F1

Consultor diz que Gasly vai precisar de disciplina na estreia na Red Bull, mas avisa: “Estamos confiantes”

Consultor da Red Bull, Helmut Marko considerou que Pierre Gasly vai precisar de disciplina em sua temporada de estreia com o time. O dirigente, no entanto, se disse confiante no sucesso do francês
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Pierre Gasly (Foto: Twitter/Pierre Gasly)
Consultor da Red Bull, Helmut Marko afirmou que Pierre Gasly vai precisar de disciplina em seu primeiro ano com a equipe dos energéticos. O jovem francês vai formar dupla com Max Verstappen em 2019, assumindo a vaga de Daniel Ricciardo.
 
Campeão da GP2 em 2016, o francês de 22 anos estreou na F1 na parte final da temporada 2017, mas se destacou mais neste ano, quando conseguiu resultados de destaque com uma Toro Rosso equipada com motor Honda.
 
Às vésperas da estreia de Pierre no time principal, Marko reconheceu que o piloto será observado atentamente, já eu “é assim que é a F1”.
Pierre Gasly vai defender a Red Bull em 2019 (Foto: Red Bull Content Pool)
“No futebol, se você não está bem, fica no banco”, disse Marko em entrevista à publicação inglesa ‘Autosport’. “Gasly mostrou velocidade, mas, claro, temos de disciplinar um pouco”, seguiu.
 
“Mas, também, o apoio do time é diferente. Estamos confiantes de que ele vai conseguir”, frisou.
 
Gasly, por sua vez, fechou 2018 ciente de que pode melhorar e deu nota “8,5” para sua temporada.
 
“Na minha primeira temporada completa, a minha meta principal era tirar o melhor do pacote que tinha”, contou Gasly ao site inglês. “Eu sabia que teria duas, três ou quarto oportunidades na temporada para somar muitos pontos”, continuou.
 
“Todas as oportunidades vieram no Bahrain [quarto], em Mônaco [sétimo] e em Budapeste [sexto], eu diria que foram as três principais onde conseguimos fazer a coisa certa”, avaliou. “No Bahrain, tive de entregar uma boa classificação no momento certo para ter pista livre na corrida e foi isso que eu consegui fazer. Em Mônaco, para chegar ao Q3, para conseguir uma posição de largada melhor, foi o que fizemos. No molhado em Budapeste, também na classificação, eu consegui chegar ao Q3 e ter uma boa posição de largada”, recordou.
 
“Essas foram as corridas onde tivemos um pouco mais de performance em comparação com os outros e nós conseguimos fazer acontecer quando importava”, concluiu.