Confira declarações dos pilotos após treino classificatório para o GP de Mônaco, sexta etapa de 2013

As Flechas de Prata voltaram a brilhar. Nico Rosberg ficou com a pole, com Lewis Hamilton a seu lado na primeira fila e Sebastian Vettel em terceiro. Fernando Alonso parte apenas em sexto, e Felipe Massa, vítima de acidente no terceiro treino livre, parte em último

Siga o GRANDE PRÊMIO                     Curta o GRANDE PRÊMIO
 

A sessão que definiu o grid de largada para o GP de Mônaco, realizada neste sábado (25), trouxe mais do mesmo: a Mercedes voltou a dominar a primeira fila e ficou com a pole-position pela quarta vez consecutiva, com Nico Rosberg pela terceira vez seguida largando na posição de honra.

Sebastian Vettel, o 'melhor do resto', completou o top-3, logo à frente de seu companheiro de equipe, Mark Webber. Na terceira fila, vice-líder e terceiro no campeonato: Kimi Räikkönen e Fernando Alonso não conseguiram lutar pela pole e partem apenas em quinto e sexto, respectivamente.

Felipe Massa, por sua vez, sequer participou da sessão. O brasileiro sofreu forte acidente no terceiro treino livre e a Ferrari não conseguiu recuperar seu carro a tempo das atividades que definiram as posições de largada para a prova. Com isso, o piloto larga em 22º e último lugar.

Ao lado de Hamilton e Vettel, Rosberg comemora terceira pole consecutiva em 2013 (Foto: Getty Images)

Confira as declarações:
 

McLAREN
 
Sergio Pérez, sétimo: "Não é bom cruzar a linha de chegada sentindo como se você tivesse acabado de fazer uma mega volta e perceber que está apenas em sétimo. Ainda assim, tive uma performance realmente forte aqui hoje, e me senti como se tivesse realmente maximizado o potencial do carro."
 
"Sabemos que ainda não estamos lá em termos de performance, por isso precisamos continuar pressionando. Mas o time fez um trabalho fantástico até agora neste fim de semana, e espero que possamos manter este momento amanhã para marcar alguns bons pontos. Tudo pode acontecer em Mônaco no domingo."
 
Jenson Button, nono: "Eu não tenho certeza do que aconteceu na minha última volta no Q3. Tivemos um problema com o carro bem no final. Não tive nenhuma potência, por isso não pude fazer uma volta rápida. É uma pena, porque tirando o problema, também vimos um sinal no Q2 do que poderia ter sido uma excelente sessão classificatória para mim."
 
"A equipe fez um grande trabalho em termos de me mandar para a pista com os pneus certos e na hora certa, enquanto me senti pilotando bem, tirando o máximo das condições. A corrida de amanhã será difícil largando na nona posição, mas neste momento, não há absolutamente nada que eu poderia ter feito a respeito disso."
 
FORCE INDIA
 
Adrian Sutil, oitavo: “Hoje tivemos condições muito complicadas, com a pista metade seca e metade molhada. Nós nunca sabíamos se ia realmente secar ou se ainda havia mais chuva por vir, então foi importante estar com os pneus certos na hora certa. Por isso, a equipe fez um trabalho fantástico em escolher os compostos e tomar as decisões corretas. Eu também preciso agradecer aos meus mecânicos, que trabalharam tão duro para consertar meu carro a tempo para a classificação, após o meu acidente pela manhã. Amanhã vai ser acelerar forte para continuarmos a progredir. Terminar no pódio é o meu objetivo, e há sete carros na minha frente, então com uma boa estratégia tudo é possível. Eu só preciso me concentrar e aproveitar ao máximo esta oportunidade.”
 
Paul Di Resta, 17º: “Hoje nós falhamos, o que é uma pena porque tínhamos um desempenho muito bom no molhado, e este é o treino classificatório mais crucial do ano. Os pneus intermediários estavam funcionando muito bem para mim, mas não tivemos a leitura certa das condições no pit-wall. Eu precisava de um novo jogo de pneus intermediários no fim do Q1, mas nós percebemos que era muito tarde e não havia tempo para parar. A única opção foi continuar na pista, mas meus pneus estavam acabados, e eu não tive a chance de progredir. É uma posição dolorosa para começar a corrida de amanhã, dada a velocidade no carro que tínhamos hoje.”
Homenageando François Cévert, Vergne avançou ao Q3 e larga em décimo (Foto: Getty Images)
TORO ROSSO

Jean-Éric Vergne, décimo: “Eu me sinto muito bem no meu primeiro Q3 da temporada, mesmo que eu preferisse que continuasse chovendo até o fim. Mas no seco eu também consegui uma boa volta, mesmo abortando a minha última tentativa, pois já sabia que não ia melhorar. Eu acho que esse resultado mostra que estamos melhorando o carro ainda mais, o que significa que estamos fazendo progresso corrida após corrida.”
 

“Eu acredito que nosso desempenho em ritmo de corrida será melhor que o de hoje na classificação, então vamos esperar por um bom resultado, independentemente das condições climáticas. Qualquer coisa pode acontecer nesta pista, então definitivamente vamos lutar por pontos. Chegar ao Q3 é bom, mas o treino classificatório não distribui pontos, então precisamos manter a concentração e ter um bom desempenho amanhã.”
 
Daniel Ricciardo, 12º: “Eu estou decepcionado com a classificação, já que acho que foi uma oportunidade desperdiçada. Eu realmente queria alcançar o Q3 hoje e, com a pista secando, tinha essa chance. Mas nós não fomos rápidos o bastante com os pneus intermediários e, depois disso, senti que poderia ter ido melhor com o supermacio se tivesse mais uma volta para aquecê-los, então ainda temos algum trabalho para fazer. Eu acho que o carro tem um bom ritmo de corrida, certamente melhor que o do treino classificatório, mas com a dificuldade de ultrapassar aqui largar em 12º não é o ideal. Por isso, agora nós precisamos de uma boa estratégia para nos recuperarmos.”
As imagens do sábado de F1 em Monte Carlo 
Acompanhe a cobertura do GP de Mônaco no GRANDE PRÊMIO
Automobilismo na TV: a programação do fim de semana
 
SAUBER
 
Nico Hülkenberg, 11º: "Foi uma classificação disputada. Chegar ao Q3 teria sido possível, estava a 0s6. Mas mudamos muito tarde para os super macios e tínhamos apenas uma volta cronometrada, então foi uma oportunidade perdida. No entanto, com as condições mudando aqui em Mônaco, podemos estar felizes por termos nos mantido longe de problemas. A 11ª posição é apenas uma fora do top-10, então podemos escolher nossa estratégia para amanhã, o que é muito bom. Eu simplesmente tenho que tirar o máximo proveito da largada, ganhar uma ou duas posições e ficar fora de problemas na primeira curva. Teremos uma das corridas mais difíceis pela frente, mas estou ansioso para ela, porque Mônaco tem suas próprias regras e, no final, é por isso que amo tanto aqui."
 
Esteban Gutiérrez, 19º: "Foi uma classificação decepcionante, porque não estivemos em boa forma e nosso ritmo com os pneus intermediários não era bom o suficiente. Não fui capaz de encontrar mais ritmo, simplesmente não consegui encontrar a aderência. Será uma corrida difícil, considerando que é difícil ultrapassar aqui em Mônaco. Mas vamos tentar nosso melhor e esperamos que uma boa estratégia nos ajude a superar o tráfego."

LOTUS

Romain Grosjean, 13º: “A equipe fez um trabalho inacreditável para deixar o carro pronto para mim depois do que acontecei no terceiro treino nesta manhã. Sou extremamente grato a todos eles. Realmente devo uma a eles hoje e acho que vou precisar comprar mais drinques para eles quando o fim de semana acabar. Tínhamos um carro para fazer algo bom na classificação, mas eu alcancei Daniel [Ricciardo] no Q2, quando a pista estava ficando mais seca e mais rápida. O que posso dizer? Isso é Mônaco. Vimos diferentes condições atmosféricas e este é um circuito único. Vamos ver o que acontece na corrida.”
 

Pastor Maldonado foi apenas o 16º e criticou a Williams após classificação (Foto: Glenn Dunbar/ Williams)
WILLIAMS
 
Valtteri Bottas, 14º: “Hoje as condições não estavam boas, pois mudava o tempo todo. Nós fizemos o máximo que podíamos e, embora o carro não esteja onde queremos, sentimos que estamos em uma boa posição em termos de saber a direção que precisamos seguir no desenvolvimento. A corrida será difícil, com alguns carros rápidos largando atrás da gente, mas estou confiante em continuar a acelerar e ganhar mais algumas posições na corrida de amanhã.”
 
Pastor Maldonado, 16º: “Nós estávamos rápidos no Q1, já que eu conheço esta pista muito bem e, com o asfalto molhado, sei onde posso arriscar. Conforme ela foi secando, o carro não trabalhou tão bem quanto esperávamos, já que as rodas dianteiras estavam travando bastante. Mesmo assim, eu acho que o top-10 era possível, já que houve alguma melhora, principalmente se continuasse chovendo. O futuro parece bom, com as informações que coletamos aqui neste fim de semana.”
 
CATERHAM
 
Giedo van der Garde, 15º: "Estou obviamente muito satisfeito por colocar meu nome nos tempos do Q2 pela primeira vez neste ano. Honestamente, é uma sensação muito boa, mas ainda é parte do meu processo de aprendizado. Tenho dito desde o início da temporada que eu faria progressos, e hoje mostrei o quanto melhoramos em apenas seis corridas. Há mais por vir."
 
"No Q1, saímos muito cedo, pois havia relatos de que a chuva estava próxima. Como se viu, não era o caso, mas programamos a parada e tivemos cerca de quatro voltas com pneus intermediários ao final do Q1, tempo suficiente para me colocar no Q2."
 
"O Q2 começou com um pouco mais de chuva, então andei novamente com os intermediários, mas depois de uma volta, achei que estava seco o suficiente para pneus slicks. Fomos para os supermacios e fui o primeiro a fazer a troca. Por um tempo, visamos o Q3, mas isso não é onde estamos ainda, em termos de performance. Então estamos todos muito felizes com o Q2."
 
"O domingo pode ser muito interessante. Começo entre os dois carros da Williams, Bottas e Maldonado, e tive boas largadas durante todo o ano, por isso, espero ter outra boa largada e evitar qualquer incidente como o da GP2 na sexta-feira."
 
Charles Pic, 18º: "Primeiro, quero dizer que Giedo fez um bom trabalho, assim como todos na equipe. É óbvio que é um pouco decepcionante não estar com meu companheiro de equipe no Q2, mas estivemos muito perto e o time fez um bom trabalho para nos dar essa chance hoje."
 
"Fomos os primeiros carros a ir para a pista, e colocamos um bom ritmo com os pneus intermediários, com os tempos melhorando ao longo da sessão. Colocamos um novo jogo de pneus restando cerca de cinco minutos para o fim do Q1, mas eu não consegui obter ritmo suficiente no último setor, devido ao tráfego. Ainda assim, o 18º lugar ainda está bom em Mônaco. Tivemos um bom ritmo nos long-runs e um bom nível de desgaste dos pneus, então vamos ver o que acontece amanhã."
Marussia de Bianchi voltou a ser discreta em Monte Carlo (Foto: Marussia)
MARUSSIA
 
Max Chilton, 20º: “Após um bom começo na quinta-feira, o dia de hoje foi um grande desafio por causa das condições complicadas que tivemos na classificação. Naturalmente, eu estava esperando por um lugar melhor no grid porque Mônaco depende muito da posição de largada. Eu acho que tirei o máximo dos pneus muito cedo, e não havia o que fazer no final, quando a pista já estava um pouco mais seca. É frustrante porque será uma longa corrida amanhã. O clima parece bom, então com uma primeira volta sem acidentes, espero aproveitar ao máximo as oportunidades que surgirem.”
 
Jules Bianchi, 21º: “Claro que eu estava esperando por um bom treino classificatório na minha corrida em casa, então é muito frustrante ter que abandonar tão cedo e não participar da sessão. A equipe ainda não tem certeza do que aconteceu, mas está claro que eu não poderia completar uma única volta, e é por isso que me pediram para abandonar. Agora precisamos esperar para ver o que acontece. Eu acho que a corrida de amanhã poderá ser muito emocionante para todos. As coisas não foram tão normais no pelotão, então precisamos continuar focados e ver o que acontece para fazer o melhor trabalho possível nestas duras condições.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube