Confira declarações dos pilotos após primeiras sessões de treinos livres para GP da Malásia de F1

Nico Rosberg foi o mais rápido no primeiro dia de treinos para o GP da Malásia de F1. Germânico fechou o dia em Sepang com 0s035 de vantagem para Kimi Räikkönen, o segundo colocado. Sebastian Vettel completa o top-3

A cobertura completa do GP da Malásia no GRANDE PRÊMIO
As imagens da sexta-feira da F1 na Malásia
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Nico Rosberg foi o mais rápido no primeiro dia de treinos livres para o GP da Malásia de F1. O germânico cravou 1min39s909 em sua melhor volta nesta sexta-feira (28) e fechou o dia em Sepang com 0s035 de vantagem para Kimi Räikkönen, o segundo colocado. Sebastian Vettel aparece na terceira colocação.
Nico Rosberg foi o homem mais rápido da sexta-feira em Sepang nesta sexta-feira (Foto: Getty Images)
Com 1min40s051, Lewis Hamilton tem o quarto posto, à frente de Fernando Alonso. Felipe Massa registrou 1min40s112 em sua melhor volta e ficou com o sexto tempo, apenas 0s203 atrás do líder.
 
0s367 atrás de Rosberg, Daniel Ricciardo aparece em sétimo, à frente de Jenson Button e Valtteri Bottas. Nico Hülkenberg completa a lista dos dez mais rápidos.
 
Confira declarações dos pilotos:
 
Red Bull
 
Daniel Ricciardo, sétimo: “Acho que nós aprendemos bastante sobre o ritmo em trecho curto nesta manhã. Nós estamos bem satisfeitos com o progresso que fizemos, mas poderia ter sido melhor com os long-runs. Acho que temos algum espaço para melhora, mas é para isso que serve esta noite. A confiabilidade foi boa hoje, então acho que estamos felizes com isso. Aqui é sempre quente, a umidade provavelmente é o maior desafio deste lugar, mas tudo bem, sabe, isso nos fortalece um pouco!”
 
McLaren
 
Jenson Button, oitavo: "Foi difícil, hoje, especialmente pelo calor. Não estamos forte com gostaríamos nas curvas de alta – e problemas de downforce são ampliados no calor alto. Nossas long runs foram complicadas, tanto pelos compostos de pneus se degradarem quanto pela dificuldade de encontrar o ritmo. Agora vamos analisar as informações, mas as atualizações que trouxemos parecem estar nos dando algo, é encorajador. Certamente tem gente se animando por voltas rápidas individuais, porém elas não contam muito por aqui, já que são logo ultrapassadas. As distâncias longas é o que precisamos olhar, e é isso que estamos achando mais difícil".
Button destacou o forte calor deste sexta-feira na Malásia (Foto: Clive Mason/Getty Images)
Kevin Magnussen, 12º: "Nunca guiei uma carro nessa temperatura, aprendi bastante. O calor na pista era tanto que fez os pneus sofrerem de verdade, mas foi assim para todos. Precisamos saber até amanhã como lidar com isso. Vou tentar ajustar o carro de maneira a proteger a traseira. Há sempre algo em que melhorar, e conseguimos muita informação para aprender sobre o carro para amanhã. Para mim, esquentar a traseira do carro é o maior problema. Os pneus se comportam muito diferente aqui do que na Austrália, então esse será meu foco. Estou convencido de que podemos fazer boas mudanças ainda hoje".
 
Williams
 
Valtteri Bottas, nono: “Hoje nós tentamos muitas coisas com o carro e coletamos muitas informações nos long-runs, então, no geral, foi um bom dia. Um desafio foi a diferente de ritmo entre os pneus duro e médio. O duro escorregava bastante e desgastava, então isso é uma coisa que temos que observar ao longo do fim de semana. Não fiz a melhor volta na última saída com os pneus médios, então, como a maioria das pessoas, ainda tenho mais velocidade para amanhã. O carro ainda precisa de mais downforce, particularmente nas curvas de alta velocidade, mas temos nossas forças e a nossa velocidade máxima parece forte, o que é sempre bom para a corrida”.
 
Force India
 
Nico Hülkenberg, décimo: "Podemos ficar satisfeitos com o que aprendemos hoje. Trabalhamos de acordo com o programado e não tivemos grandes problemas, ao menos da minha parte. Claro que o clima quente fez tudo mais complicado, e achamos bem difícil fazer o controle dos pneus durante as 'long runs'. É ainda mais complicado esse ano, pois há mais patinada com esses motores, e a degradação dos freios é grande. Coletamos as informações normais para pneus e ajustes, e acho que ainda há espaço para evolução. Preciso de mais aderência e acertar o balanço antes do treino final".
 
Sergio Pérez, 16º: "Não foi um dia fácil, porque perdi a maior parte da sessão matutina, o que limitou meu uso dos pneus duros. À tarde, tentamos melhorar o carro, assim como aprender sobre os pneus, mas ainda acho que temos de dar um passo maior hoje à noite para estar pronto para a classificação. A diferença entre os compostos duros e médios não é tão grande, porém ambos se degradam bastante".
Mecânicos da Toro Rosso trabalham no carro de Jean-Éric Vergne em Sepang (Foto: Getty Images)
Toro Rosso
 
Jean-Éric Vergne, 11º: “No geral, foi um dia muito bom. Acho que tivemos uma sexta-feira quase perfeita e estou realmente feliz com a performance do carro. Ainda temos que encontrar a melhor solução para alguns pequenos problemas, o que pode, definitivamente, nos tornar mais rápidos. Nós parecemos bem fortes até aqui e trabalhando duro esta noite, tenho certeza que teremos um bom carro para amanhã e talvez possamos lutar outra vez pelo Q3. Foi um dia feliz”.
 
Daniil Kvyat, 14º: “Apesar de eu ter corrido em Sepang antes em categorias menores, tenho que dizer que este foi, definitivamente, um dos dias mais quentes que já vi, mas não posso dizer que achei dificuldade para lidar com isso. Hoje nós tínhamos um programa movimentado, tentando melhorar a performance, fazendo alguns long-runs e também testando os pneus médios e duros pela primeira vez em um fim de semana de corrida. Ainda não estou completamente satisfeito com o acerto do carro, então esta noite nós vamos analisar todos os dados junto com os engenheiros com a meta de extrair o máximo de performance possível do nosso pacote para o resto do fim de semana”.
 
Sauber
 
Adrian Sutil, 13º: “Em comparação com Melbourne, nós demos alguns passos à frente. As coisas que tínhamos planejado em parte funcionaram. Entretanto, o carro é difícil de controlar e não é fácil pilotar. Nós temos muito trabalho pela frente. Nós demos alguns passos na direção certa e está melhor do que em Melbourne”.
 
Esteban Gutiérrez, 15º: “Acho que foi um dia positivo. Conseguimos um dia completamente livre de problemas. Deste ponto de vista, é positivo. Além disso, nós conseguimos completar o programa previsto com os dois carros, então conseguimos coletar informações interessantes que podemos usar para tomar as decisões certas para amanhã. Em comparação com Melbourne, nós demos um passo à frente, já que a estabilidade do freio está melhor. Nós ainda temos outras coisas para desenvolver e melhorar. Temos que avaliar com muito combustível e encontrar a solução certa para a corrida”.
 
Lotus
 
Romain Grosjean, 17º: "Temos que trabalhar para resolver nossos problemas e estamos focados em cada um dos que encontramos. Hoje de manhã não conseguimos dar voltas, enquanto à tarde nós tivemos um cabo queimado que acabou parando a caixa de marcha. Claro que não fiquei feliz estacionando meu carro na pista, mas como eu disse antes, é apenas a segunda corrida do ano e sempre soubemos que começaríamos atrás dos outros. Vamos chegar aonde queremos".
 
Pastor Maldonado, 22º: "Nossos problemas de hoje foram que a unidade de potência. Espero que consigamos consertar tudo antes dos treinos de amanhã. É importante para o time e para mim, estarmos prontos para testar o carro e forçar mais um pouco, o que não deu para fazer na primeira corrida. É difícl, pois todas as vezes esperamos ser melhores. Estamos trabalhando duro, os mecânicos, engenheiros, juntos à Renault. Precisamos ser fortes o bastante para aceitar quando temos um problema, e, assim que estiver resolvido, estarmos pronto para sair e atacar de novo".
Kamui Kobayashi acompanha com certa desânimo o primeiro treino em Sepang (Foto: Getty Images)
Marussia
 
Max Chilton, 18º: “Foi bom voltar ao carro. Nós aprendemos muito com a quantidade de dados que reunimos em Melbourne e realmente tem muito potencial de desenvolvimento no carro para começarmos a trabalhar nisso. Esta manhã foi bem comprometida por um problema elétrico e esta tarde terminou melhor do que começou. Eu rodei na minha primeira volta, mas trouxemos o carro de volta rapidamente e ainda consegui bastante tempo de pista, então foi uma boa recuperação. Tem muito trabalho para ser feito para melhorar o equilíbrio, mas cumprimos muitas tarefas”.
 
Jules Bianchi, 19º: “Foi um dia bastante simples para mim. Fizemos um bom trabalho olhando para as opções aerodinâmicas para o resto do fim de semana e também um trabalho mais geral com o ERS para nos ajudar a melhorar para a classificação e para a corrida. Nós tivemos alguma melhora durante as duas sessões e acho que, se conseguirmos manter essa boa direção, podemos ter uma corrida positiva aqui no domingo. Nós não tivemos nenhum grande problemas, o que é bom do ponto de vista da confiabilidade”.
 
Caterham
 
Marcus Ericsson, 20º: “No geral, foi bom ter uma sexta-feira completa pela primeira vez, especialmente aqui na Malásia, nossa corrida de casa. Sei que o time está trabalhando o mais duro possível para resolver os problemas no carro do Kamui, mas pelo menos nós estamos um bom passo à frente de onde estávamos na Austrália nesse ponto, com 55 voltas completadas do meu lado da garagem hoje – isso, obviamente, vai nos ajudar amanhã, tanto no terceiro treino livre como na classificação”.
 
Kamui Kobayashi, 21º: “O primeiro treino começou bem. Tivemos uma volta de instalação normal e aí outras três voltas, mas a potencia começou a oscilar e nós tivemos que parar para ver o problema. Foi rapidamente identificada uma falha no armazenador de energia, o que significou que nós tivemos que trocar a bateria e este foi o fim do primeiro treino livre para mim. Infelizmente, também encontramos um vazamento de óleo quando tiramos o assoalho do carro e isso significou que eu não pude rodar no segundo treino, já que levaria muito tempo para resolver os dois problemas. Isso, obviamente, não é bom e eu não estou feliz por termos perdido mais uma sexta-feira, mas é importante dizer que eu sei o quão duro todos estão trabalhando, no nosso time e na Renault, para tentar resolver estes problemas, para que possamos ter um fim de semana de corrida adequado. O fato de o Marcus ter podido completar mais voltas que os outros no primeiro treino livre mostra que nós podemos ser confiáveis – nós só precisamos garantir que
os dois carros rodem assim pelo resto do fim de semana ou teremos outra corrida difícil pela frente”.

'TOP GEAR BARBADOS' com LEWIS HAMILTON e o GRANDE PRÊMIO

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube