Consultor alerta e diz que chefes da F1 ainda não perceberam impacto de possível saída da Red Bull

Consultor da Red Bull, Helmut Marko reiterou a decisão da equipe austríaca em deixar a F1 caso não tenha os mesmos motores da Ferrari e disse que os chefes do Mundial ainda não perceberam o impacto que a saída da marca vai provocar no esporte

Depois de deixar claro que vai sair da F1 se não puder contar com os mesmos motores da Ferrari na temporada 2016, a Red Bull voltou a atacar e disse que os chefes do Mundial ainda não perceberam o impacto que o abandono da marca vai provocar no esporte.
 
Com a equipe austríaca aumentando a pressão por um acordo que garanta a igualdade de condições com a esquadra italiana em termos de unidade de potência, Helmut Marko, conselheiro do time de Dietrich Mateschitz, fez questão de esclarecer o cenário no que diz respeito às ameaças da Red Bull.
Marko diz que F1 não entendeu impacto que saída da Red Bull terá para o esporte (Foto: Getty Images)
Em uma entrevista publicada nesta quarta-feira (23) no site da F1, Marko afirmou que Mateschitz está totalmente decidido a retirar suas duas equipes do grid no ano que vem. "Sim, esse é um cenário", afirmou o ex-piloto austríaco. "Se não temos um mecanismos que nos permita competir na ponta, então preferimos parar", completou.
 
Quando questionado se todos os acionistas da F1 estão cientes sobre a decisão da Red Bull, o consultor respondeu: "Todos sabem, mas acho que nem todos reconhecem o impacto que isso terá sobre o esporte".
 
Marko ainda explicou que o time das bebidas energéticas está disposto a ceder em pequenas concessões. "Se fosse algo como um pouco menos de potência, não ficaríamos preocupados. Mas, no fim das contas, você pode verificar muito facilmente os dados do GPS e outros parâmetros para ver o que realmente tem nas mãos. A verdade é que o motor – o hardware – não é o verdadeiro problema. Mas software e o combustível são."
 
"Se não tivermos um motor competitivo, então não há um futuro para a Red Bull na F1. Ou seja, depois de Abu Dhabi, as cortinas vão se fechar. E essa é a opinião de Mateschitz. Ele sabe que fazer o que estamos fazendo agora custa o mesmo que disputar na ponta, por isso não está disposto a gastar tudo isso por mais uma temporada", acrescentou.
 
O consultor também falou sobre a Audi e revelou que não houve progressos nas negociações com os alemães. "Acho que eles não têm em seus projetos um conceito pronto desse motor. Sim, houve rumores e seria ótimo ter outro fabricante, mas isso, por enquanto, é tudo leitura de bola de cristal", finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube