um superaquecimento na traseira do carro que ocasionou meu abandono – não tenho ideia do que aconteceu e até a equipe investigar, não temos certeza. Não acertei um muro então não tenho ideia. É irritante, pois até então tinha sido uma corrida divertida, brigando com Max nas primeiras voltas. Havia bom potencial e talvez alguns pontos hoje, então é especialmente frustrante. Mas essas coisas acontecem, então agora é focar em Paul Ricard."
 
Alex Albon, abandonou: “Hoje foi uma corrida dura. Tivemos um dano na asa dianteira na largada, o que basicamente acabou com a minha corrida. Talvez eu pudesse ter freado mais tarde na curva e Pérez poderia ter passado por dentro, mas é o que é. Depois disso, para ser honesto, o ritmo não era forte, então precisamos dar uma olhada nisso. Tive um pouco de dificuldade nos long-runs neste fim de semana, então temos trabalho a fazer para entender o motivo”.


 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.