Descontrole e agressividade desnecessária: o que diretor da F1 achou da batida entre Verstappen e Ocon

Ross Brawn foi outra figura importante da F1 que deu seu parecer sobre o incidente entre Max Verstappen e Esteban Ocon em Interlagos. O diretor-esportivo da categoria afirmou que apesar de frustrado, o holandês mostrou ainda não saber controlar as emoções. Enquanto isso, o francês estava no direito de querer tirar a desvantagem, mas foi agressivo demais em cima do adversário

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Ross Brawn decidiu dar sua visão sobre o incidente que marcou o GP do Brasil do domingo. O diretor-esportivo da F1 afirmou que apesar de frustrado, a atitude de Max Verstappen não era justificável, enquanto Esteban Ocon tinha direito de tirar a volta de desvantagem, mas não de maneira tão agressiva.
 

Tudo começou quando o holandês aparecia na liderança da disputa. Com uma volta de atraso para o restante do pelotão, o francês, que era 16º, tentou ultrapassar o ponteiro, mas os dois acabaram se tocando e rodando, com o #33 caindo para segundo.
 
Os nervos do titular da Red Bull estavam à flor da pele após a prova, quando ele foi tirar satisfações com o adversário da Force India na pesagem e empurrou o piloto. Ambos foram punidos, com Esteban pagando um ‘drive and go’ de 10s e Max sendo obrigado a prestar dois dias de serviço comunitário.
 
“O incidente com Ocon foi um momento cruel, mas Max mostrou que teve uma grande evolução em sua carreira, mas ainda não consegue controlar suas emoções nessas situações, um próximo passo essencial”, comentou Brawn.
Esteban Ocon (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Dito isso, não devemos esquecer que ele é muito jovem e enquanto sua conduta não é justificável, podemos entender a frustração que sentiu após o acidente e novamente no final da corrida. O desfecho não deve anular o que foi um grande desempenho mostrado pelo holandês. Afinal, não é todo dia que você passa duas Ferrari e duas Mercedes”, continuou.
 
“Tenho certeza que Max vai aprender com tudo o que aconteceu, inclusive com a penalização que ele recebeu. Vai contribuir com seu desenvolvimento como piloto e, principalmente, como um homem” frisou.
 
Brawn também afirmou que Ocon não precisava ir tão agressivo para cima de Verstappen, já que não disputava sequer a zona de pontos da prova. “Enquanto o francês tinha total razão em querer tirar a volta de desvantagem, já que ele estava claramente mais rápido no momento, é preciso dizer que não havia razão dele enfrentar Verstappen como se estivesse brigando por sua primeira vitória na F1”.
 
“Ele mereceu os 10s de punição. Os pilotos não podem esquecer que são modelos para os fãs e para os jovens que querem seguir seus passos”, encerrou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube